• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Contato
  • Resenhas Novas

    O Teorema de Katherine - John Green






    Título Original: An Abundance of Katherines

    ISBN: 9788580573152
    Autor: John Green
    Ano: 2013
    Páginas: 304
    Editora: Intrínseca
    Tradução: Renata Pettengill


    John Green mais uma vez conseguiu me conquistar com uma história inteligente e brilhantemente escrita. É tão surreal a forma como ele prende o leitor que eu não consigo descrever como fiquei encantada pelo livro. Só posso dizer a vocês que é mágico. São as tiradas irônicas e dotadas de sabedoria de Colin, são as frases bem humoradas de Hassan e são as Katherines que fazem a história ficar leve, divertida e inesquecível.

    Ah, não posso me esquecer da Lindsey que levou a história para outro rumo com seu kit de primeiros socorros que servem tanto para tratamentos físicos quanto psicológicos. No caso de Colin e Hassan serviu para mudar suas vidas e transformá-los em homens cheio de valores. Lindsey é a melhor personagem do livro, só perde para sua mãe Hollis que é apaixonada por rosa e tem uma casa toda pintada desta cor. Hahaha Brincadeira! Lindsey me conquistou bastante com seu jeito caipira e nada inocente.

    Sinopse:Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam.

    O destaque do livro para mim são as notas de roda pé que o deixaram mais real. Senti como se o personagem e o autor tivessem falando comigo e me preparando para cenas do livro, apesar da narrativa em 3ª pessoa. Em minha opinião de escritora, preciso dizer que fazer isso é difícil e é para poucos.As notas de rodapé são chatas porque interrompem a leitura, mas John Green conseguiu fazer delas um apêndice da história. Tanto que eu ficava ansiosa por mais notas e li todas, coisa que nunca faço em livro acadêmicos ( mentira,eu leio porque sou obrigada, mas é um saco!)

    As notas também traziam informações desnecessárias para as pessoas, como informações sobre presidentes dos EUA, ou sobre inventores, mas necessárias para o personagem, então assim que você entra na cabeça de Colin Singleton, você quer ver mais e mais curiosidades, por isso o jeito com o autor escreveu é tão fascinante.  Eu amei a narrativa, para mim foi bem desenvolvida e imprevisível. Claro, desde o inicio já dá para ter uma ideia do final, mas mesmo assim o previsível se tornou diferente pela forma como os personagens agiram.

    O melhor quote de todos os livros que já li foi esse:

    “A leitura acalmou um pouco a sua mente. Sem Katherine, sem Teorema e sem esperança de se tornar importante, muito pouco lhe sobrava. Mas Colin sempre podia contar com livros. Os livros são o melhor exemplo de Terminado: deixe-os de lado e eles o esperarão para sempre; dê-lhes atenção e sempre retribuirão seu amor” PP. 148

    O narrador disse tudo que penso sobre os livros e encheu meus olhos de alegria. Colin é inteligente e metódico, mas não é chato e sim muito divertido. Ele só tem particularidades que os outros garotos não têm. Afinal, ele é um garoto prodígio, não é?!  E seus anagramas também me conquistaram bastante. O garoto estava com dor e fazia anagrama para se sentir melhor. Achei isso tão interessante. Ah, Colin vai deixar saudades!

    Para ler este livro abra a sua cabeça e não espere mais do mesmo.Pense nos personagens e viva como eles. Só assim você se apaixonará por essa obra, assim como me apaixonei!

    Recomendo a leitura. O livro é interessantíssimo. Muito bom e diferente!

    Beijinhos,