• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Anuncie
  • Resenhas Novas

    A Noz de Ouro - Catherine Cooper


    Jack Bremin não estava nada feliz com o rumo que tomara sua vida. Após a morte da mãe, o menino mudou-se para a Grécia para viver ao lado de seu avô, um senhor que, apesar de  ser atencioso e preocupado, gastava todo seu tempo livre cuidando do jardim ou no clube de críquete. Jack sentia falta de casa. 

    Logo no segundo dia na nova vizinhança, Jack tentou, em vão, fazer amizade com alguns meninos que jogavam futebol. Digo em vão porque a única coisa que ele conseguiu foi atingir o nariz de um menino e fazer com que todos os outros corressem atrás dele para dar uma bela surra. Foi justamente ao tentar se esconder desses valentões que a vida de Jack mudou para sempre. Ele entrou no quintal de Nora, uma mulher estranha, que era  conhecida pelo apelido Bruxa Lelé. 

    Nora sabia mais sobre Jack do que qualquer outra pessoa. Não, ela não era uma bruxa, mas também não pertencia a esse mundo. Nora era uma druidesa, uma sacerdotisa Celta que esperava ansiosamente a chegada de Jack que, segundo a sagrada profecia de seu povo, era o Eleito. 

    Quando caiu na cerca viva de Nora, Jack não fazia ideia que estaria prestes a viver muitas aventuras. Ele era o Eleito e tinha como missão voar pela janela do tempo e encontrar o que foi perdido. Ele era a única esperança. 

    Nunca fui fã de aventuras infantojuvenis mas, confesso que de esses têm sido os livros que mais leio ultimamente. Tenho tido gratas surpresas com essas leituras e A Noz de Ouro foi uma das mais agradáveis. O livro é tão bem escrito e tão encantador que demorei a terminar por pena de me despedir, mesmo que momentaneamente, dessa história. 

    Por mais que Jack seja um menino fofo e bom de coração, sempre preocupado em ajudar as pessoas e tirar o melhor de todas as lições, ele não foi o personagem mais querido para mim. Eu sei que sou meio do contra e sempre escolho o vilão, o estranho, o nada com nada de todo livro para eleger como meu favorito, mas... fazer o que se os bonzinhos não me atraem? 


    Em A Noz de Ouro, Camelim roubou toda a cena e todos os *meus* holofotes estavam direcionados ao corvo mais ranzinza e comilão que existe. Criatura sarcástica, sempre com um comentário pessimista sobre tudo o que Jack faz/vai fazer. Egoísta que só, odeia dividir as migalhas de comida com os outros pássaros do jardim de Nora. Falando assim você pode pensar o que eu vi nesse tal Camelim para ficar tão encantada por uma criatura tão mesquinha? Só tenho uma coisa a dizer sobre o assunto: nem tudo é o que parece. 

    Enfim, fiquei totalmente envolvida com o mundo novo que Catherine Cooper me apresentou e sou obrigada a concordar com muitos dos elogios que li acerca da narrativa da autora. A leitura flui de maneira tão gostosa que nem sentimos o tempo passar e ao finalizar o livro me perguntei por que demorei tanto tempo para me apaixonar pelo gênero. 

    A Noz de Ouro (266 páginas) foi lançado no Brasil recentemente pela editora Bertrand e é o primeiro volume da série As aventuras de Jack Brenin. Aguardo ansiosamente os próximos.