• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Anuncie
  • Resenhas Novas

    Menina de Vinte - Sophie Kinsella





    Maravilhoso! Maravilhoso! Como pude ficar tanto tempo evitando ler algo de Sophie Kinsella? Eu sabia desde o primeiro contato ocular com o livro que eu ia amá-lo. A capa me deixou louca, porque contém todas as cores que eu amo, fora que o designer gráfico é lindo. Estou chocada até agora com o chick lit, que para mim é mais do que uma leitura divertida, para mim chick lit é a leitura das situações femininas verdadeiras.

    Sinopse

    Lara Lington sempre teve uma imaginação fértil. Agora ela começa a se perguntar se está ficando maluca de vez. Meninas normais de vinte poucos anos não veem fantasmas, né? Pelo menos era o que ela pensava até o espírito da tia-avó Sadie, que foi uma jovem dançarina de Charleston com ideias avançadas sobre moda e amor, aparecer misteriosamente com um último pedido: Lara precisa localizar um colar que foi dela por mais de 75 anos. Só assim tia Sadie poderá descansar em paz. Além de encontrar a joia, Lara tem que lidar com probleminhas do dia a dia: a sócia foi curtir um romance em Goa, sua empresa está afundando e ela acabou de ser abandonada pelo homem “perfeito”. Nesta divertida história, Lara e Sadie são duas meninas de vinte bem diferentes que vão aprender a importância dos laços familiares e da amizade.

    Na maioria dos chick lits lemos sobre algo esquisito e às vezes comum que a protagonista fez  e sempre pensamos: “ Nossa eu já passei por isso” ou “ Isso poderia muito bem acontecer comigo”.  Estou falando assim, porque muita gente classifica os chick lits como leitura divertida de mulherzinha e não é! Chick lit é leitura divertida e REAL de mulherzinha! Capiche?

    Menina de Vinte conta a história de duas personagens de épocas diferentes e o modo como elas interagem é hilário e muito interessante. Apesar de ser médium, Lara leva numa boa a aparição do espírito de sua Tia avó Sadie. Digo numa boa, porque ela não surtou, se fosse eu surtava certamente! O romance entre Lara e fulaninho também é muito fofo e inesperado, nunca tinha visto algo tão singelo e eletrizante ao mesmo tempo.

    O livro é bem direto, a leitura flui daquele jeito que nos deixa acordados a madrugada toda, a diagramação é ótima, apesar de o livro ser grande e ter pesado muito. Acordei com o pulso doendo de tanto carregá-lo. Este é um tipo de livro que gostaria de ter lido em e-book, mas ainda bem que não o fiz, porque senão, não perderia a chance de ficar olhando o tempo todo para a capa, que é linda! Não me canso de elogiar, o trabalho foi muito bem feito.

    Não encontrei muitos erros de português, só alguns de digitação, mas nada que comprometesse a leitura. Livro estrangeiro quase não tem erro, pelo menos os chick lits que eu leio. As editoras podiam estender a qualidade da revisão ortográfica para os livros nacionais, né? Parece até que eles querem “queimar” a literatura nacional e exaltar a internacional. Será? Rs

    Melhor personagem do livro: Sadie Lancaster. A tia avó de Lara dá um show a parte e no final ser torna uma pessoa imortal.

    Pior personagem: Bill Lington. Ô bicho ruim e ambicioso!

    O show a parte fica por conta dos modelitos criados por Sadie e da riqueza de detalhes das roupas de Sadie da década de 20. Fiquei só me imaginando em um baile daquela época!

    Super Recomendo a leitura!

    Beijinhos,

    Bom Carnaval à todos!