• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Anuncie
  • Resenhas Novas

    Clássicos - As Virgens Suicidas-Jeffrey Eugenides


    Recebi este livro do livro viajante ( um grupo de leitores que compartilham livros no skoob) e gostei bastante da narrativa. O título não esconde nada e vai direto ao ponto: 4 adolescentes cometeram suicídios na época em que esta prática estava em alta nos Estados Unidos. Sinceramente, não me senti muito a vontade ao pega- lo para ler, porque suicídio é um assunto muito forte e polêmico. Quando acontece com jovens ,então, achei que fosse chorar o livro todo ou  rejeita-lo nas primeiras páginas. Entretanto, qual foi a minha surpresa ao descobrir que a história é contada por um grupo de garotos apaixonados pelas irmãs virgens, ou melhor, irmãs Lisbon, que recolheram provas durante vários anos para descobrir o motivo dos suicídios.

    Sinopse:
    Ao contrário do que possa parecer, este livro é tudo, menos triste. Ele conta uma história cruelmente divertida vivida no auge da adolescência. No período de um ano, cinco jovens irmãs cometem suicídio. Um grupo de meninos vizinhos, obcecados pelas mortes, chega à meia-idade com um museu de evidências, que vão de diários a roupas das garotas. Mas, mesmo depois de vinte anos, estes homens ainda encontram dificuldades para compreender aquelas almas femininas. Apresentando uma espécie de tragédia grega passada num subúrbio americano dos anos 70, Jeffrey Eugenides dá à vida cotidiana uma dimensão teatral, em que horror, mistério e humor se misturam para retratar a perda da inocência.
    As virgens suicidas, publicado em 1993, é o primeiro romance de Jeffrey Eugenides. O autor foi saudado por toda a crítica como uma das grandes vozes da jovem literatura americana, e o livro ganhou tradução para quinze idiomas. Em 1999, foi adaptado com grande sucesso para o cinema por Sofia Coppola, em seu elogiado longa de estréia.

     De uma forma bem intrigante e cômica o autor conseguiu tornar um tema fúnebre e tensa em algo sensacional e agradável de ler. Ao logo da narrativa, descobrimos as preferências das meninas, a prisão familiar em que vivem ,seus desejos, suas paixões. Lembrando que tudo isso é feito sobre os olhares e as espiadinhas dos meninos que sempre davam um jeito de passar por perto da casa das Lisbon.


    Outras questões que também podemos encontrar no livro são as particularidades femininas e o que os meninos pensam sobre as meninas na adolescência. Claro, o livro se passa no século passado, então algumas coisas podem estar fora da moda, mas garanto que muita situação continua atual e foi bem engraçado ver as indagações masculinas acerca de nosso sexo. Isso sem falar na forma que alguns personagens se dirigiam ao sexo . Com muito pudor, mas ao mesmo tempo descontrolado.

    "De acordo com o Sr. Lisbon, há muito questionava a rigidez da mulher, sabendo no seu coração que garotas proibidas de dançar só atraem maridos pálidos, de peito encovado. "


    O detalhe também foi um ponto que marcou bastante e enriqueceu a narrativa tornando-a leve, porém profunda. Creio que se fosse superficial e sem contextualização o livro seria pesado e não seria um clássico da literatura americana. Gostei muito da escrita e considero o autor genial por ter mexido em um tabu com maestria e muita capacidade.

    Valeu a pena esperar por este livro no Livro Viajante. Para quem quiser saber mais é só assistir o filme ou compre o livro. Recomendo!

    Ps: As virgens suicídas foi o primeiro filme que Sofia Copolla fez, então já deu para notar que o livro é muito bom!







    10 Comentários :

    1. Eu conhecia o filme, mas não sabia que era baseado em um livro!
      Realmente, sendo dirigido pela Sofia, só pode ser bom!
      O autor deve ter sido genial mesmo em conseguir tocar em um assunto pesado de maneira tão agradável, fiquei com muita vontade de ler!
      Beijos e adorei a resenha!

      ResponderExcluir
    2. Adoro suas resenhas Caroool!

      U.U

      ResponderExcluir
    3. Hum... Parece ser um livro bem interessante. Afinal, clássico é clássico! Beijos!

      ResponderExcluir
    4. Ei Carol...

      Amiguinha gostei da resenha mas não faz muito o meu genero. Com certeza vou me aventurar a ver o filme um dia desses, dai quem sabe me animo né? :)

      Adorei essa estoria do 'Livro Viajante' no skoob. Queria tanto ter 'sabido' disso antes pra poder entrar na viagem do seu #chora
      Espero que vc coloque Gabi na estrada novamente pra eu poder pegar carona rsrs

      beijos e parabéns pela resenha :)

      ResponderExcluir
    5. Nossa, nunca tinha ouvido falar, Carol!
      Mas fiquei curiosa!
      Gente, tem até filme??? Nooosssaaaaaa!!!! #pasma!

      ResponderExcluir
    6. Ui que diferente e tem até filme!
      Só pelo título já dá para ter uma ideia realmente do que se esperar.
      Gostei do mote, amei sua resenha e com certeza, esse seria um livro que eu leria na boa. Dica super anotada!

      ResponderExcluir
    7. Não conhecia o livro e nem o filme, mas gostei da resenha, achei um livro bem diferente do que estou acostumada a ler! Vou procurar o filme pra assistir tb, o tema é realmente forte, mas pelo que vc disse a história se torna leve e intensa ao mesmo tempo, fiquei curiosa!

      ResponderExcluir
    8. Olá Carol!
      A sinopse me pareceu bastante curiosa. É dificil imaginar um livro que trata da temática suicídio não ser triste. Chamou minha atenção.

      Abraços!

      ResponderExcluir
    9. Nunca tinha ouvido falar desse livro, não é exatamente o tipo de livro que gosto, mas quem sabe né.

      Beijos

      ResponderExcluir
    10. Gostei do comentário. O livro é realmente ótimo, foi incrível como não consegui largar ele até terminar.

      ResponderExcluir