J. A Redemerski é sem sombra de dúvida uma das minhas escritoras favoritas e o que ela fez no final deste livro, caros amigos, foi sensacional. Eu sou daquele tipo de leitora que quase sempre adivinha a história toda no início do livro, é difícil encontrar um livro com algo completamente surpreendente no final, mas O cisne e o Chacal causou um nó na minha cabeça quando eu descobri o grande segredo. 

 O livro faz parte da série Na companhia de assassinos e conta a história de Fedrik Gustavsson amigo e fiel escudeiro de Victor Faust protagonista dos dois primeiros livros junto com Izabel (Sarai). Fedrik é um dos assassinos mais cruéis e impiedosos do grupo e tem uma história de vida muito densa e triste. Confesso que senti mais pena dele do que da Sarai, mesmo tendo quase arrancado os cabelos no primeiro livro da série. Fedrik é torturador e tem sangue frio, mas é um cara bom acima de tudo.

Ian é um jovem de 17 anos que após perder a mãe e ver seu pai abandonando sua família - ou o que restou dela -, foi criado pela irmã e vê nela uma figura materna que abdicou de praticamente tudo para colocar seu bem estar sempre em primeiro lugar. Isso o incomoda muito, pois ele sente que deveria ajudá-la de alguma forma, principalmente agora que ela está grávida, mas ele não sabe como. Até que, como que por providência divina, ele é visto na sala de espera durante uma consulta de sua irmã e, confundido com um jovem pai, é convidado a fazer parte de um reality show sobre pais. Ele poderia sim desfazer o mal entendido, mas o cachê enorme como o que eles estavam oferecendo era exatamente o que ele precisava pra ajudar sua irmã, então, sem pensar duas vezes, ele aceita. O problema? Achar alguma menina que estivesse disposta a se passar por sua namorada e grávida ainda por cima.



Quando vi este livro sendo divulgado na internet fiquei curiosa para ler só pela capa que me chamou bastante atenção, depois que li a sinopse corri para pedir um exemplar a editora e gostei muito da leitura. A garota perfeita não é um trilher de tirar o fôlego e sim um romance psicológico com dramas cotidianos, personagens comuns e uma relação familiar muito conturbada. 

A história é narrada por três pontos de vistas diferentes. Gabe, o detetive encarregado para investigar o desaparecimento de Mia. Eve, mãe de Mia e esposa de um juiz egoísta e poderoso e Colin Tacher, sequestrador e sobrevivente. Eu senti falta da visão da Mia durante a narrativa, mas não atrapalhou a minha leitura.

Como gosto muito do gênero e já estou acostumada com romances deste tipo, não me surpreendi com o final e na metade do livro eu já tinha adivinhado tudo que tinha acontecido, mas mesmo assim eu estava tão envolvida na trama que li até o final para saber de todos os detalhes. Pelo o que eu li na internet, o livro tinha a proposta de trilher psicológico, mas logo nos primeiros capítulos eu percebi que a leitura não tinha nada de trilher e sim drama. 

Azoth é um jovem ladrão que vive nas ruas e conhece a pobreza e a fome que permeiam Cenária como ninguém. Seu maior desejo é se tornar um assassino e se ver livre da vida de miséria a qual está acostumado e se livrar dos que fizeram da sua vida nas ruas um inferno. Tudo isso se torna possível para ele quando conhece Druzo, um implacável assassino que tem seu destino ligado ao de Azoth por acaso.

Em Caminho das sombras, Brent Weeks cria um universo medieval clássico, com muitas intrigas, ação, complôs e por aí vai. Ele mostra o lado decadente que os fãs de fantasia medieval gostam de ver - eu particularmente adoro. Ele explora esse lado do crime, da miséria, dos personagens meio deturpados, que são mais anti-heróis do que heróis.

Nels é um jovem de 17 anos que sonha em ser em ser um cavaleiro de Averand, e com suas habilidades extraordinárias de luta livre com certeza seria um muito bom. Sua mãe, porém, nunca permitiu que ele fosse ao festival anual de Vila das Pedras onde eram recrutados novos escudeiros todo ano. Dessa vez, porém, ansiando por realizar seu sonho, ele acaba se deixando convencer por Ickabosh, o alfaiate da família real, a desobedecer sua mãe e comparecer ao evento.

Infelizmente, para ele, nesse ano não haverá recrutamento e, após conhecer e ser humilhado pela princesa Tyra, Nels volta pra casa com outras coisas em mente. É nesse retorno pra casa que a vida de Nels muda drasticamente. Ele é assassinado e de repente se vê existindo como um fantasma que apenas uma pessoa pode enxergar: Tyra. Juntos, os dois vão embarcar nessa jornada para reverter a condição de Nels. 




Como é difícil escrever sobre algo que você criou expectativas e não gostou. Quando eu li a sinopse de Profundo e vi a capa, fiquei louca e pedi correndo o livro para a leitura. Eu adoro New Adult e o enredo central me cativou por falar de um tema super atual como a questão de garotas que sofrem depois de terem vídeos íntimos espalhados na internet. Assim que o livro chegou aqui em casa, eu sentei para ler o primeiro capítulo como sempre faço e me deparei com um pensamento da personagem que me deixou muito irritada.

“O pior é que eu não consigo me concentrar de fato em Nate, porque a outra mão de West pousou brevemente no meu ombro e agora ele está levantando o meu queixo. O sangue deixa os dedos dele escorregadios. Estou sangrando nele. E gosto disso.”

Por causa de sua habilidade paranormal, Addie é capaz de Investigar seu futuro sempre que se depara com uma escolha, mas isso não torna sua realidade mais fácil. Depois de ser usada pelo namorado e traída por Laila, sua melhor amiga, ela não hesita em passar as férias com o pai no mundo  Normal. Lá ela conhece Trevor, um garoto incrivelmente familiar. Enquanto isso, laila guarda um grande segredo: ela pode Restaurar as memórias de Addie – só falta aprender como. Muita gente poderosa não quer que isso aconteça, e a única pessoa que pode ajudar Laila é Connor, um bad boy que não parece muito disposto a colaborar. Como ela vai ajudar a amiga a alcançar o futuro feliz que merece?

Desde que seus pais se divorciaram, a vida de Addison Coleman no Complexo Paranormal virou de cabeça para baixo. Depois de Investigar seu destino, ela optou por ficar com sua mãe no Complexo, enquanto seu pai foi viver no mundo Normal, em Dallas, no Texas. Mas Addie não consegue acreditar que esta é a melhor opção de futuro que poderia ter. Depois de viver um momento tenebroso, ela descobriu que estava sendo manipulada.