• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Contato
  • Resenhas Novas

    Clássico#05 O Morro dos Ventos Uivantes



    Oi gente,
    Hoje vou postar uma resenha feita por uma grande amiga minha Roberta Gavazonni que é fã deste livro há muitos anos e  o considera seu aumuleto do amor. Espero que gostem...
    Mais do que uma história, O Morro dos Ventos Uivantes é uma trama; uma maneira sublime de se constatar a realidade inglesa do século XIX aliada a uma realidade que mudaria para sempre. O cenário político por detrás desses Morros foi a ascensão feminina ao poder, razão pela qual temos uma Catherine Earnshaw tão geniosa, tão intensa, tão dramática, tendo que escolher entre seu verdadeiro amor e o poder. A corrupção, inerente a este romance gótico, permeia cada ação, cada sobrancelha de Heathcliff, seus olhares malévolos, sua sujeira não nos deixando esquecer de suas raízes. 

    Esse livro - tão lido e debatido entre todos - foi publicado, a bem da verdade, sob o pseudônimo dos irmãos Bell, pois, assim como Emily Brontë, suas irmãs Charlotte e Anne também escreviam, razão pela qual adotar esse pseudônimo eram esplendoroso e, em certa medida, cruel. As três irmãs têm traços diferentes, mas sempre mirabolantes. E Emily é a única que tem um jogo revigorante de desejos e palavras, sempre deixando a cargo de seu leitor a complexidade por detrás de cada doença, de cada beijo. Seus pensamentos involuntários, as intervenções de Nelly e do Sr. Lockwood, tudo perfeito, sempre perfeito...

    Putativamente, de início, podemos pensar que a srta. Cathy é a personagem principal, mas o ciclo dos Morros começa com a chegada de Heathcliff de Liverpool, sob a proteção de seu anfitrião, o Sr. Earnshaw. Em pouco tempo, com seu jeito sombrio, torna-se o preferido filho do Sr. Earnshaw, até a sua morte. Amedrontado pelas possíveis conseqüências disso, com a morte do adotante e com a tomada do poder de seu filho mais velho, Hindley obriga Heathcliff a pertencer à família como tão-somente um criado. Pertencer, nesse caso, é a melhor palavra, já que traz a idéia de pertence, coisa.

    Hindley o maltrata, o culpa por tudo. E, curiosamente, ao fim, é a ele que pede ajuda. Os Morros são cíclicos, são um jogo de poder e de palavras; são, sincera e honestamente, uma realidade à qual estamos acostumados, mas que nem sempre nos damos conta.

    O amor entre Cathy e Heathcliff é desmedido, é irreal, é absolutamente transcendental, capaz de superar qualquer barreira. A não ser a dela própria e seus desejos unilaterais. Os olhos enchem-se de lágrimas ao imaginar o que poderia ter sido desse rapaz, pervertido em sua moral, mas íntegro em seu amor. Do início ao fim. Tanto que finalmente quando Cathy decide se casar com Linton e com ele ter uma filha que seria a ruína de sua própria vida, Heathcliff sabe que não poderá mais viver sem sua alma, senão tão-somente sobreviver aguardando pela volta de Cathy. Sente-se ele, em parte, responsável pela viagem da amada a um reino alheio à Terra e, por anos, ele quer encontrá-la. Leva todos os parentes de sua pequena princesa à plena falência, colocando todos os bens dos Morros e os da Granja em seu nome, mas os prazeres econômicos jamais lhe trariam a sua amada de volta. Tentou viver em seu filho, que se casa, posteriormente, à filha de Catherine e Linton, o amor impossível que desejou ter havido em sua juventude. Ele se tortura, se culpa, se martiriza, mas não deixa de ter sentimentos pela menina, que, segundo suas ações denotam, seriam a amada voltando para atormentá-lo, assim como ele pediu.

    O romance é extremamente gótico e sombrio, inclusive por conciliar a figura dos espíritos que supostamente vagueiam pela Terra. É um contraponto importante com a Igreja, temida e idolatra por suas páginas.

    "Tão intenso era o gênio de Emily Brontë que os nomes Catherine e Heathcliff passaram a significar amor intenso e demente - e a obsessão feroz do casal permanece uma das mais perturbadoras e estimulantes da literatura"[1].

    A história congrega toda a vida de Heathcliff, seus sofrimentos, seus medos, suas paixões. Por isso, torna-se imprescindível a citação desses trechos:

    "'Seja qual for a matéria de que é feita nossas almas, a minha e a sua são a mesma'", declara Catherine."  e "'Fique sempre comigo - tome qualquer forma - enlouqueça-me! Só não me deixe nesse abismo, onde não posso encontrá-la!'", exclama Heathcliff. 'Ah, Deus! É intolerável! Não posso viver sem a minha vida! Não posso viver sem a minha alma!'".

    E é esse fogo corrompido, essa inquietude que transborda da intensidade com qual esse casal é narrado que nos faz ter a sensação da nossa pele em chamas, o coração às migalhas. E, claramente, parece que nada mais faz sentido quando ela se vai. Como se, de fato, algo tivesse ido com ela: ele mesmo.

    Cathy e Heathcliff são o protótipo dos anti-heróis, isso é indubitável. Isso é sensível. Mas são anti-heróis que escondemos na nossa própria alma; pois, apesar de terrivelmente inverossímil a princípio, estamos sempre forçados a escolher entre o que devemos e o que queremos...

    O Morro dos Ventos Uivantes, portanto, torna-se absolutamente imprescindível na sua lista de must-read. Além de clássico, ele é sublime, transcendental, pois congrega elementos de todas as ordens. Não tem como não se apaixonar, chorar e ter raiva - tudo ao mesmo tempo - por Heathcliff. É uma opção difícil: a certeza de uma vida confortável e agradável e as nuances de um amor aflitivo, que consome cada uma das suas partículas...



    [1] HARRIS, M. O Morro dos Ventos Uivantes de Emily Brontë, in 50 clássicos que não podem faltar na sua biblioteca. 2. ed. Ed. Verus: São Paulo, p. 74.

    36 Comentários :

    1. Olá!

      Uau, que resenha profunda! Achei incrível o modo crítico e a seu tempo que analisou o livro! Infelizmente ainda não tive a oportunidade de ler (o que será sanado em breve).

      Abraços!

      ResponderExcluir
    2. Belíssima resenha! Desde sempre sinto-me muito atraída por esse livro, mas ainda não o li (ainda!). Por sempre ler/ouvir coisas muito bonitas, e tristes também, a respeito dele, alimento altas expectativas e acho que dificilmente me decepcionaria, já que ele possui características que costumam me agradar nos livros.

      ResponderExcluir
    3. esse livro é tudo d bom, li por causa d crepusculo (li os livros q a bella leu) e esse sem duvida é o mais estranho kkk

      ResponderExcluir
    4. Gente,

      Eu tive que convidar a Roberta para resenhar este livro porque eu não conheço ng neste mundo que tenha tanto amor por esse casal na vida. Ela gosta tanto do livro que decorou várias partes, além de ter pesquisado toda história da autora.
      Eu li este livro e tb AMEI, mas não teria feito 1 resenha melhor do que esta :)

      Beijos,

      Carol*

      ResponderExcluir
    5. esta na minha lista, parabéns pela resenha!

      ResponderExcluir
    6. Que resenha maravilhosa, dá para senrtir a paixão da Roberta pelo livro!

      É maravilhoso quando sentimos essa ligação com um livro, ele passa a ser nossa recomendação e nosso (como você mesmo diz) amuleto!

      Gostei muito da resenha e da dica, tenho esse livro mas nunca tive tempo de ler, mas gora vou pensar com mais carinho!
      Beijos meninas e Roberta, volte sempre!

      ResponderExcluir
    7. PS: Minha capa desse livro é linda, já são tantas edições que é difícil escolher a mais bonita!

      ResponderExcluir
    8. Este livro é um clássico.
      E ficou mais famoso depois de Crepúsculo ( Bella lia este livro).
      Vale muito a pena te-lo na estante.
      Bjs

      ResponderExcluir
    9. Lenaaaa,

      Todas as dicas que dou estão na sua estante. Qdo vou acertar e ler um livro que vc leu? hahahah
      Prometo que não vou lá olhar no seu blog, quero acertar sem roubar rsrsr

      Beijos!

      ResponderExcluir
    10. MARAVILHOSO, é um dos meus livros favoritos e eu não canso de dizer isto, belíssima resenha. Quem ainda não leu, leia o mais breve possível, é lindo demais!

      Bj

      Balaio de Livros.

      ResponderExcluir
    11. Que livro maravilhoso!! Sou louca para lê-lo *-*
      Bela resenha!!
      Bjs
      Elidiane'

      Entre Amigas

      ResponderExcluir
    12. Eu estou ensaiando ler este livro, mas acabo sempre passando outros na frente. Bjs, Rose.

      ResponderExcluir
    13. Carol, uma hora você acerta e olha que já li muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuitos livros, kkk

      ResponderExcluir
    14. Parabéns pela resenha! Já li O Morro dos Ventos Uivantes e amei! Se tornou um dos meus livros favoritos! Beijos!
      http://newsnessa.blogspot.com/

      ResponderExcluir
    15. Li esse classico na minha adolescencia, ja nem me lembrava da estoria. A resenha me fez querer reler.

      Parabéns à Roberta pela excelente resenha

      ResponderExcluir
    16. Sei que muita gente não gosta desse livro, mas ele é importante pra mim pq vi o filme ainda criança, em preto e branco... Depois, aos 15 anos, fiz um trabalho de escola com ele. O mocinho sofre muito, mas deixou o exemplo de luta e persistência ante a adversidade.

      ResponderExcluir
    17. Concordo com você Suzana, esse livro toca as pessoas, em cada uma deixa uma marca!
      Eu como apaixonada não poderia deixar de lembrar do filme com um suspiro!

      ResponderExcluir
    18. Uau que super resenha, eu li quando estava no colegial..faz um tempinho rs. Eu gostei também do filme, mas o livro, mexe muito mais definitivamente, beijos.

      ResponderExcluir
    19. Roberta parabens pela resenha..que perfeita!

      Algumas pessoas reclamam bastante do livro, mas eu tenho vontade de ler. Na verdade isso aconteceu qdo estava lendo a saga Crepúsculo. Ouvia Edward e Bella falando do livro e fiquei curiosa kkkk

      (E sim, eu ja tinha ouvido falar dele antes mas nao tinha fica curiosa a respeito)

      Tenho ele aqui em casa mas estou sempre passando algum outro livro na frente! Mas depois dessa sua resenha ai ai vou colocar ele mais em cima da pilha#OBA

      Adorei o jeito como vc escrever e obrigada pela 'curiosidades' eu nao sabia sobre essa estoria do pseudônimo

      Beijo especial pra ti, super semana

      ResponderExcluir
    20. E ah... como as meninas estavam falando de capas ai pra cima olha essa que linda

      http://www.sinopsedolivro.net/capas-livros/o-morro-dos-ventos-uivantes.jpg



      A versao que eu tenho é essa aqui oh, tbem acho bonita mas acho a primeira melhor rsrs

      http://1.bp.blogspot.com/_JCHYPPsG3to/TE4ytaVXXoI/AAAAAAAAAs4/ZOqHx1-E7f4/s1600/Emily-Bronte-Morro-dos-Ventos-Uivantes.jpg


      Beijos.

      ResponderExcluir
    21. Gostei muito da resenha, sempre quis ler esse livro, e agora que sei mais ou menos como é, acho qe vale a pena ler!
      Obrigada!

      seguidora @Cleidz

      ResponderExcluir
    22. Meninas,

      muito obrigada pelos comentários positivos que vocês fizeram acerca da resenha. Acho que todas devem ler esse livro, já que nenhuma resenha poderá - jamais - substituir o olhar crítico que cada uma terá após presenciar o sofrimento de Heathcliff e sentir na pele as suas alegrias. Tenho certeza de que vocês serão inseparáveis.

      Agradeço, também, à querida Carol por ter feito esse convite. Sem dúvida, O Morro dos Ventos Uivantes é um dos meus livros preferidos. Tenho várias edições dele e vários livros sobre a literatura daquela época. Acho que é muito especial tudo isso. O gosto de todos pela leitura...

      Por isso, muito obrigada a todas. Vocês são fantásticas.

      ResponderExcluir
    23. Roberta você escreve muito bem, deve sempre postar suas resenhas por aqui!

      Meninas, convidem ela sempre!

      beijos!

      ResponderExcluir
    24. Eu nunca li o livro, mas só por esta resenha dá pra entender o enredo perfeitamente ainda mais porque a Roberta conseguiu passar muito bem o que ela sente quando lê o livro, então ficou muito boa mesmo. Porque as outras pessoas também se identificam com as interpretações alheias.
      Mandou muito bem Roberta!

      ResponderExcluir
    25. Ei Jonatas, embarque nessa viagem, a resenha está ótima e o livro é lindo!

      ResponderExcluir
    26. Ótima resenha, li esse livro a tanto tempo não lembro mais dos detalhes, mas quero reler em breve.

      Adorei os detalhesda resenha, muito bem feita!

      Parabéns!

      Beijos

      ResponderExcluir
    27. Roberta sua resenha me fez querer mesmo ler o livro. Vc teve o dom de passar pra gente na sua resenha sua paixao pelo livro. Parabens de verdade pelo excelente texto.

      beijos

      ResponderExcluir
    28. Minha amiga esta lendo...rsrs No começo ela disse que o livro era bem devagar kkkk

      Mas depois que mandei essa resenha pra ela a bichinha reanimou e agora vive 'quotando' coisas no twitter! Esta se derretendo pelas falas dos personagens kkkk

      Vai entender leitor :)

      beijos

      ResponderExcluir
    29. Uau! Que resenha ótima!
      Estou há tempos querendo ler esse livro e essa resenha só me deixou com mais vontade ainda!
      O modo como você falou do livro aumentou minha curiosidade!
      Preciso ler esse livroo!!!

      ResponderExcluir
    30. REALMENTE fABIANA, AS VEZES BASTA APENAS UMA ÓTIMA RESENHA PARA INCENTIVAR O LEITOR A DAR MAIS UMA CHANCE A UM BOM LIVRO!

      ResponderExcluir
    31. Pois é pensei EXATAMENTE a mesma coisa qdo ela mudou de ideia sobre a leitura!

      Esse resenha da Roberta 'salvou' a leitura da minha amiga pq é fato ela já ia abandonar o livro!

      Então obriga Roberta por ter feita uma resenha tão estimulante :)

      Beijos

      ResponderExcluir
    32. Impressionantes são os sentimentos profundos em relação à história que a Roberta nos faz sentir quando tece seus comentários a respeito desse livro.

      Parece que ela incorporou a Emily Brontë, tendo escrito com o mesmo estilo literário, só que em português. Que língua rica o português que permite que essas emoções fluam através de palavras!

      Parabéns a Roberta por ter transformado a escuridão do romance gótico em um comentário igualmente emocionante, porém luminoso.

      Dá-nos vontade de ler (ou reler) este livro!!

      ResponderExcluir
    33. Fabiana,

      espero que a resenha tenha colaborado com a avidez pelo romance; e, se não, fica a minha tentativa expressa para que você leia esse livro: ele é verdadeiramente fantástico.

      De fato, o início é um pouco monótono, mas é nele que tudo começa. É quando a história começa a se desenrolar e que tudo faz sentido. Na minha primeira leitura, eu não havia percebido como, de fato, tudo é tão perfeito; só numa segunda. Então, espero que você possa ler o livro e sentir, por você mesma, cada uma das muitas emoções do livro... Eu o li de tanto o Markus Zusak (A Menina que Roubava Livros; Eu sou o Mensageiro) o citar. E depois, acabei nos braços de Crepúsculo, o que acabou por causar efeitos perfeitos.

      Espero que o seu deleite para com a leitura seja fantástico e que você conheça um outro lado dele: talvez você mesma.

      Boa leitura e obrigada pelos comentários. Significaram muito para mim!

      E, ah, sobre leitures mudarem de idéia: acho que isso é extremamente comum; isso porque nós estamos aptos de sermos convencidos por outrem. Eu, pelo menos, sempre mudo de idéia e adoro quando minhas amigas (a Carol especialmente) me convencem a enxergar um outro lado no livro.

      *

      Hikari, espero ter realmente contribuído para a sua leitura! Acho que você vai gostar muito, já que a escrita da Emily é muito mais intensa do que a minha - nunca li algo tão psicologicamente atormentador; nem Dostoievski. Acredito que você e os Morros compartilharão esse desejo. Mas atenção à edição que você comprará, pois algumas pecam na tradução. Eu gosto muito da Landmark (Bilíngue), mas aquela dos Clássicos da Abril também é muito boa, bem como o preço.

      *

      Jonatas: acho que você deve se deixar aprofundar nesses Morros... tenho certeza de que eles não o decepcionarão. =)

      *

      Leninha, muito obrigada pelo carinho e pelos comentários. A Carol e a Gabi é que mandam por aqui, então só aparecerei quando for novamente convidada, né... hahaha. =) De qualquer jeito, obrigada pelo carinho. Significa muito pra mim.

      *

      Bruna, espero que releia o livro em breve. A sua maturidade e a sua percepção já se transformaram desde a sua última leitura - e, garanto, numa próxima, será completamente diferente. Obrigada!

      *

      No mais, obrigada pelos comentários, de novo!
      A discussão sobre esses Morros poderia ser ad infinitum, mas uma boa dose de mistério também está no ar... Afinal, o que Heathcliff fez naqueles 3 anos??? Há, até, livros sobre isso, mas não me atreveria a ler. É bom ficar à margem às vezes. E essa é uma das vantagens da Nelly como narradora. =)

      ResponderExcluir
    34. Roberta...

      Então, eu tive vontade de ler por causa da saga Crepúsculo mesmo :) daí comprei o livro.

      Por um 'livro' ou por outro sempre vou empurrando a leitura e acabou que até hoje não consegui ler kkkk

      Qdo li sua resenha mandei pra minha amiga e ela acabou se animando novamente! Olha o tamanho do seu poder de persuassao nessa resenha :P

      Enfim, assim que começar a ler dou um jeito de vir aqui comentar.

      beijo grande pra você e obrigada pelo carinho

      ResponderExcluir
    35. A resenha ficou muito bem escrita, mesmo =) E acho que esclarece com profundidade alguns pontos chaves do livro, e com bastante sentimento... Tá de parabéns, mesmo ^^

      ResponderExcluir
    36. é um livro muito intenso,nos leva do odio ao amor pelos personagens.É simplismente maravilhoso.

      ResponderExcluir