• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Anuncie
  • Resenhas Novas

    O inverno das fadas - Carolina Munhóz - Fantasy Casa da palavra






    Se existe um ser fantástico apaixonante esse ser ,para mim, é a fada! Eu adoro ler histórias de fadas e sempre procuro livros assim. Aliás, prefiro fadas à vampiros e foi com essa paixão que fiquei louca quando o livro da Carol Munhóz foi lançado. A capa é linda, a diagramação muito bem feita e o papel pólen tem um cheirinho de livro bom. Combinações perfeitas para uma boa história.

    Sinopse:Existem pessoas normais em nosso planeta. Homens e mulheres simples que nascem e morrem sem deixar uma marca muito grande ou mesmo significativa na humanidade. Mas existem outros que possuem talentos inexplicáveis. Um brilho próprio capaz de tocar gerações. Como eles conseguem ter esses dons? De onde vem a inspiração para criar trabalho maravilhosos? São cantores com vozes de anjos, artistas com mãos de criadores e escritores imortais. Existe uma explicação para isso. Sophia é uma Leanan Sídhe, uma fada-amante, considerada musa para humanos talentosos. Ela é capaz de seduzir e inspirar um homem a escrever um best-seller ou criar uma canção para se tornar um hit mundial. A fada dá o poder para que a pessoa se torne uma estrela, um verdadeiro ícone, ao mesmo tempo em que se aproveita da energia do escolhido para alimentar-se. Causando loucura. E morte.

    Adorei o livro, o enredo, os personagens e a forma como a autora teceu a sua obra. Realmente a leitura é rápida, mas bem detalhada. Eu degustei cada palavra e não corri com a leitura para poder entender um pouco mais do universo das fadas. Nunca tinha ouvido falar nas fadas vampiros e achei muito interessante essa abordagem. Nos contos as fadas são como anjos, porém as fadas deste livros são mais perigosas do que vampiros, zumbis e monstros. 

    Sophia Coldheart é uma Leanan Sídhe , uma espécie poderosa de fada que seduz artistas e os leva a loucura e a morte para sobreviver. Ela precisa matar a sua presa para recarregar suas energias. Apesar da sina de matar todos que se apaixonam por ela, Sophia é uma fada doce, carinhosa, amiga e cheia de emoções. O mais interessante são os artitas que ela já se relacionou. Eu fiquei tentando adivinhar alguns casos, pois Carolina Munhóz descreveu as mortes trágicas de artistas verdadeiros. Ela citou astros do rock, da música, atrizes, escritores. Falando em escritor, achei muito engraçada a parte de Paulo Coelho e a explicação que ela deu para ele não ter se envolvido com Sophia.hahaha

    Cada capítulo tem uma frase de uma música famosa relacionada ao momento da história. Como o livro é um romance fantástico, temos muitas músicas melancólicas e outras mais animadas. Confesso que não indentifiquei várias músicas que fico cantando o tempo todo hahaha. Quando tiramos uma frase do contexto e colacamos em outro lugar é impressionante como o nosso olhar sobre ela muda. Foi por isso que considerei o livro muito original e bem escrito. Além de ficar a tarde inteira procurando as músicas na internet só para ouvir e lembrar da história. Livro bom é assim, marca o leitor ao ponto de deixá-lo pensando horas na história.

    A história é toda amarradinha, com os altos e baixos na hora certa e uma tensão do ínicio ao fim. Afinal, Will é o  cara perfeito, mas é uma presa de Sophia, então o leitor fica ansioso esperando a resposta para o dilema mortal. Se ele deixar de amá-la ela fica fraca, se ela ficar por perto, ele morre. Romance tenso, mas muito bom.

    A única coisa diferente, é que o livro foi todo ambientado na Inglaterra e a escrita parece muito com o estilo americano. Gostei muito e fiquei surpresa de ver uma autora nacional escrevendo muito bem sobre uma outra cultura. Achei interessante e corajoso. Hoje em dia parece que o autor nacional tem obrigação de escrever sobre o Brasil. Eu não acho. Penso que se o autor sabe escrever e fez uma ótima pesquisa, não tem problema algum escolher outro país para ambientar a história, só que muitas vezes o autor não sabe escrever, aí complica.

    Os personagens principais são ótimos! Eles tem uma química enorme e protagonizam cenas eróticas leves e envolventes. Não é nada pesado, mas muito instigante e curioso. Parece que a autora narrou as cenas de sexo com carinho, como se ela fosse a personagem e estivesse sentindo tudo aquilo. Foi muito emocionante. 

    Recomendo a leitura! Indico para todo mundo e estou morrendo de vontade de ler o outro livro de fadas da Carol.

    Ah, só tem um detalhe que eu vou perguntar a autora quando conhecê-la. O nome do mocinho é Willian Bass, não pude deixar de lembrar do meu "vilão" preferido Chuck Bass. Será que tem alguma relação? rs

    Beijinhos,