• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Anuncie
  • Resenhas Novas

    Clássicos #06 O sofrimento do Jovem Werther


    Os leitores devem estar pensando: “Ai, mais um livro clássico nesse blog. Será que essas garotas não têm um romance ou um suspense atual para resenhar, não?” Prometo que minha cota de clássicos este mês acabou, mas é que quando encontramos um livro diferente temos que devorá-lo e extrair tudo que podemos aproveitar da história.
    Confesso que não conhecia o autor alemão J.W.Goethe, mas me surpreendi com sua forma de narrar a história através de cartas a amigos. No início da leitura pensei que o jovem Werther estava escrevendo em um diário, mas logo percebi que havia outra pessoa recebendo as cartas e as respondendo. De fato é uma história interessante e um tanto quanto melancólica por retratar um amor platônico impossível (na cabeça do personagem) de acontecer.

    Sinopse:
    O jovem Werther apaixona-se por Lotte. Embora noiva de Albert, Lotte aceita a corte de Werther. Ao conhecer o noivo, Werther se afasta, indo trabalhar num ministério, mas acaba pedindo demissão e volta a viver perto de Lotte, que a esta altura já casara com Albert. Desconfiado de que o amor de Albert por Lotte não é profundo, Werther acaba se desentendendo com ele.

    Mulher sofrer por amor sempre foi mais comum na história da humanidade do que o contrário, então ver Wether sofrendo calado por Charlotte, filha do magistrado, dá certa agonia e vontade de entrar no livro só para dar umas sacudidas  no jovem. Mesmo com essa inversão de valores o que mais encanta na história é a inteligência e a perspicácia do personagem principal para com a sociedade. Suas teorias sobre o amor ser uma doença muito séria que deveria ser tratada como uma enfermidade fatal e não como algo passageiro  nos deixa uma  pulga atrás da orelha : E se déssemos mais importância a quem sofre tanto por amor?
    Assim como o personagem principal existem muitos homens ,hoje, desenvolvendo certa sensibilidade e amabilidade diferente da que esperamos deles. Por isso não achei tão estranho nem confuso quando li os conflitos amorosos de Werther e me encantei com suas lágrimas várias vezes derramadas por ouvir uma boa música, por ver uma linda paisagem e sua gentileza para com as pessoas de seu circulo social.

    Citando sociedade, nota-se através de suas ações, que Werther não se sente bem convivendo na alta aristocracia e nem na burguesia. O jeito como os mais ricos consideram os demais impuros e anormais irrita o jovem que não consegue viver em outro ambiente a não ser perto de sua amada, a única que parece entender o rapaz.
     Existe também certa arrogância do personagem em algumas partes da história, mas sua inteligência e emotividade caminham tão juntas que é impossível não adquirir um carinho especial pelo jovem. Muitos leitores se indentificam com o sofrimento, mas eu gostei tanto de suas tiradas que guardei todas em um caderninho rs
    Outra questão muito boa foi o mau humor que naquela época era considerado um estado quase enfermo. Se o homem estava neste estado o melhor era deixá-lo repousar em paz. Em resposta a essa afirmação Werther nos deu de presente uma belíssima explicação:


    Ora, nada me irrita mais do que ver homens se atormentando uns aos outros, sobretudo quando são jovens na flor da idade que, em vez de se entregar a todas as alegrias, estragam, com tolices, esses poucos dias bonitos, e só demasiado tarde percebem o irreparável desperdício.


    Acho que não preciso dizer mais nada, né! Quantas vezes não nos deparamos com pessoas que se lamentam o tempo todo e sempre estão de mau humor. Pois bem, Werther deu uma solução. Apesar de sinceramente não poder ser exemplo para ninguém o personagem tem sacadas fantásticas que fazem o livro ser tão valioso e clássico.
    A linguagem é fácil e às vezes até bucólica demais, porém eu recomendo a leitura tanto para quem quer conhecer o modo narrativo de um diário quanto para quem deseja conhecer melhor os homens, porque de uma forma ou de outra você aprende com o sofrimento e passa a ver o Homem como um ser humano, que chora,sorri,degusta uma boa música e tem sensibilidade.
    Só para terminar dizem que este livro inspirou milhares de alemães a cometer um ato chave para a trama e com isso marcou o início do romantismo no país.





    17 Comentários :

    1. uau, um clássico que eu não conehcia, mas que com certeza se o tivesse leria!

      Parace ser daqueles que mechem com a gente e se serviu de inspiração para um "Ato Chave" ui, fiquei curiosa!

      Adorei a resenha, deu vontade de ler e Carol, não se importe se falarem sobre vc resenhar clássicos, precisamos de variedade, o mundo não é feito apenas de lançamentos, tem muito livro bom pelas estantes esquecido e que precisam ser lidos!

      Esse com certeza deve se um deles!

      Amei!

      ResponderExcluir
    2. hahaha obrigada Lena.

      Normalmente o povo fala sobre o ato chave, mas eu fiquei tão pê da vida qdo minha amiga me contou o que era antes mesmo de eu ler que resolvi não falar nada! rs

      bjos

      ResponderExcluir
    3. Carol,

      acho que essa resenha diz absolutamente tudo. Goethe é filósofo e literato. Nesse caso, juntou as duas coisas e dessa união surgiu Werther, que sofre tanto por seu amor impossível.

      O contexto alemão e tudo o que dali decorreu foi muito importante para a época, o que acarretou na importância do livro nos dias de hoje.

      Também acho que há inúmeras críticas sócio-econômicas por detrás dessas cartas. E isso é maravilhoso.

      Clássicos são sempre ótimas escolhas.

      Esse livro é muito citado em filmes (500 day of Summer, por exemplo) e em livros (Gossip Girl). peguei dois exemplos inusitados, eu sei, mas é interessante ver como os clássicos podem estar em todos e em nenhum lugar... :P

      Beijinhos.

      ResponderExcluir
    4. Essa história é super famosa! Tenho muita vontade de conhecer esse clássico da literatura alemã!

      ResponderExcluir
    5. Há eu gosto muito de clássicos, por mim pode resenhar quantos quiser, esse eu não conhecia, mas me interessei pelo livro, ainda não li nenhum clássico da literatura alemã, ainda estou nos ingleses e franceses.
      Vou colocar na minha lista no Skoob.
      Beijos

      ResponderExcluir
    6. Amo Goethe!!!!!Esse livro é um dos que mais quero ler mas ainda não consegui comprá-lo =(. Adoro a história de vida desse Don Juan huahuahua arrasava corações pensaaaa rs. Gostei muito da resenha e do fato de vc ter gostado do autor. Adoro literatura clássica, amei a resenha.^-^

      ResponderExcluir
    7. Infelizmente ainda não tive oportunidade de ler nada do autor, mas foi bom conhecê-lo atraves da sua resenha Carol.

      E bom, de minha parte nao tenho problema algum em ler resenha de classicos. :)

      E a leitura parece ser interessante heim? Essa troca de 'lugares' em se tratando de sofrimento por amor no livro me deixou bem curiosa!

      Parabens pela resenha, beijos

      ResponderExcluir
    8. Amo os clássicos!
      Continue a resenhá-los, porque essa leitura me encanta muito!! Gostei da sua resenha, deu vontade de lê-lo!! *___*
      Bjs
      Elidiane'

      Entre Amigas

      ResponderExcluir
    9. Gosto muito de clássicos, mesmo que ão tanto de Goethe. Acho que ele tem uma narrativa pesada e demanda paciência para ler. Prefiro outros autores alemães.
      Mesmo assim é um livro que devia figurar em todas as estantes.
      Bjkas!
      Monique Martins
      MoniqueMar
      @moniquemar

      ResponderExcluir
    10. Não conhecia o autor mas parece ser um bom livro. A resenha foi bem positiva!

      beijinhos

      ResponderExcluir
    11. Eu amooo esse livro! É um dos meus favoritos *-*
      Os sentimentos são expressos de forma tão profunda!
      Sua resenha ficou ótima! Deu até vontade de reler. =D

      ResponderExcluir
    12. Gente sebo aqui em BH é uma coisa seria! #mimimi eu sinceramente evito de ir pq né? Vc vai a procura de um livro e acaba levando mais 4 pra casa 0.O

      Compulsao é mato!


      Mas esses classicos assim é muiiito dificil de achar por aqui. Isso sem contar que geralmente custam uma nota preta! #choro

      ResponderExcluir
    13. Fabi, clássicos assim custam caro?

      Procura em pocket. COmprei 1 ontem da Lpm por 6,80 na Fnac e com frete grátis!!

      Monique,

      eu concordo com vc. A leitura "aparenta ser leve" mais o tema principal é tão chocante, tão profundo que demanda sangue frio. rsrs

      Lena,

      Deixa de herança seus livros para mim?! ahuahauah Tem tudoooooo

      Beijos

      ResponderExcluir
    14. Aqui em BH é uma tristeza de achar esse tipo de livro, mas vou dar uma voltinha na FNAC daqui. Se bem que nesse momento não é uma boa ideia entrar em livraria kkkkk


      Mas obrigada pela dica Carol, arrasou :)
      Vou procurar versoes pocket dos classicos \o/

      Beijos e obrigada pela atençao e carinho pra responder viu? Vc é muito fofa :)

      ResponderExcluir
    15. Carol, bem que eu queria pelo menos te apresentar aos meus livros, espero que na sua vinda aqui em Brasilia vc tire um tempinho para vir aqui em casa e desfrutar do meu espaço, tão especial!

      Te espero!

      ResponderExcluir
    16. Eu fico aqui imaginando o tamanho da estante da Leninha :)

      Gente...#vergonha, eu guardo mesu livros no armario :(

      ResponderExcluir