09/05/12

Todas as Estrelas do Céu - Enderson Rafael




O livro de estreia de Enderson Rafael é fininho, mas tem um trabalho gráfico fantástico. Até hoje só vi poucos livros com tanto capricho e beleza. As letras são todas em azul marinho e em cada começo de capítulo temos o nome de uma estrela com uma imagem para representá-la. A única coisa que não consegui descobrir é se a escolha das estrelas foi aleatória ou tinha algo a ver com a história de  cada capítulo, mas isso não interferiu em nada a leitura, só acrescentou e atiçou minha curiosidade.
Sinopse:

 Caroline e Leandro são dois adolescentes de uma bem resolvida família de classe média, ele adotado, ela filha biológica do casal Marco e Lúcia. Diante dos conflitos da adolescência, do colégio, do vestibular, ambos se vêem diante de mais um dilema: um amor impossível e todas as consequências da busca pela felicidade ao lado da pessoa amada. O desafio dos dois em entenderem o que passa consigo mesmo, em enfrentar os pais, a sociedade e sua própia consciência é exposta neste romance honesto, ágil e de final surpreendente.



Como o livro é um romance juvenil, achei que a capa ficou séria demais, de repente se a capa fosse só azul, acho que seria melhor, mas o livro é tão bem montado que estragaria se mudasse.

 A história é bem interessante, porque põe o leitor em uma situação complicada que é o amor entre irmãos, particularmente, eu não vi problemas e li numa boa, porém Leandro e Carol não são um casal comum, então certamente foram julgados de todas as formas pelos leitores. A proposta foi boa, mas achei que o romance ficou um pouco forçado, poderia ser mais natural e sutil. Ele não foi acontecendo lentamente, ele foi jogado para os leitores, então isso deixa o leitor um pouco desnorteado.

Enderson Rafael escreveu o livro em 1999 e publicou em 2010 da mesma forma como estava, sem atualizar. O que deixou várias pérolas no livro e que para mim não tinham necessidade de estar ali, mas me garantiram boas risadas. Os irmãos - namorados, querendo ir ao Show do É o Tchan em Cabo Frio foi muito engraçado. É bobagem minha, mas eu fiquei imaginando se eu tivesse 19 anos na época e só tivesse a opção de ir ao show do É o Tchan! Ahuauahuah

Outra coisa que chamou minha atenção foi a descrição dos lugares por onde os personagens iam passando.  Prendeu a minha atenção e fique bem satisfeita em visualizar melhor a história. Eu que não gosto muito de detalhes fiquei curiosa a ponto de ir procurar no Google algumas curiosidades, por isso considerei o livro bem escrito e muito gostoso de ler.

Se a história tivesse sido um pouquinho mais desenvolvida e o Enderson tivesse feito mais drama no final acho que o livro ficaria completo. Ah, claro para isso ele teria que ter mais umas 100 páginas. Seria ótimo ver mais o sofrimento dos dois e como a sociedade reagiria àquela situação delicada.

Beijinhos,