• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Contato
  • Resenhas Novas

    Wake - Lisa McMann


    A ideia do livro é muito interessante e foi até por isso que o comprei, mas de cara não gostei da edição e muito menos dos palavrões. Li faz um tempo este livro e reclamei tanto sobre os defeitos que fiquei com todos os pés atrás antes de comprar o segundo livro: Fade. Depois de ler os dois cheguei a uma boa conclusão sobre essa leitura.
    Vou contar um pouco da história primeiro e logo após direi o que pensei. Quem já leu vai entender a minha posição à respeito.


    "Janie é um adolescente que vive com a mãe alcoólatra no subúrbio de Michingan (USA) e estuda em uma boa escola pública. Durante toda a sua pré-adolescência se sentiu solitária e com um estranho dom de entrar nos sonhos de qualquer pessoa que esteja dormindo ao seu lado. Sua única amiga Carrie é rica e muito egoísta ao ponto de se lembrar até mesmo do seu aniversário. Os anos se passam e ela conhece Cabel, um colega de classe muito intrigante e dono de um misterioso sonho que sempre a pega de surpresa na sala de estudos. Quando Janie entra no sonho de alguém é quase impossível sair sem que a pessoa acorde, por isso suas mãos ficam trêmulas, seu corpo enfraquece e sua visão fica completamente comprometida no momento em que isso acontece.

    Em uma determinada noite, algo diferente acontece e Janie se sente atraída por Cabel mais do que o normal. Ao longo do livros eles se tornam o "casal de sofredores apaixonados". Um grupo de jovens se envolve com drogas e Cabe está no meio. O que acontecerá com Janie quando finalmente compreender o sonho de Cabel? Será que ela perdoará o caso com as drogas?"

    Leia Wake e surpreenda-se! Aviso logo o livro não é bem editado. Demorei um tempo para perceber a jogada da editora e talvez da autora também.

    Simples, o livro foi feito para ser popular, por isso o preço baixo e a qualidade diferente dos normais. A linguagem em si é como se fosse de dois moradores do Bronx(NY) com muito palavrão e uma pitada de minha vida é uma m... Não tiro a razão dos personagens, realmente é muito difícil viver sem família e sem dinheiro. E foi por isso que dei uma chance e terminei a minha leitura, mas continuo batendo na mesma tecla: o livro pode ser popular, pode reproduzir a vida no subúrbio, mas não pode perder a função de livro, que é a de transmitir conhecimento, sonhos, fantasias, metáforas e por fim educar.
    Sei que vou receber muitas críticas, como já recebi no Skoob de pessoas dizendo que os palavrões são justificáveis porque os dois personagens são pobres.

    Vocês vão me desculpar, mas conheço muita gente pobre que é educada e não vive com tanta tristeza no coração. Eu trabalho com muitas crianças carentes e sei como é isso. E tem mais. Quem disse que o livro tem que ser cheio de palavrão e mal editado só por que é popular e reproduz a oralidade local?! Acho isso um preconceito danado! Todos nós temos direitos de ler qualquer tipo de livro, porque nós temos inteligência suficiente para tal, basta exercitar nossa mente. E como vamos exercitar nossa inteligência se estão escrevendo livros para nos emburrecer?

    Em questão de oralidade eu posso julgar, porque o meu livro “Garota apaixonada em apuros” foi escrito em  linguagem oral representando a adolescência, mas em momento algum eu usei palavrões ou então disse “Tô de boa, baby” .Olha que os adolescentes adoram falar um palavrão, mas pra quê estimular isso?

    Sinceramente essa é minha opinião. Já li o 2º livro e percebi muitas mudanças, pelo menos na quantidade de palavrões.Acho que a editora percebeu que algo estava errado.Espero que entendam a minha agonia a cerca deste livro. Um palavrão ou outro em um livro como "Melancia" de Marian Keyes ainda vai...

    Agora podem críticar!
    Beijos,
    Feliz Natal!
    Carolina Estrella

    6 Comentários :

    1. Confesso que não liguei muito para os palavrões, apesar de odiar. Aliás, eu não lembro de ter visto muitos já que li em e-book e em tradução de fãs. A revisada é tão ruim assim?! rs
      Bom, não sei... Acho que os palavrões são justificáveis, mas não pelo ambiente social. É coisa de educação mesmo. Com a mãe desligada de Jane e o Cabe sem família... Ficaram sem ninguém pra policiá-los. E nem é bem justificar. Simplesmente acontece! rs

      Gosto muito dessa série. Acho que é mais diferente de todas as atuais. :)

      ResponderExcluir
    2. Ahh eu tb acho uma das melhores, pq o tema é interessantíssimo, por isso li o Fade. Engraçado o 2º livro é melhor.rs

      ResponderExcluir
    3. Ainda n li =/ Nem posso opinar...

      ResponderExcluir
    4. Parabéns pela resenha Carol! Eu já gostei de Wake. Apesar dos palavrões e outras coisinhas, achei a história interessante e diferente dos livros atuais. Posso garantir que o Fade é melhor, com certeza, e comprei o Gone para muito em breve dar a minha opinião.
      Beijos!

      ResponderExcluir
    5. Tenho os 2 primeiros livros, mas só vou ler a série quando tiver todos, ai a leitura fica mais emocionante.
      kkkkkk

      ResponderExcluir
    6. Eu tenho o livro aqui e serio: se eu soubesse que tinha esse monte de coisas citadas ai pra cima nao tinha comprado #mimimi

      Comprei pq li a sinopse e achei bem diferente. E é fato, o preço ajudou muito viu? Paguei 15 reais nele.

      Concordo com voce Carol, acho que nao tem nada a ver o fato de relacionar palavroes e seus afins a pobreza! Preconceito IDIOTA esse. Affs

      Bom, como eu comprei o livro vou ler e depois volto pra opinar melhor

      Parabens pela resenha, como sempre admiro a sinceridade das duas.

      beijos

      ResponderExcluir