• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Contato
  • Resenhas Novas

    Poliana Moça - Eleanor H. Porter

    Poliana sempre foi um considerada um remédio para todos que a conheciam. Depois de trazer novamente alegria à vida de Miss Polly, sua tia, e de encantar cada um dos moradores de sua cidadezinha, a menina foi vítima de um acidente que a deixou sem andar. Contrariando tudo o que era esperado, mesmo com toda essa tragédia, Poliana ainda conseguiu dar continuidade ao seu jogo do contente. 

    A pobre menina ficou um ano em um hospital, se recuperando, até voltar a caminhar. E foi nesse período que conheceu uma das enfermeiras do lugar. A moça tinha uma irmã que precisava urgentemente de uma dose de Poliana. Triste e amargurada com todas as perdas de sua vida, Ruth Carew não tinha mais alegria para viver. Trancafiada em uma casa escura, quase sem colocar os pés nas ruas de Boston, a jovem mulher fizera de tudo para encontrar o sobrinho perdido, porém, sem sucesso.

    Após uma carta, com a recomendação do médico, Miss Polly permitiu, enfim, que Poliana  passasse uma temporada com Ruth Carew, e vivesse novas aventuras em Boston. 

    Poliana, de Eleanor H. Porter, foi um dos clássicos que marcou o início da minha vida literária. É impossível não se apaixonar pela menininha sofrida, que aprende com seu pai o famoso jogo do contente e passa a enxergar o lado bom de todas as coisas que acontecem em sua vida. Impossível também é não chorar com o final do livro. Ainda bem que a autora escreveu Poliana Moça, a continuação dessa maravilhosa história. 

    Nesse segundo volume, Eleanor consegue manter a mesma escrita envolvente do primeiro. A história é tão apaixonante que torna-se impossível abandoná-la antes de finalizar a leitura. A menina que conhecemos anteriormente, agora já crescida, experimenta aventuras na "cidade grande", conhece novas pessoas e descobre o amor. 

    Mesmo sendo uma história cativante e com uma visão totalmente diferente, ainda acho que prefiro Poliana criança e toda a sua ingenuidade. Acho que ambas as leituras são mais que recomendadas e passam uma linda lição de vida.