• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Anuncie
  • Resenhas Novas

    O Atlas Esmeralda - John Stephens




    Adorei o livro! Quando soube da história, só me interessei mesmo porque descobri que o autor era produtor executivo de Gossip Girl e como amo a série, o livro tinha que pelo menos ser bom, mas ele é mais do que isso, é ótimo.  A capa é bonita, interessante e chamativa, mas a contracapa  rouba a cena com um mapa lindo das cidades citadas no livro.


    Sinopse:
    Há dez anos, numa noite de inverno, os irmãos Kate, Michael e Emma foram tirados de suas camas às pressas, perseguidos por criaturas estranhas e levados para longe de seus pais, os quais nunca mais viram. Desde então, os três passaram todo esse tempo vivendo em vários orfanatos sem saber o que de fato aconteceu naquela noite. Kate, a mais velha, é a única que tem lembranças dos pais, a quem jurou proteger seus irmãos a todo custo até que a família estivesse reunida novamente; Michael, o do meio, adora o mundo dos livros e histórias de magia e é sempre alvo de implicância dos garotos mais velhos; e Emma, a mais nova, é uma verdadeira encrenqueira, mas de grande coração. Quando chegam a uma mansão abandonada, os irmãos encontram um atlas encantado que os faz viajar no tempo e os leva para uma terra habitada por gigantes, anões, lobos famintos, crianças prisioneiras e uma condessa que é a fonte de todo o Mal. Assim, as crianças que apenas buscavam o paradeiro de seus pais acabam tendo que salvar o mundo.

    O livro é juvenil, tem uma linguagem simples, divertida, mas um vocabulário dividido entre o formal e o informal. Toquei neste assunto, porque existem livros juvenis que abusam do vocabulário informal do cotidiano e este livro por conter uma grande aventura e ter passagens de tempo, usa mais uma linha de palavras formais. 

     Kate, Emma e Michel são irmãos e lutam pela sobrevivência desde que foram abandonados na infância em um orfanato. O início da história é um pouco monótono e demora mesmo para o leitor pegar um rítmo bom de leitura. Todo começo de história fantástica, em que tudo é novo, é um pouco cansativo, afinal o diferente, na maioria das vezes, é surpreendente. Por isso, gostei muito quando os irmãos chegaram a Cambridge Falls e descobriram um universo paralelo de magia.

    O atlas esmeralda me pareceu um pouquinho de todos os livros juvenis de aventura que já li com uma pitada de seres mitológicos pouco explorados, tais como, os anões que eu sempre considerei os mais chatos, porém, após a leitura fiquei apaixonada por eles. Para quem leu Jogos Vorazes, os Gritões se parecem com os bestantes, mas isso é só porque li Jogos antes senão pensaria o contrário.

    Os irmãos tem muita afinidad. Foi encantador, ler sobre o amor que eles têm um pelo outro e a coragem que tiveram para enfrentar os problemas mágicos e da vida. Isso fez com que a história mesmo sendo fantástica, nos levasse sempre para a realidade. Gostei dessa mistura e preciso destacar que o rítmo de leitura, do meio para o final, é acelerado. Tanto pela curiosidade, quanto pela narrativa dinâmica.

    Alguns detalhes me incomodaram bastante durante a leitura. A diagramação não ficou muito boa, pelo menos em minha opinião. Achei as margens pequenas e a letra do título pequena e escondida no início da página. Tinha vezes que terminava um capítulo e nem percebia, porque ficava difícil de enxergar o título, se não fosse pelos desenhos de cada capítulo eu teria ficado perdida.

    Fora isso, o livro é bom e recomendo a leitura!

    Assistam o booktrailer.








     Beijinhos,