• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Anuncie
  • Resenhas Novas

    Os Gêmeos - Crônicas de Salicanda - Pauline Alphen



    Título: Os Gêmeos
    Título original: Les Éveilleurs
    Autor: Pauline Alphen
    Ano de publicação: 2011 (original de 2009)
    País de origem: França
    Tradução: Dorothée de Bruchard com colaboração de Pauline Alphen
    Editora: Companhia das Letras – 367 páginas

    As Crônicas de Salicanda me pegaram de jeito. Eu estava em um ritmo acelerado de leitura por semana, mas não consegui ler este livro em dois dias. Primeiro reclamei das letras que são pequenas em comparação com outros livros da Companhia, depois reclamei do tamanho do livro que nem é tão grande assim, mas eu queria mesmo era arrumar um motivo para fugir da história que me consumiu diariamente.

    Cada trecho que lia mais encantada eu ficava. Era como vício que você quer parar porque não agüenta mais ou então quer acelerar porque tem pressa, mas não consegue. A leitura é tão envolvente e diferente que você não consegui sair dessa rede de aventuras e descobertas que Pauline criou em seu NOVO mundo.

    Sinopse:
    Claris e Jad são irmãos gêmeos tão inversos quanto idênticos. Compartilham sentimentos e pensamentos, mas enquanto Jad tem um coração frágil e sofre de enxaquecas terríveis, condições que lhe impedem de passar muito tempo ao ar livre, Claris é uma garota cheia de vida, destemida, que sonha em viver grandes aventuras. Aventuras como as que lê na Torre dos Livros, onde seu melancólico pai vive enfurnado desde o sumiço da mulher; aventuras como aquelas que a mãe lia para ela; aventuras como as que Jad, com seus problemas de saúde, não pode experimentar. Eles vivem em uma aldeia chamada Salicanda, em um castelo cravado num vale isolado por uma cadeia de montanhas e encharcado por uma chuva fina e incessante, com o pai, Eben; um preceptor, Blaise; e a ama, Chandra. A mãe, Sierra, desapareceu em uma noite de temporal, no dia em que os gêmeos completavam três anos, deixando a família despedaçada e muitas perguntas no ar. Claris, que divide o tempo entre os livros, as aulas de esgrima e as cavalgadas na floresta, anda obcecada com a ideia de que as aventuras são sempre protagonizadas por meninos - o que ela acha extremamente irritante. Mas está enganada, pois vai viver uma aventura e tanto ao lado do irmão. À procura de respostas para os mistérios que envolvem o sumiço da mãe, a história de Salicanda e os dons sobrenaturais que parecem ter herdado de Sierra, os gêmeos vão ultrapassar as fronteiras do castelo onde vivem e também do seu mundo: aquele da infância dos dois, o de um passado que eles desconhecem.

    Como já havia dito na caixinha postal, a capa é linda e super misteriosa, as páginas amarelas dão um charme a parte e no final uma espécie de “glossário” organiza melhor as ideias na cabeça do leitor. Porque são muitos detalhes e fatos novos que surgem no livro. Se você não parar para digerir a ideia, você se perde e depois para voltar é complicado. Por isso me envolvi tanto com a história. Eu, literalmente, senti o livro em minha pele. Fiquei arrepiada com as metáforas sobre a escrita e maravilhada com alguns conceitos atuais apresentados de uma forma bem singela e marcante.

    “Estou falando como se estivesse escrevendo, examinando os horizontes descortinados por cada palavra...” pág.108
    “Acrescentará que querer achar soluções rápidas era uma mania tipicamente masculina, e que as mulheres sabiam havia muito tempo que certas perguntas não pedem resposta.” pág.128

    Pauline deu um nome a figura do escritor no livro que me fez refletir bastante. Ela chamou os escritores de Nômades da escrita, que vivem viajando, conhecendo outros horizontes, convivendo com a solidão e observando tudo a sua volta. Gente, combina demais! Pode parecer simples para quem lê de fora, mas no livro faz todo sentido. É mágico!

    O livro é profundo apesar de os personagens serem adolescentes e da história girar em torno dos gêmeos e da cidade de Salicanda. O personagem que mais gostei sem dúvida foi a Claris, que apesar de ser bem masculina tem um jeito singelo de ser feminina. Ah, a Chandra também dá um show de amor e carinho à parte. Vale a pena ler só para ficar com saudades da infância  de quando a mamãe fazia bolos e guloseimas!

    A autora criou um mundo particular em cima do nosso mundo atual. Como a história se passa em alguns séculos depois do nosso e a vida volta a ser como na época medieval, me peguei pensando muito sobre toda essa tecnologia que nos cerca e ao ver como os personagens viviam bem sem televisão e computador, pensei em dedicar mais tempo do meu dia aos livros e largar o vício em séries. (Não é, Gossip Girl?!)

    Pauline Alphen é brasileira, mas mora na França há muitos anos. Conversei com ela por esses dias e montei uma super entrevista que será publicada no final do mês! Aguardem novidades, pois este é apenas o livro 1 da série. Ainda vem muito mais por ai!

    Perfil do livro no Skoob: Os Gêmeos