• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Anuncie
  • Resenhas Novas

    Revirando o Baú: Onze Minutos - Paulo Coelho

    Editora Sextante.
     240 páginas.
    Ano de Lançamento: 2003

    Em Onze Minutos, Paulo coelho explora o tema do sexo e cria um conto de fadas moderno, melancólico e sensual, que narra a transformação de uma mulher em busca de si mesma. 
    Maria, uma jovem nordestina desiludida com o amor, sai de casa à procura de aventura e paixões, e é na Suíça, como prostituta, que encontra as respostas para suas perguntas mais profundas. 
    Baseado em fatos reais, o romance parte da banalização do amor e do sexo para nos fazer refletir sobre a natureza humana e a liberdade de sermos nós mesmos.


    No mínimo não sou normal, só pode. Li este livro aos 15 anos e o achei magnifico de tal forma que não conseguia explicar e era até uns dos favoritos no meu skoob. Até que, aos 19 anos, resolvi que iria lê-lo novamente para fazer um revirando o baú aqui no blog e sabe com o que me deparo? Com um livro decepcionante. Parecia que era a primeira vez que o lia, muito diferente. Ou será que eu sou a diferente nessa situação?

    O livro agora é simplesmente um manual de sexo camuflado pela história de uma prostituta. E o mais revoltante: nordestina. Ok, parece que todos os escritores só resolvem tirar esse tipo de personagem do nordeste, como se as pessoas daqui não fosse capaz de representarem um personagem mais digno. E olha, não sou nordestina, sou paulistana, mas depois que passei a morar no nordeste percebo o quanto as pessoas do sul são preconceituosas.

    A narrativa do livro é longa e cansativa, com poucos diálogos e muita descrição psicológica, com explicações diversas sobre a arte do sexo.  Maria é aquela tipica personagem que você se irrita ao longo de todo livro, além de ser burra e acha que entrar no mundo da prostituição é provar para si mesma que é forte e guerreira. É como se eu fosse usar drogas para provar que sou capaz, mesmo sabendo de todas as consequências.

    É simples, Onze Minutos é esse livro que te cega no primeiro momento, mas que ao ler com mais atenção você percebe que não passa de uma autoajuda camuflada. Indico para aqueles que gostam do escritor e de autoajuda. Do resto, é um livro desnecessário.