• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Anuncie
  • Resenhas Novas

    Clássicos : O grande Gatsby - F. Scott Fitzgerald



    Livro  do mês do clube de livros clássicos Niterói - São Gonçalo.
    Finalmente terminei de ler este livro! Eu enrolei um pouco, porque livros clássicos demoram para entrar na cabeça e a leitura muitas vezes é bem monótona. Com este livro não foi diferente, até chegar ao meio da história, me senti como um caminhão empurrando entulho para longe até ficar tudo limpo e pronto para a empolgação. Creio que a falta de costume com os capítulos enormes me deixou cansada e atrapalhou minha leitura, mas nada alarmante visto que os leitores de hoje convivem com estruturas de livros diferentes das de antigamente.

    Sinopse: Obra-prima de Scott Fitzgerald, O Grande Gatsby é o romance americano definitivo sobre os anos prósperos e loucos que sucederam a Primeira Guerra Mundial. O texto de Fitzgerald é original e grandioso ao narrar a história de amor de Jay Gatsby e Daisy. Ela, uma bela jovem de Lousville e ele, um oficial da marinha no início de carreira. Apesar da grande paixão, Daisy se casa com o insensível, mas extremamente rico, Tom Buchanan. Com o fim da guerra, Gatsby se dedica cegamente a enriquecer para reconquistar Daisy. Já milionário, ele compra uma mansão vizinha à de sua amada em Long Island, promove grandes festas e aguarda, certo de que ela vai aparecer. A história é contada por um espectador que não participa propriamente do que acontece - Nick Carraway. Nick aluga uma casinha modesta ao lado da mansão do Gatsby, observa e expõe os fatos sem compreender bem aquele mundo de extravagância, riqueza e tragédia iminente.


    Cada capítulo do livro tinha em média 23 longas páginas que muitas vezes me deixaram perdida na história. Não achei a descrição dos personagens e o desenvolvimento do texto envolventes e de qualidade. O livro é sobre Gatsby, mas quem narra é um vizinho que  virou seu amigo.Para mim este tipo de narrativa deixou lacunas, porque não era um narrador íntimo do personagem principal,visto que eles se conheciam há apenas três meeses, então muitos sentimentos ficaram de fora.
    Na sinopse da versão que li, diz que o livro trata-se de uma história de amor entre Gatsby e uma moça. Sinceramente eu não vi amor nenhum, muito menos um desenrolar de um romance. Vi um casal que se separou por conta das classes sociais e voltaram a se encontrar as escondidas. Ponto final. Como disse, é difícil contar uma história quando o narrador observador não se envolve tanto com os personagens. Achei uma narrativa fria com poucos momentos de emoção, mas totalmente sem sal.
    Sinceramente, creio que este livro virou clássico porque contou um pouco da America dos anos 20 e do glamour da época. Só que o romance foi tão sem graça que me pareceu um cometa desconhecido. Apareceu no céu, mas ninguém fez questão de notar. Por isso que eu continuo batendo na tecla, romance que envolve homem e mulher escrito por homens é uma coisa complicada. Não sei por que, mas os homens conseguem pegar um enredo romântico super dramático e transformar em um arroz sem sal e papudo.
    Talvez eu tenha lido Jane Austen e Emily Brontë demais e não consiga ler romances clássicos como uma coisa normal. Faltou romantismo, faltou amor, faltou atitude dos personagens, mas apesar disso tudo o final da história foi emocionante e a “lição de moral – pobre- burguês tem mais valor do que rico-esnobe” até que foi interessante.
    O enredo para mim foi algo tão comum que não me despertou interesse. Ler sobre ricos que dava festas glamurosas, mulheres que se vestiam com glamour e traição conjugal para mim é algo tão rotineiro que não me deixou empolgada. Eu posso estar enganada, mas o autor poderia ter recheado mais a história.
    Gostei do livro em si, a história é interessante, mas para os leitores brasileiros que gostam de algo mais quente e romances com mais contato, creio que deixou a desejar. Recomendo a leitura, mas não esperem um romance. Leiam despreocupados e arrumem fôlego porque os capítulos são intermináveis.
    Ps: Muita gente fala muito bem deste livro, me sinto como um peixinho fora d`agua, mas como uma boa leitora de romances e fã incondicional de Jane Austen, não posso ler Gatsby e não criticar o fato deste livro ser um clássico. E o povo ainda critica os autores nacionais...