• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Anuncie
  • Resenhas Novas

    Assassinato no Expresso Oriente- Agatha Christie





    Uau! Mil vezes Uau!Eu, como uma leitora apaixonada por suspenses, não posso deixar de começar essa resenha idolatrando a divina Agatha Christie. Já tinha lido outros livros dela, mas este é muito bom! Bem escrito, bem organizado, bem estruturado e bem criado. Não é a toa que Agatha é uma das maiores escritoras que já existiu e merece todo o nosso respeito.

    Sinopse:Pouco depois da meia-noite, uma tempestade de neve pára o Expresso do Oriente nos trilhos. O luxuoso trem está surpreendentemente cheio para essa época do ano. Mas, na manhã seguinte, há um passageiro a menos. Uma americano é encontrado morto em sua cabina, com doze facadas, e a porta estava trancada por dentro. Pistas falsas são colocadas no caminho de Hercule Poirot para tentar mantê-lo fora de cena, mas, num dramático desenlace, ele apresenta não uma, mas duas soluções para o crime.

    Comprei um Box nas lojas americanas dos 3 melhores livros da autora que teem como  personagem principal Hercule Poirot, um detetive com Belga, que mora na Inglaterra, muito astuto. Escolhi Assassinato no Expresso Oriente por ter ouvido muito falar dele e não me arrependi. Li um livro fantástico, não só pelo desenrolar da trama que é muito bem feita, mas também pelo comportamento cultural da época.

    A autora ambientou o livro com muitos detalhes culturais e socias, mesmo o cenário sendo um trem que parte da Turquia com destino a Inglaterra. Por conta da história, eu li sobre o comportamento dos americanos do século 20, dos ingleses, dos franceses. Enfim, para resolver o crime Poirot observou todos os passageiros, expondo sempre seus pensamentos para o leitor. Claro, ele não contou tudo de uma vez para não perder a graça, mas o final foi muito diferente do que eu imaginava.

    Sabe quando você chega ao final de um livro de suspense e fica desesperado para descobrir quem foi o assassino? Então, normalmente, eu desvendo o mistério antes, mas neste livro eu não consegui. Tudo indicava para um assassino fora do trem, ou algum dos personagens, que eu já estava apegada e não queria ver nenhum deles com o status de assassino. É impressionante como Agatha vai tecendo a história e nos prendendo a ponto de nos fazer torcer por todos e esquecer que tem uma pessoa morta na cabine ao lado. E o final...

    Vou deixar vocês com água na boca! Hercule Poirot é o personagem mais inteligente que já conheci. Até mesmo quando está dormindo ele anota a hora em que ouve um barulho estranho na cabine ao lado. Sério! Só ele mesmo para gravar que o estrondo foi às 00h37. Eu provavelmente voltaria a dormir... rs

    A linguagem tem traços da formalidade, mas só por conta da época, porque a leitura é acelerada e a história não é muito complicada. Não tem muitas metáforas, nem figuras de linguagem, porém eu considero este livro literatura pura e leitura clássica obrigatória. O diferencial está na forma como ela conta a história. Não é agressivo, nem brutal. Ela quer desvendar um crime e não botar medo no leitor.

    A parte que mais gostei foi o modo como os homens tratam as mulheres do trem. Eles são tão educados, charmosos e tem carinho pelas mulheres. Fiquei pensando se as mulheres daquela época não tinham mais valor e eram mais respeitadas do que nós. Sem falar no tratamento ao mencionar uma dama. Agora só quero ser chamada de Lady ou mademmoseile! Hahahaha

    Recomendo a leitura. O livro é muito bom e vou tratar de devorar o Box todo. Não largo Agahta Christie nunca mais!

    Beijinhos,

    Carolina Estrella