• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Contato
  • Resenhas Novas

    Cordilheira- Daniel Galera- Cia das Letras



    Autor: Daniel Galera
    Edição: 1
    Editora: Companhia das Letras
    ISBN: 9788535913262
    Ano: 2008
    Páginas: 176
    R$: 41,50

    Já vou logo dizendo que o final do livro não é o meu preferido, mas o livro todo é tão bom que você releva o fim, principalmente quando descobre que ele tem um duplo significado. Cordilheira tem uma história original e uma trama muito interessante, principalmente, para mim que sou escritora e convivo com os meus personagens sempre quando escrevo. A linha tênue entre ilusão e realidade vai te deixar pensando por um bom tempo e você certamente lembrará daquele ídolo que você já tentou imitar.

     Sinopse: Recém-saída de um relacionamento amoroso e ainda sob o impacto do suicídio de uma amiga, uma escritora resolve aproveitar o lançamento da tradução argentina de seu romance para passar uma temporada em Buenos Aires. Primeiro título da coleção Amores Expressos, em que autores brasileiros escrevem histórias de amor ambientadas em diversas cidades do mundo,Cordilheira gira em torno de um recomeço: ao se envolver com um misterioso fã argentino e conviver com seus amigos de hábitos bizarros, a protagonista começa a deixar o passado para trás e a se tornar algo que ainda não sabe bem o que é.

    Anita está insatisfeita com a vida e com o seu relacionamento. Ela ama Danilo, mas quer ter um filho a todo custo, mesmo sendo nova e estando no auge de sua carreira literária. Por impulso decide morar em Buenos Aires quando recebe um convite para lançar seu livro lá. Só que não contava com a permanência de sua solidão e com o encontro com o misterioso Holden.

    O interessante do livro é que o autor escreve de uma forma sucinta, realidades e emoções femininas. Ele descreve o sentimento da personagem com certa urgência e complexidade. Anita não é uma mulher comum ela tem feridas eternas, por isso, não pode ser rotulada de mocinha, muito menos de vilã. Ela é as duas coisas o tempo inteiro.

    Uma coisa é certa, Daniel fala do universo feminino com tanta verdade e crueldade que me senti desnuda. Nunca vi um homem retratar tão bem o universo feminino em uma personagem caótica. Brilhante!

    Daniel mostra a conversa de Anita com as amigas de uma forma cruel, vulgar, sem pudores, verdadeiro. O livro é tão intenso, que até as partes mais “quentes” deixam margens para reflexões. Acredito que os melhores romances são feitos assim, sucintos, certeiros e arrebatadores. Cordilheira reuniu tudo isso em apenas 174 páginas, que li vorazmente louca para chegar ao final e terminar com a minha angustia. Louca por uma atitude mais madura de Anita e louca por constatar que ela não é a personagem certinha e perfeita que estou acostumada. Ela não é americana. Ela é brasileira.

    “Se você conhecer uma nação,não leia literatura. Nem uma página. Escritores de ficção têm pouco ou nada a dizer sobre seu país. Toda arte é egoísta,mas a literatura é a mais egoísta de todas.Não há como escrever honestamente sobre qualquer coisa que não seja nós mesmos. Um escritor pode tentar maquiar este fato com todas as suas forças, mas nunca escapará dele.” Página 89.

    A genialidade da trama está no fato de os amigos escritores de Anita acreditarem fielmente em seus livros. Eles estão insatisfeitos com suas vidas e resolvem pegar a identidade de seus personagens. E se tiverem que morrer por isso, vão até o fim. Ah, para mim é loucura demais, porém às vezes não temos como impedir a loucura do outro e temos que ceder a sua vontade.

    A capa é esquisita, mas o livro é tão bom que você não vai nem reparar na capa rs! Recomendo a leitura mil vezes. Um dos melhores Romances que li do ano, junto com A Sombra do Vento, é claro! rs

    Como me senti lendo este livro: Feliz e aliviada. 

    Beijinhos,