• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Contato
  • Resenhas Novas

    O Palácio da Meia-Noite - Carlos Zafón - Suma de Letras

     
    Sinopse:

    Ben e Sheere são irmãos gêmeos cujos caminhos se separaram logo após o nascimento: ele passou a infância num orfanato, enquanto ela seguiu uma vida errante junto à avó, Aryami Bosé. Os dois se reencontram quando estão prestes a completar 16 anos. Junto com o grupo Chowbar Society, formado por Ben e outros seis órfãos e que se reúnem no Palácio da Meia-Noite, Ben e Sheere embarcam numa arriscada investigação para solucionar o mistério de sua trágica história. Uma idosa lhes fala do passado: um terrível acidente numa estação ferroviária, um pássaro de fogo e a maldição que ameaça destruí-los. Os meninos acabam chegando até as ruínas da velha estação ferroviária de Jheeter’s Gate, onde enfrentam o temível pássaro de fogo.
      


    Preparem-se para ler uma história cheia de mistério, aventuras e amizade. Záfon nos presenteou com um belo livro que vai prender o leitor do início ao fim e ainda enganá-lo durante a leitura. Quando você pensa que já desvendou tudo, você descobre coisas que nem poderia imaginar. Na nota inicial o autor fala que este livro foi escrito no início de sua carreira e por isso poderia ser inferior aos outros, mas eu discordo completamente e acho que talento que é talento existe sempre, ele só vai amadurecendo aos poucos...

    O Palácio da Meia-Noite faz parte da Trilogia da Névoa do autor e isso me deixou bem agoniada, porque fiquei procurando relação com o livro O príncipe das névoas que foi lançado meses antes deste. A minha memória não é das melhoras, mas a única coisa que achei de parecido foi o espírito maligno que rapta crianças. Quem já tiver lido os dois, por favor, me dê uma luz!

    O diferencial do livro está na amizade entre os órfãos que rendeu um clube chamado Chowbar Society. O grupo se reúne há anos no Palácio da Meia-Noite para contar histórias de terror e passar um tempo juntos aprontando. Cada jovem tem uma personalidade diferente e com isso eles vão superando a carência e as dificuldades de morar em um Orfanato.

    Os nomes dos personagens são bem autênticos e diferentes do comum. Acredito que o autor pesquisou nomes de pessoas que moram em Calcutá, local onde acontece a história. Isobel, Sraj, Seth, Sheere, Aryami  são alguns desses nomes que dão um ar de suspense a história e com certeza a torna inesquecível. Além dos nomes, achei muito interessante o formato da história, narrado ora por Ian, ora por um narrador onisciente. Só fiquei um pouco triste com o final. Queria algo mais chocante e mais sangue!

    A história é ótima para o adolescente que já lê com certa frequência e está buscando novas leituras para se aventurar. A linguagem é um pouco formal e por isso pode desagradar os leitores iniciantes, ou não! Os adolescentes nos surpreendem, então dê esse livro de presente para o seu filho e o deixe viajar para a cidade de Calcutá.

    O detalhe do ambiente e da cidade também chamaram muito a minha atenção e tornaram a história mais rica, além de não travar a leitura, pelo contrário, li bem rápido e curti todos os momentos. Recomendo o livro!

     Beijinhos,