• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Contato
  • Resenhas Novas

    @mor - Daniel Glattauer



    "Você quer vir aqui? A gente simplesmente apaga a luz. Não precisa se ver, Emmi. Eu fecho os olhos. 
    [...]
    Estou bebendo a nós. Já estou um pouco bêbado. Mas não muito. E agora é a sua vez de novo, escreva para mim, Emmi. Escrever é como beijar, só que sem os lábios. Escrever é beijar com a cabeça."
    Página 76






    @mor (188 páginas, editora Suma de Letras) causou um verdadeiro rebuliço na blogosfera literária e como boa bookaholic claro que fiquei roendo as unhas de curiosidade e, ao mesmo tempo, receosa sobre o que iria encontrar.

    Diferente dos romances aos quais estamos acostumados, Daniel Glattauer traz uma proposta totalmente inovadora em @mor. Epistolar e moderno, o livro retrata o romance entre Leo e Emmi, dois desconhecidos que, após um email por engano, passam a trocar mensagens virtuais, aproximando-se cada vez mais.

    Nasce então uma amizade que logo cede lugar para um relacionamento esquisito (sim, esquisito). Os dois não se conhecem pessoalmente mas se correspondem todos os dias. São amáveis e ao mesmo tempo grossos. Vivem brigando (e muito) e agindo como um casal normal, com cobranças em determinados momentos, ciúmes e expectativas.

    Emmi me pareceu um pouco chata e volúvel durante a maior parte do livro e confesso que torci um pouco o nariz para as atitudes dela. Não posso me aprofundar no assunto mas fiquei bem dividida. Leo, no entanto, ganhou meu coração logo no início. Talvez por entregar-se mais e expor seus sentimentos... Ele é sensível, encantador, galanteador. Sabe usar as palavras como ninguém, é culto, interessante. Impossível resistir, concordam?

    Acho que o grande acerto do livro foi a capacidade de dividir o leitor e deixá-lo desesperado por MAIS ao mesmo tempo. Em época onde tudo acontece muito rápido e onde a internet comanda o cotidiano das pessoas, @amor trouxe um ar de romantismo ao prático. Troca de emails entre dois desconhecidos e um sentimento que nasce e trona-se forte, quase incontrolável. Porém o autor elabora a narrativa de forma sutil.

    Em muitos momentos fui capaz de visualizar Emmi e Leo, sentados em frente a seus respectivos notebooks, esperando a caixa de entrada revelar "você tem mais uma mensagem". A angústia é quase palpável. 



    @amor foi um livro que me levou a levantar muitas questões e mexeu fundo com certos sentimentos. Foi uma leitura rápida e ininterrupta. Terminei em pouquíssimas horas e fiquei com gostinho de "quero mais". 
    Adorei o livro e fico aguardando a continuidade. Vamos combinar que depois daquele final, não poderia ser diferente!


    (Aposto que ficaram curiosos)