• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Contato
  • Resenhas Novas

    Infinity Ring - Volume 1 - Um Motim no Tempo - James Dasher



     TÍTULO ORIGINAL: A Mutiny in Time
    TRADUÇÃO: Alexandre Boide
    PÁGINAS: 248 pp.
    FORMATO: 14 x 21 cm
    PREÇO: R$ 24,90

    De vez em quando eu gosto de ler histórias de aventuras e enigmas, por isso escolhi Infinity Ring, mas me surpreendi com o livro. Pensei que fosse ler sobre aventuras em desertos, ou no espaço, temas que sempre lemos por ai, mas ao ver a sinopse do livro fiquei encantada com o ambiente. A grande aventura da história acontece em 1492 meses antes de Cristóvão Colombo descobri a América. Gente, que incrível ler um livro tão bom com um tema tão chato. Essa era a parte da história entediante da escola, porém fiquei apaixonada pelo descobridor do novo mundo e pelos Guardiões da História. Tenho certeza que muitos estudantes vão se encantar pelo livro.

    Sinopse:Sinopse: Quando os melhores amigos Dak Smyth e Sera Froste descobrem o segredo da viagem no tempo - um dispositivo portátil conhecido como Anel do Infinito -, acabam envolvidos numa guerra secreta que existe há muitos séculos e que decidirá o futuro da humanidade. A história havia saído desastrosamente de seu curso natural, e agora caberia a eles voltar no tempo para corrigir as Grandes Fraturas - e, no caminho, ainda salvar os pais desaparecidos de Dak. A primeira parada é na Espanha de 1492, quando um navegador chamado Cristóvão Colombo está prestes a ser lançado ao mar, durante um motim terrível.

    A história começa um pouco confusa, confesso que demorei um pouco para entender o mundo onde Dak e Sera vivem. A SQ comanda o mundo e faz com que todos vivam numa sociedade controlada e de certa forma distópica. Não chega a ser uma distopia completa, porque o livro não foca muito nisso, mas alguns traços me fizeram chegar a essa conclusão.

    A leitura é muito rápida e a história se desenvolve de uma forma bem emocionante. Se você piscar os olhos perde a ideia central e tem que parar e pensar sobre o enigma da vez ou entender a cabeça da Sera, que é muito complicada. A menina se apaixonou por física quântica aos 4 anos! Claro, que como uma boa romântica assumida, estou na torcida por algo a mais entre Dak e Sera. Vocês acharam que eu iria ler tudo e não ia recolher traços de romance? Nunquinha. Achei que os dos adolescentes combinam e podem tornar a aventura de salvar o mundo em algo fofo e romântico.

    Voltando a parte de Cristóvão Colombo que achei super original, preciso comentar que a descrição do local e das pessoas me surpreendeu! Eu me senti no barco, na praia e fiquei com vontade de participar do Motim. O mais interessante é que demorei horas para entender que no livro Cristóvão Colombo não tinha descoberto a América e sim os irmãos Amâncio, os quais eu nunca tinha ouvido falar. Fiquei com vontade de abrir um livro de História e estudar tudo de novo só para me situar melhor.

    Os personagens principais dão um show de diferenças a parte. Enquanto Sera é um gênio da física, Dak é um gênio da história. Isso também é muito interessante e importante para o desenrolar dos outros livros. Um vai sempre precisar do outro e nenhum dos dois conhecimentos que são tão distintos serão inúteis. Isso mostra como as matérias se completam. A física precisa da história para sobreviver e vice-versa. Lega, né?
    Recomendo a leitura. O livro é muito divertido e interessante! Infinity Ring faz parte de uma coleção de sete livros escritos por vários autores. O primeiro e o último livro foram escritos pelo mesmo autor James Dasher.

     Algumas pistas do livro eu não entendi, porque estavam em preto e branco e também porque fiquei sabendo depois que a leitura é multimídia!Cada um dos sete livros terá um jogo que poderá ser acessado pelo site da Seguinte após o lançamento, que será no início de abril no Brasil. Então, fiquem ligados e embarquem nessa aventura!

    Beijinhos,

    Resultado: Promoção Proteja-me da Novo Conceito

    Olá,

    A Grande vencedora da promoção Proteja-me foi a Karen Senoo! Parabéns, querida!

    A Karen é muitooooo sortuda! Vence uma promoção do blog ano passado e esse ano de novo! Viu, gente? É só continuar participando que um dia vocês ganham!

    Não deixem de comentar nas resenhas e de participar do Top Comentarista do mês!

    Beijos,




    Estamos de volta com mais promoções boas para vocês! O livro da vez é o lançamento Proteja-me da editora Novo Conceito.

    Espero que gostem e participem! Fiquem de olho no blog, pois vamos ter mais promoções e top comentaristas semana que vem! Quem quer?!



    Sinopse:
    Quatro meses após a morte do marido, JanieLaMarche continua tomada pela dor e pela raiva. Seu luto é interrompido, no entanto, pela chegada inesperada de um construtor com um contrato em mãos para a obra de uma varanda em sua casa. Surpresa, Janie descobre que a varanda era para ser um presente de seu marido — tornando-se, agora, seu último agrado para ela.
    Conforme Janie permite, relutantemente, que a construção comece, ela se apega aos assuntos paralelos à sua tristeza: cuidando de seus dois filhos de forma violentamente protetora, ignorando amigos e família e se afundando em um sentimento de ira do qual não consegue se livrar. Mesmo assim, o isolamento autoimposto de Janie é quebrado por um grupo de intervenções inconvenientes: sua tia faladeira e possessiva, sua vizinha mandona, seu primo fofinho e até Tug, o empreiteiro.
    Quando a varanda vai tomando forma, Janie descobre que o território desconhecido do futuro fica melhor com a ajuda dos outros. Até daqueles com os quais menos esperamos contar.

    Vamos às regrinhas?
    1. Seguir publicamente o blog;
    2. Ter um endereço de entrega no Brasil;
    3. Preencher o formulário Rafflecopter.



    a Rafflecopter giveaway


    O sorteio será realizado no fim de semana seguinte ao término na promoção;
    Perfis exclusivos para divulgação no twitter serão desconsiderados;
    O ganhador terá um prazo de 03 dias para entrar em contato com a equipe do blog, enviando os dados para postagem, caso contrário , outro sorteio será realizado;
    O prazo de postagem é de até 20 dias, podendo a mesma ocorrer antes.

    Revirando o Baú: Onze Minutos - Paulo Coelho

    Editora Sextante.
     240 páginas.
    Ano de Lançamento: 2003

    Em Onze Minutos, Paulo coelho explora o tema do sexo e cria um conto de fadas moderno, melancólico e sensual, que narra a transformação de uma mulher em busca de si mesma. 
    Maria, uma jovem nordestina desiludida com o amor, sai de casa à procura de aventura e paixões, e é na Suíça, como prostituta, que encontra as respostas para suas perguntas mais profundas. 
    Baseado em fatos reais, o romance parte da banalização do amor e do sexo para nos fazer refletir sobre a natureza humana e a liberdade de sermos nós mesmos.


    No mínimo não sou normal, só pode. Li este livro aos 15 anos e o achei magnifico de tal forma que não conseguia explicar e era até uns dos favoritos no meu skoob. Até que, aos 19 anos, resolvi que iria lê-lo novamente para fazer um revirando o baú aqui no blog e sabe com o que me deparo? Com um livro decepcionante. Parecia que era a primeira vez que o lia, muito diferente. Ou será que eu sou a diferente nessa situação?

    O livro agora é simplesmente um manual de sexo camuflado pela história de uma prostituta. E o mais revoltante: nordestina. Ok, parece que todos os escritores só resolvem tirar esse tipo de personagem do nordeste, como se as pessoas daqui não fosse capaz de representarem um personagem mais digno. E olha, não sou nordestina, sou paulistana, mas depois que passei a morar no nordeste percebo o quanto as pessoas do sul são preconceituosas.

    A narrativa do livro é longa e cansativa, com poucos diálogos e muita descrição psicológica, com explicações diversas sobre a arte do sexo.  Maria é aquela tipica personagem que você se irrita ao longo de todo livro, além de ser burra e acha que entrar no mundo da prostituição é provar para si mesma que é forte e guerreira. É como se eu fosse usar drogas para provar que sou capaz, mesmo sabendo de todas as consequências.

    É simples, Onze Minutos é esse livro que te cega no primeiro momento, mas que ao ler com mais atenção você percebe que não passa de uma autoajuda camuflada. Indico para aqueles que gostam do escritor e de autoajuda. Do resto, é um livro desnecessário. 

    Movie Day: Valente

    A jovem princesa Merida foi criada pela mãe para ser a sucessora perfeita ao cargo de rainha, seguindo a etiqueta e os costumes do reino. Mas a garota dos cabelos rebeldes não tem a menor vocação para esta vida traçada, preferindo cavalgar pelas planícies selvagens da Escócia e praticar o seu esporte favorito, o tiro ao arco. Quando uma competição é organizada contra a sua vontade, para escolher seu futuro marido, Merida decide recorrer à ajuda de uma bruxa, a quem pede que sua mãe mude. Mas quando o feitiço surte efeito, a transformação da rainha não é exatamente o que Merida imaginava... Agora caberá à jovem ajudar a sua mãe e impedir que o reino entre em guerra com os povos vizinhos.


    Agora eu entendi o porquê esse filme foi o primeiro lugar da enquete, porque ele é simplesmente um dos desenhos mais incríveis que já assisti. Sei lá, eu amo desenhos que fogem do comum: romance e final feliz. Tá bem, eu fico nervosa quando o final não é feliz, fico chateado, ou melhor, fico revoltada, mas o final feliz que estou me referindo é quando a solução é aquela de contos de fadas sabe? Príncipe e princesas felizes para sempre. Gosto mesmo é de desenhos que nos transmitem algo diferente e com certeza Valente transmitiu muito muito bem sua mensagem. 

    O filme nem romance tem, algo que eu estranhei e virei o nariz no começo, mas dei uma chance, pois gosto de ser surpreendida. E ai, quando eu vi o desenrolar da história e a mensagem subliminar que está por trás dela me deu uma vontade de comprar o filme e guardar para meus futuros filhos assistirem. Acho que só quem assistiu vai entender a minha sensação de que é disso que as crianças da atualidade realmente precisam. De desenhos que não contenham violências, cenas camufladas e histórias que transmitem maus pensamentos. O que realmente eu desejo para meus irmãos mais novos é isso: uma história que ensine sobre como é importante amar a família acima de tudo, ainda que nossos pais briguem com a gente, ainda que aquela tia seja fofoqueira, ainda que domingo seja sagrado para família e você não possa sair com os amigos. Isso é família e com Valente eu aprendi que devemos, temos que ama-la acima de qualquer coisa no universo. 

    Enfim, acho que escrevi demais, espero que todos curtam o filme e sintam o que eu senti ao final dele. É um desenho animado realmente incrível, que deve ser assistido por toda a família. Falando nisso, que tal combinar de assisti-lo na semana santa com todo mundo junto comendo pipoca? Estou pensando em fazer isso... 

    P.S.: os trigêmeos, são ou não são, umas fofuras? Estou apaixonada por eles, quero na minha casa para ontem. 

    Curiosidade: A cantora Manu Gavassi cantou as versões nacionais de "Touch the Sky" e "Into the Open Air", que ganharam os títulos "O Céu Vou Tocar" e "Ao Ar Livre", respectivamente. (Fonte: AdoroCinema)

    Escola: Os piores anos da minha vida - James Patterson e Chris Tebbetts





    Sabe aquele livro que você acha curioso e resolve ler para conhecer o tipo de leitura? Então, aconteceu isso comigo, quando escolhi Escola: Os piores anos da minha vida para ler. Eu costumo ler infanto- juvenis narrados por garotas, mas resolvi dar uma chance ao ponto de vista masculino e me surpreendi. O livro é muito bonito, as ilustrações são divertidas e criativas e a narrativa surpreendente.

    Sinopse:

    Ano novo, escola nova.Rafa Khatchadorian não apenas terá que enfrentar o Ensino Fundamental, como também terá que cursar a sexta série em uma escola NOVA.Logo no primeiro dia ele já vê que o ano não é muito promissor, haja visto os discursos super chatos que ele foi obrigado a escutar. Portanto, ele precisava de alguma coisa para tornar o sexto ano suportável.A ideia capaz de salvar o mundo não demorou a aparecer. Quando cada aluno recebe o intragável código de conduta da escola, o menino tem uma ideia perfeita: quebrar TODAS as regras!Assim começa a operação R.A.F.A.

    Quando você acha que o livro será mais do mesmo e se depara com uma revelação no final que dá sentindo a tudo que você leu, você fica de queixo caído e lê tudo de novo. Foi isso que eu fiz, estava lendo, dando risadas com as aventuras de Rafa, quando uma bomba caiu na minha cabeça e as histórias que pareciam mais um drama adolescente, viraram uma mensagem linda e inteligente.

    James Patterson para quem não sabe é autor de livros policiais e também escreve para adolescente, inclusive é um dos autores juvenis mais amado pelos leitores. Fiquei curiosa para descobrir o por quê de tanto amor e adorei descobrir. A história é leve, rápida, engraçada e bem real. A maioria dos garotos de 12 anos enfrenta problemas na escola com os colegas, com os professores, com os diretores. Uns até são mais quietinhos, mas sempre tem uma professora ou outra que eles implicam. O interessante é entrar na cabeça do Rafa (personagem principal) e sentir o que ele está pensando, suas dúvidas, suas dificuldades e o seu bom humor para lidar com os problemas sérios.

    Rafa tem uma família complicada, sua mãe trabalha o dia todo em uma lanchonete para sustentar um padrasto que não sai de frente da TV e sua irmã mais nova adora fofocar seus segredos. Para completar, ele não é popular e não tem amigos na escola. Confesso, que pensei que essa história de popular fosse coisa de garotas, mas vi que não. Os garotos dão muito importância ao “status” escolar. Diante, desses problemas dá para ver um pouco da vida do Rafa e imaginar o que ele sente. Ele desenha tudo que pensa, fantasia as situações e as pessoas que o incomodam, ou seja, sua vida é um conto de fadas masculino, com direito a dragões, ursos malvados e ninjas.

    Recomendo a leitura. Você vai se surpreender com a história. E para os que reclamam que livro infanto-juvenil é infantil demais, leia com o pensamento na ideal centra da história. Tenho certeza que você vai se emocionar com o final e pensar: “Gostaria de ter feito uma escola assim!”

    Beijinhos,


    A filha da Feiticeira - Paula Brackston - Bertrand Brasil




    “Era uma expressão que só se poderia encontrar naqueles que são jovens o bastante para ter mentes abertas como os oceanos e os corações ansiosos por provas de que magia existe” p. 43

    Nada melhor do que começar a resenha de A filha da feiticeira com um quote tão bonito como esse. Gostei muito da metáfora das “mentes abertas como os oceanos”, pois visualizei a cena, assim como senti a história do livro e vivi todos os momentos com a personagem principal. Senti suas dores, torci por um final feliz, prestei atenção em suas histórias e por fim, fiquei com uma vontade enorme de descobrir a magia dentro de mim.

    Sinopse:

    Cada era exige um novo diário. Assim sendo, começa este livro das sombras. Após a morte, em 1628, de toda a sua família, a menina Elizabeth, de 15 anos, consegue abrigo com o bruxo Gideon Masters. Contudo, ele a aprisiona e a inicia na magia, tornando-a um ser eterno. Com a fuga da jovem, anos depois, o tutor a persegue ao longo dos séculos, passando por momentos importantes da história da humanidade.

    Com traços de romance histórico e elementos de fantasia, A Filha da Feiticeira é uma arrebatadora iniciação no mundo mágico, embora perigoso, da feitiçaria. É impossível esquecer essa heroína forte e independente, que sobrevive a pragas e guerras, na busca por se manter fiel a seus princípios.

    A autora descreve com destreza épocas e locais distintos ao longo dos tempos, como a Inglaterra de 1628, a Paris de 1917 e os dias atuais. Para isso, Paula Brackston pesquisou durante anos as características das sociedades que lá viviam. No fim, uma certeza: o desejo urgente por uma continuação.

    O que mais me encantou no livro foi a capa misteriosa e linda. Fiquei apaixonada pela sinopse, porque amo histórias de bruxas e para conquistar de vez o meu coração me encantei com um vilão que não merecia. Como assim? Vou explicar. No início da história o leitor vai conhecer um pouco da história de Bess que viveu na época da caça às bruxas em um vilarejo pequeno na Escócia.Depois de muitos acontecimentos, a jovem fica muito próxima do vilão. Neste momento, fiquei encantada. Mesmo sabendo da origem de Gideon, eu gostei dele, mas no meio para o final deixei de gostar e torci por um fim trágico! Sou rancorosa, com os personagens que enganam meus sentimentos. rs

    O livro é grande, mas apesar disso, as histórias paralelas da vida de Bess conquistam o leitor e o faz devorar as palavras procurando por mais histórias. O cenário é bem detalhado, o que me fez viajar na leitura junto com a personagem e sentir suas dores e amores. Por isso, preciso dar os parabéns para a escritora, porque escrever um livro sobre feiticeira e ainda envolver os leitores em todas as épocas é sensacional. A relação que ela fez do vilão com outro vilão da história Inglesa também renderam muitas risadas, apesar de trágico. No início demorei para entender, mas depois percebi quem era Gideon naquela história.

    Apesar de ter amado as histórias da Bess, achei a narrativa central um pouco confusa e monótona. Parece que a autora criou a Tegan para ter um plano de fundo e com isso fechar a história. Só que o passado de Bess é tão sensacional que relevei isso e curti todos os momentos.

    O livro nos faz dar viajar por várias épocas e até conhecer um pouco de História nas entrelinhas. No início lemos sobre a Europa Feudal e a caça incessante à bruxas da Igreja Católica, no meio descobrimos sobre a medicina do século XIX e o ambiente social da cultura inglesa e para terminar com chave de ouro a autora nos presenteia com uma história sobre a Primeira Guerra Mundial. Fantástico! Só lendo mesmo para sentir o que senti com esse livro.

    Recomendo a leitura imediata. Por fim, deixo um vídeo da música mais temida pela personagem principal: Greensleves. Cuidado ao ouvir essa música, o vilão mais temido do mundo pode estar por perto!




    Beijinhos,


    Embarque com a Galera Record


    O Romances e leituras está em festa e não é uma festa qualquer, saímos de barco com a Galera Record para um passeio literário em alto mar!


     Para quem não sabe a Galera Record fez uma festa em um Saveiro no Rio de Janeiro para falar dos lançamentos e próximos eventos da editora. O evento foi fechado para os parceiros antigos da editora que moram no Rio, mas tenho certeza que os novos parceiros estarão nesta festa ano que vem.

    O saveiro é lindo, as comidas estavam deliciosas, a música animada e a galera muito gente boa! Conheci outras blogueiras,revi amigas antigas e dancei muito com a Nica do blog Drafts da Nica. Nós tivemos muita sorte com o tempo, que amanheceu chuvoso, mas deu uma trégua possibilitando um ótimo mergulho no meio do passeio. A galera ficou com vergonha no início, mas depois a maioria pulou e curtiu o mar de Niterói!


    Para os leitores só tenho algo a dizer, a Galera Record está cheia de novidades e parece que em Junho algo muito bom acontecerá no lançamento do livro As Princesas que a Meg Cabor, a Paula Pimenta, a Lauren Kate e a Patrícia Barboza escreveram juntas! Estou morta de curiosidade, mas eles não nos deram nem uma dica!



    Para as outras editoras peço que sigam a ótima ideia e façam festas para juntar os blogueiros e criar um vínculo maior com quem lê ,com tanto carinho, os seus livros.



    Obrigada a Galera Record pelo incrível passeio e espero mais eventos!

    Para terminar vejam o kit lindoooo que ganhei da Galera junto com o Livro A probabilidade estatística do Amor à primeira vista! Já quero ler! \o/



    Beijinhos,


    O Plano Perfeito - Sidney Sheldon

    Editora: Record. 
    Páginas: 306 
    Ano de Lançamento: 1999


    Duas pessoas igualmente obstinadas em rota de colisão. Uma, o governador do Kentucky, Oliver Russell. Um homem com planos de conquistar a Casa Branca. A outra, a bela e ambiciosa Leslie Stewart. Uma mulher determinada a vê-lo perder tudo. Em breve, os dois descobrirão que mesmo os planos mais perfeitos podem dar errado. E com consequências mortais. Nesse livro Sheldon introduz o leitor no universo de duas das mais poderosas instituições: a política e a imprensa.

    Sidney Sheldon se tornou um dos meus autores preferidos por influencia do meu pai, que é fã e me ensinou a gostar. Passei a ficar fascinada por tudo dele, tanto que estou comprando aos poucos dos os livros dele já publicados no Brasil. Todos os livros que li dele receberam cinco estrelinhas, até que então li “O Plano Perfeito” e me decepcionei POR COMPLETO com o final. Aliás, fui me decepcionando gradativamente. O livro começa muito muito bem, e me envolvi na leitura inicialmente. Só que ao longo do livro a história foi se perdendo muito, e a Leslie que era par ser a personagem principal deu seu lugar para outra personagem que não tem muito haver com a história. Confesso que fiquei um tanto confusa e ao final quando me deparei com o desfecho da história não pude evitar tamanha decepção.

    Este livro tinha tudo para ser inesquecível, incrível, perfeito porque tem como cenário principal pessoas influentes e tudo que elas são capazes de fazer para chegar ao poder. O mais interessante de tudo isso é a história demonstra isso com muita realidade, uma característica marcante da escrita de Sheldon. A personagem principal, Leslie Stewart é uma daquelas personagens que eu adoro, demonstra ingenuidade, mas com o tempo solta toda sua fúria e não deixa passar em branco o que o seu ex-noivo, Oliver Russell, a fez, e com toda a força vai atrás de sua vingança. 

    Não sei por que, mas ainda que Sheldon tenha colocado todos os seus principais elementos na história: romance, suspense e mistério, o livro não me agradou, não pretendo algum dia reler e com certeza ficará na minha estante como a lembrança de que até meus autores preferidos são capazes de me decepcionar. Infelizmente. 

    Apenas recomendo este livro aqueles que são fãs de Sheldon e querem ler todos os seus livros. Os demais, não percam seu tempo, Sheldon possui obras melhores para serem apreciadas. 

    “As pessoas que dirigem o país o transformaram numa ação entre amigos. Estão mais preocupadas com elas próprias do que com o povo.”

    Resultado da Enquete: Qual filme você quer ver no Movie Day?



    Gente, adorei fazer a enquete no blog. E decidi que como foi um sucesso e todo mundo adorou a ideia pensei em fazer o Movie Day com todos os filmes escolhidos para a enquete. Vai funcionar assim: serão 4 semanas, em cada semana falarei de um filme, sendo que será por ordem de votação. Ou seja:

    1ª Semana: Valente (Primeiro colocado)  
    2ª Semana: Espelho, espelho meu (Segundo colocado)
    3ª Semana: Um verão para a vida toda (Terceiro colocado) 
    4ª Semana: Qualquer gato vira-lata (Quarto colocado) 

    Assim todo mundo vai ter a chance de curtir um Movie Day com o filme que votou e ainda saber minha opinião, legal né? Entrando já no clima, que tal me falarem sobre Valente para eu ter uma noção do que me aguarda?

    Série Day: The Carries Diaries




    A série The Carrie Diaries foi criada com base no livro de mesmo nome da escritora Candace Bushnell. Preciso comentar que o livro é interessante, mas não é tão marcante quanto a série. No livro achei a Carrie imatura, chata e sem graça. Até cheguei a rever os filmes de Sexy and the city para analisar melhor o perfil da personagem, mas quando vi os primeiros episódios da série me apaixonei!

    Ps: Vi os filmes, porque não gostei muito da série, mas agora estou pensando seriamente em rever tudo!


    Para que ainda não sabe, The Carrie Diares conta a história da adolescência de Carrie Bradshaw a personagem principal de Sexy ahd the city interpretada por Sarah Jessica Paker. A atriz que interpreta Carrie mirim é linda, fofa, carismática e está fazendo um excelente trabalho. Fora que arrumaram um ator para ser o par romântico da Carrie que é lindo demais e combina muito com ela. Sabe aquele casal lindo de se ver? Aquele casal que se comunica com os olhos e que ilumina a tela. Ai, estou apaixonada pela série! Eles são lindos juntos. Quando ficam juntos rsrsrs


    Pode ser impressão minha, mas Anna Sophia Robb ( Carrie baby) tem um jeito de andar muito parecido com o da Sarah Jessica Paker ( Carrie adulta). Sério! Achei incrível isso! Encontram uma atriz muito linda e parecida com a outra. Séries deste tipo são bem complicadas de serem montadas e adaptadas, porque você já tem uma presença muito forte da personagem, então todo detalhe é pouco para os fãs apaixonados.


    Outra coisa que amei foi o fato da série se passar nos anos 80. Aí, é um show de roupas coloridas, estilos diferentes, músicas animadas, gírias engraçadas e paz e amor! É muito interessante assistir uma série sobre a outra época e sobre adolescentes de 30 anos atrás!Ver como eles cresceram, como eles viviam sem celular, como eles se divertiam e ver que os problemas dramáticos continuam os mesmo. Mouse a melhor amiga de Carrie, quer aprender a fazer sexo direito, Maggie ,também amiga, é a mais descolada, porém carente. Walt o amigo das meninas e namorado de Maggie é gay, mas tem vergonha e medo de assumir. É muito legal ver a origem de temas polêmicos de hoje em dia.


    Maggie


    Mouse

    Recomendo a série! Ela é leve, divertida, fofa e cheia de valores fundamentais para a construção de uma personalidade forte e bem feita. Ah, fora que os rótulos estão presentes, mas são desmistificados por Carrie a cada final de episódio. Assistam! Vale muito a pena. Ah, é para TODAS as idades! Sem essa de não assistir, porque é mais velha e talvez possa não gostar. A série se passar nos anos 80 então, se você é mais velha vai amar só por poder relembrar a adolescência! Sem desculpas...

    Quem quiser saber mais é só entrar no site "oficial" da série no Brasil

    Beijinhos,


    O príncipe da Névoa - Carlos Ruiz Záfon - Suma de Letras



    O livro me surpreendeu! Mais uma vez me encantei pela narrativa de Carlos Ruiz Záfon, que é de longe meu autor internacional favorito. Eu comecei a ler esperando uma história juvenil inocente e terminei chocada e aterrorizada. O vilão é muito mal e o final foi embora de supetão, assim como uma tempestade de verão.  Quando eu dei por mim já tinha terminado o livro em 1 dia e estava esperando respostas.

    Escolhi este livro porque foi o primeiro livro que  Carlos Ruiz Záfon escreveu e fiquei super curiosa para ver se a narrativa era tão boa quanto de A Sombra do Vento, seu livro de maior sucesso. Gostei muito e não me arrependi, a narrativa é leve, a leitura flui bastante e os personagens são diferentes. São adolescentes do século passado que vivem de outra maneira e se divertem com passeios de bicicleta e histórias misteriosas. Muito diferente dos jovens de hoje que não desgrudam da tecnologia, por isso achei interessante deslocar a cabeça para outro tipo de história.


    Sinopse: A nova casa dos Carver é cercada por mistério. Ela ainda respira o espírito de Jacob, filho dos ex-proprietários, que se afogou. As estranhas circunstâncias de sua morte só começam a se esclarecer com o aparecimento de um personagem do mal - o Príncipe da Névoa, capaz de conceder qualquer desejo de uma pessoa, a um alto preço.
    O Príncipe da Névoa é o primeiro livro da Trilogia da Névoa. Os outros, O Palácio da Meia-Noite e As luzes de Setembro ainda não foram publicados no Brasil, mas acredito que a Suma publique até o final do ano. Quero muito saber o que o vilão vai aprontar!

    A história é um pouco sombria, não tem terror, mas o clima é de suspense e drama. O cenário do livro é  o de uma família que resolve se mudar para o interior em busca de paz e segurança, diante da Segunda Guerra Mundial. Maximilliano Carver descobre em um vilarejo uma ótima oportunidade para criar seus filhos longe dos perigos da guerra, mal sabia ele, que aquela terra era o oposto da tranquilidade.

    O leitor fica o tempo todo querendo saber o que vai acontecer e tentando desvendar o mistério do Príncipe da Névoa, que é um vilão muito ruim. Queria saber mais da história dele para fazer conexões com suas atitudes, mas o livro é pequeno e foi feito na medida certa para adolescentes. Eu, é que sou uma leitora burra-velha que morre de curiosidade e quer saber de todos os detalhes do livro hahaha Espero que na continuação o vilão mostre a sua verdadeira face!

    Um detalhe que gostaria de destacar é a relação de Max com o pai e a mãe. O menino tinha 13 anos e tinha total liberdade para andar sozinho pela ilha e tomar conta da casa. O pai confiava nele e pedia sua opinião e apoio em tudo. Ele era o homem da casa. A relação de Max com as irmãs, Irina e Alicia também foi bem interessante de observar, porque eles brigavam como irmãos, mas demonstravam afeto o tempo todo. Um protegia o outro. Bonito de ler e de imaginar também, porque hoje em dia isso é um pouco raro no caso dos pais.

    A capa é linda e diferente das capas de livros juvenis. Segue bem a linha dos livros de Záfon. No inicio, eu pensei que o livro fosse para adultos e que a capa não combinava, mas quando terminei de ler vi que a imagem tem tudo a ver com o contexto e o melhor, já introduz o leitor ao ambiente sombrio do livro. Adorei!

    Recomendo a leitura o livro é muito bom e deve ser lido em uma tarde tediosa de Domingo. Tenho certeza que seus olhos não vão desgrudar e você dormirá pensando no poder de um desejo.


    Assistam o booktrailer do livro!





    Beijinhos,


    Movie Day - Plano B


    Stan: "É teimosa, suspeita de todos e não confia em homens."


    A vida de Zoe é quase perfeita. Ela tem o emprego dos seus sonhos, tem amigos incríveis,  uma avó amorosa. A unica coisa que incomoda Zoe é o fato dela não conseguir encontrar o cara certo. Cansada de esperar pelo seu príncipe encantado, Zoe resolve que vai ser mãe,  ela não quer de nenhuma maneira morrer sozinha ou ficar para titia. Já que não se tem o príncipe  ela mesmo resolverá seus problemas sobre a maternidade sozinha. Solução? Inseminação artificial  Logo depois, conhece o gatissímo Stan, por quem logo se apaixona. Só que agora Zoe está grávida, será que Stan conseguirá lidar com essa repentina notícia? Será que essa relação sobreviverá aos 9 meses mais complicados da vida de uma mulher?

    Plano B foi uma surpresa muito agradável para mim. Juro, quando a gente não espera nada de um filme, ele te surpreende. Já havia assistido outros filmes com a Jennifer, mas nesse ela está incrivelmente engraçada, acho que nunca ri tanto em um único filme. E além disso, a história tem uma criatividade sem igual. Primeiro porque não é aquela comédia bobinha sabe? É tudo ao contrário, primeiro a gravidez, depois o amor e quem sabe um futuro casamento. É a ideia de que para formar uma família não precisa ser de uma forma tradicional, não precisamos seguir uma ordem.  Pronto! É isso Plano B, a exploração sobre casamento, relações familiares, amor de uma forma diferente e inusitada. 
    Nossa, tudo nesse filme é legal. A trilha sonora, a escolha dos atores, a química entre eles e principalmente o cachorro da Zoe *---* . Enfim. É uma boa comédia romântica, daquelas que você não conhece parar de rir. JLo voltou as telonas em grande estilo, e espero que faça mais filmes parecidos com esse. Plano B é uma comédia para gargalhar alto! 

    Aviso: Todos devemos ter um plano b.


    Bruna Vieira - Depois dos Quinze




    Editora: Gutenberg
    Ano de Lançamento: 2012.
    Páginas: 200


    "Bruna Vieira, tem 18 anos, é colunista da revista Capricho e dona do blog Depois dos Quinze. Começou a escrever porque descobriu que o amor da sua vida era, na verdade, apenas o amor de uma das centenas de fases que ela já viveu. Desde então, com a ordem das palavras escritas e compartilhadas nas redes sociais, Bruna superou a timidez, viajou para a Europa, fez duas tatuagens, mudou de vez para São Paulo e tornou-se uma das adolescentes brasileiras mais influentes da internet, com milhares de fãs-leitoras-amigas-seguidoras. Neste livro você encontra uma mistura de histórias, desabafos e segredos de uma garota que nasceu no interior, ama os animais, usa boinas coloridas e ainda acredita no amor simples e verdadeiro."

    Comprei "Depois dos Quinze" porque sempre gostei do blog da Bruna e da coluna dela na revista Capricho. O começo da leitura foi agradável, marquei várias frases interessantes e me identifiquei com algumas passagens, porém com o passar do tempo a leitura acabou se tornando maçante e repetitiva. Sempre aquilo: dor de quem já sofreu muito por amor, correspondido ou não. Impossível ou não.

    Já tinha dito no twitter: o blog da Bruna é legal, mas juntar tudo e compilar em livro não foi uma ideia bacana. A ideia de escrever e crescer na internet é boa sim, aquilo de compartilhar seus sentimentos, seus segredos, não ter medo de se esconder é legal. Ter um blog para desabafos se tornou comum, principalmente entre as meninas, até eu, mera humana já tive um. É só escrever aquilo que as pessoas sentem/sentiram e elas se identificaram. Agora colocar tudo isso em livro é outra história. 

    O livro na verdade é isso: tristeza, depressão e amores não correspondidos/impossíveis. Tudo bem, eu confesso, que se fosse há 1 ano atrás esse livro seria perfeito para mim e o que estava passando, mas agora? NÃO! A vida é muito muito mais bela do que ficar trancada sofrendo por quem não te dá valor. 

    Bruna que me desculpe, sei que ainda escreverá muitos outros livros e espero que melhores. Mas eu, como leitora do seu blog, não gostei de ter juntado tudo e feito uma mistura depressiva, porque seu blog não mostra somente isso. Aliás, mostra muito mais coisa. Talvez a escolha dos contos tenha sido errônea  Na verdade não sei. Dou 2 estrelinhas porque ainda dá para se aproveitar algo, a edição é muito boa e organizada. Gostei bastante desse cuidado, queria dar mais estrelinhas, mas infelizmente ser leitora é isso gostar mais de uns livros do que de outros. 

    "Anota aí na última folha da agenda: sempre existirão outras coisas, outras pessoas, outros lugares neste mundo. O segredo é deixar ele descobrir tudo isso sozinho e ainda assim preferir você." (Pág. 33)

    Resultado :Promoção Carnaval Sexy

    Olá,

    Saiu o resultado da promoçãooo! Oba! \o/

    A grande vencedora desse kit MARAVILHOSO foi a Adriele Santana. Parabéns, querida!

    Você tem 3 dias para mandar seus dados. Caso não envie, será realizado um novo sorteio.

    Beijos!






    Hoje o Romances e leituras montou uma promoção especialmente para os leitores que não gostam muito de carnaval, mas adoram um pouquinho mais de pimenta nos livros.

    Vamos sortear o Kit da Harlequin com bolsa, marcadores, bloquinho e o melhor UM exemplar do livro Sensação e Prazer. Não tem presente melhor! Participe!

    Vamos às regrinhas?
    1. Seguir publicamente o blog;
    2. Ter um endereço de entrega no Brasil;
    3. Preencher o formulário Rafflecopter.



    a Rafflecopter giveaway


    O sorteio será realizado no fim de semana seguinte ao término na promoção;
    Perfis exclusivos para divulgação no twitter serão desconsiderados;
    O ganhador terá um prazo de 03 dias para entrar em contato com a equipe do blog, enviando os dados para postagem, caso contrário , outro sorteio será realizado;
    O prazo de postagem é de até 20 dias, podendo a mesma ocorrer antes.

    O Romances e Leituras não envia e-mail ao ganhador, portanto, fique atento ao resultado. Esse post será atualizado com o devido resultado e o banner correspondente mantido na barra lateral por 1 semana para facilitar a verificação.

    Não leia este artigo. Deixe de ser curioso! - Post Divulgação


     

    Atenção: Este post não foi escrito pelas blogueiras deste blog...

    Não aguentou? Eu sabia!  Imaginar o que vem pela frente é algo que está cravado em sua mente. E quem disser que não é curioso está mentindo.  Seu organismo, e mais especificamente, o seu cérebro se ativa quando há uma possibilidade, mesmo que remota, de você saber como será o seu futuro. Não é à toa que procuramos cartomantes, numerólogos, tarólogos e uma pá de profissionais para nos dizer o que vai acontecer daqui pra frente.
    Você imagina o motivo disso? Não? É que seu cérebro é primitivo, isto é, ele trabalha da mesma maneira como fazia há cem mil anos, quando éramos caçadores e coletores. Nesta época, saber o que ia acontecer, quando acharia caça, quando comeria ou mesmo identificar onde estaria escondido o predador ou o inimigo, era fundamental para a sobrevivência. Quanto mais curioso, mais adaptado e mais sortudo... Portanto, a curiosidade é uma característica da evolução.

     Pois esta curiosidade em antecipar os acontecimentos nos acompanha até hoje. Em nome desta faceta cerebral você faz coisas bem malucas como: pedir para alguém olhar as estrelas e prever o resto da sua vida; implorar a uma desconhecida para ver nas cartas se você conquistará seu amor; jogar umas conchinhas na peneira pra descobrir se seu objeto do desejo vai largar daquela pessoa nada a ver e correr atrás de você... Você é assim porque isto é natural, instintivo. Não é maluquice, não!

    Até os empresários fazem isso. Eles usam profissionais que são tipo uns futurólogos para prever como o mercado vai evoluir; se o consumo vai aumentar ou não; se vão surgir outras empresas no mesmo ramo e tudo o que puder e estiver ao seu alcance para ver longe e prever o sucesso.

    Olhe só, os profetas também fazem isto! Tentando definir o futuro lançam profecias que mudam a vida das pessoas - daquelas que acreditam, pelo menos.

    Agora que você já entendeu do que estamos falando, aqui vai a minha pergunta: o que você faria se soubesse o que vai acontecer amanhã? Já imaginou? Eu achei um livro bem bacana que fala disso, e ainda separei um capítulo para você ler gratuitamente.

    Faça o download Clicando AQUI

    Não sabe como ler um e-book? 


    Lua de Mel - James Patterson- Editora Arqueiro




     É sempre um prazer ler um livro de James Patterson. Sabe aquele autor que te prende do início ao fim e você sabe que vai ler tudo em apenas um dia? Então, James é assim. O melhor é que a receita é a mesma, mas os ingredientes mudam de uma forma tão positiva que você não cansa e quer ler mais e mais livros do autor. É por isso que ele é o rei do Suspense e atualmente o autor mais rico do mundo.


    Sinopse:Uma vida que parece um conto de fadasLinda, sexy e bem-sucedida, Nora Sinclair é desejada pelos homens e invejada pelas mulheres. E sua vida tem tudo para ficar ainda mais perfeita quando seu namorado, o atraente e rico Connor Brown, pede sua mão em casamento. Mas o que para muitos seria o começo do “felizes para sempre”, para Nora é a contagem regressiva para “até que a morte os separe”.Uma sucessão de acontecimentos misteriososCoisas muito estranhas ocorrem às pessoas próximas a Nora, principalmente aos homens que entram em sua vida. E isso acaba despertando o interesse do FBI. Sarcástico, malicioso e implacável, o agente John O’Hara é esperto o suficiente para saber que belas fachadas podem esconder grandes perigos. Se há algo de errado com Nora, ele é o homem certo para descobrir.
    Leia mais sinopse AQUI

     Em Lua de Mel temos uma assassina diferente, fria, calculista e com sentimentos. Logo nas primeiras páginas, já conhecemos suas intenções e sua forma de matar. Só senti falta de uma análise psicologia melhor de Nora Sinclair, mas se tivesse não seria um livro rápido e misterioso. A falta de informações torna o livro mais curioso e você foca na situação e não no personagem. Essa é uma das características do autor. Ele prende o leitor pela tensão dos fatos e vai tecendo uma teia de aranha em volta que só no fim você consegue descobrir o que vai acontecer.

    Gosto muito da forma como ele narra os acontecimentos e de como divide os seus capítulos. Curtos e ligeiros, os capítulos são bem encaixados e parecem um relógio marcando o tempo de cada pensamento do leitor. Se você sair do ritmo da leitura, você cansa e acaba desistindo. O importante é escolher um bom sofá e entrar na história de corpo e alma.

    Outra coisa que adorei neste livro é que os capítulos se revezam entre a Assassina, o Turista e o Corretor de seguros. Então, você consegue visualizar os pensamentos de todos que estão envolvidos com o livro e vibrar com cada erro cometido ou acerto. Eu adoro entrar na cabeça do personagem e viver a história com ele. Engraçado, em Lua de Mel me identifiquei muito com a Nora, a assassina, não por conta desse detalhe sórdido, mas por ser uma mulher forte, decidida e batalhadora. Apesar de viúva negra, ela é muito inteligente e isso chamou a minha atenção.

    Recomendo a leitura! Adorei o livro e quero ler mais livros de James Patterson. Parabéns a editora pela capa instigante, pelo português  impecável e pelo papel pólen que me dá até mais prazer na hora de ler!

    Ah, e homens, cuidado! Uma bela mulher pode esconder segredos fatais! hahahah

    Beijinhos,



    Movie Day - O Turista

    Poster de «O Turista»


    Frank Tuledo (Johnny Deep) sofreu uma desilusão amorosa e decidiu viajar para Veneza a fim de se recuperar e ficar sozinho. Porém, numa viagem de trem conhece a elegante, atraente e misteriosa Elise (Angelina Jolie). O que Frank “desconhece” (quem assistiu ao filme vai entender minhas aspas) é que Elise é uma agente policial e está sendo perseguida por uma máfia, tudo isso devido ao seu amante Alexander Peace ter roubado muito dinheiro de um mafioso russo. No meio dessa confusão toda, os dois acabam se envolvendo e tendo que achar soluções para manterem-se vivos.

    Os fãs da Angelina Jolie e do Johnny Deep me perdoem, mas que filme sem sentido é esse? Sério, nem “Magic Mike” que comentei aqui no blog é tão sem sentido como “O Turista”. Deus! Perdi tempo e dinheiro assistindo esse filme. Fala sério! Jolie desperdiçou todo seu talento e beleza nessa atuação, e olha que apesar de tudo, eu gosto dela como atriz, apesar de não ser a minha favorita.
    OK! Eu assumo que “O Turista” tinha TU-DO para ser um filmaço, afinal reuniu duas estrelas incríveis, tinha um roteiro com uma história bem promissora e que poderia ser bem trabalhada e foi filmado em Veneza, uma cidade incrível, com cenários luxuosos – como o chiquérrimo hotel Danieli. Talvez seja isso, cenários lindos e luxuosos usados para distrair e não deixar ser notada a falta de ritmo e ação. Sem contar com a falta de química entre o casal...
    Não foi dessa vez Deep e Jolie. Estou esperando um encontro melhor entre vocês...

    Barba ensopada de Sangue - Daniel Galera - Cia das letras



    Sabe aquele livro que você olha e já diz de cara que é muito diferente de tudo que você está acostumado a ler. Então, Barba ensopada de sangue, já assusta pelo título e pela agressividade da capa, mas é tão especial e louco que você entra na história pensando em passar por ela sem se envolver, só que não consegue e quando vê já está até sonhando com o personagem principal.

    A narrativa é em primeira pessoa, então dá para perceber logo de cara que vamos saber um pouco dos sentimentos do personagem que é intenso, solitário e confuso. Uma coisa curiosa é que ele não tem nome. Pelo menos não é citado, não que eu me lembre. Tentei até procurar algum trecho, mas o autor só o identifica por apelidos relacionados a sua profissão, ou as suas características físicas. Para mim foi um jeito de o leitor enxergá-lo da forma como ele enxerga as pessoas. Ele tem uma doença rara que não o deixa memorizar rostos, por conta disso, anda com uma foto sua na carteira.

    O livro começa de uma forma trágica e cômica ao mesmo tempo.O personagem principal se depara com um pedido totalmente inesperado. O pai vai se matar e quer que o filho sacrifique a cachorro de anos para que ambos possam morrer relativamente juntos. Só que o filho não aceita, mas ao longo da tensa conversa ele vai entendendo os motivos do pai e fecha os olhos para a morte. Entretanto, após o suicídio ele decide ir atrás do avô que foi morto misteriosamente na cidade de Garopaba há alguns anos, mas descobre que mexer no passado pode ser perigoso e doloroso.

    Gostei muito do ambiente da história e do regionalismo muito presente em toda narrativa, tanto nos diálogos quanto nas descrições dos personagens.  Santa Catarina é o Estado escolhido pelo autor em conjunto com Porto Alegre. Eu não havia lido muitos livros com gírias gaúchas e costumes do Sul, como tomar chimarrão e chamar as pessoas de Tú, guria e etc.. Muito interessante e diferente. Às vezes é bom sair um pouco da mesmice do meu carioquês.

    A pontuação do livro e a forma como os diálogos são dispostos são um charme a parte. Em um primeiro momento eu estranhei a falta de vírgula atrás de um mas ou a falta de travessão ou aspas antes de uma fala. Depois eu fui percebendo que era estilo do autor e fui entendendo o que ele queria. Realmente, a trama narrada deste jeito passa muito mais veracidade e é mais visceral. O travessão é o protocolo, mas muitas vezes corta a história e nos carrega para uma outra realidade. A falta de uma divisão de falas me permitiu refletir mais sobre a história e a enxergar a visão do personagem.

    Mais uma vez Daniel Galera me surpreendeu e meu deixou focada na história, que não tem nada de extraordinário, mas é tão chocante e dramático que o leitor fica inebriado até acabar o livro, que por sinal, nem posso comentar muito, mas o que foi aquele final?

    Recomendo o livro! É muito bom e diferente. Um dos meus autores nacionais favoritos! Agradeço a Cia das letras pela oportunidade de ler Daniel Galera se não fosse por vocês eu nunca compraria um livro dele!

    Ps: O meu exemplar é o da capa vermelha! Vi nas livrarias a capa do livros nessas três cores! Muito legal!


    Sinopse:Neste quarto romance de Daniel Galera, um professor de educação física busca refúgio em Garopaba, um pequeno balneário de Santa Catarina, após a morte do pai. O protagonista (cujo nome não conhecemos) se afasta da relação conturbada com os outros membros da família e mergulha em um isolamento geográfico e psicológico. Ao mesmo tempo, ele empreende a busca pela verdade no caso da morte do avô, o misterioso Gaudério, que teria sido assassinado décadas antes na mesma Garopaba, na época apenas uma vila de pescadores.Sempre acompanhado por Beta, cadela do falecido pai, o professor esquadrinha as lacunas do pouco que lhe é revelado, a contragosto, pelos moradores mais antigos da cidade. Portador de uma condição neurológica congênita que o obriga a interagir com as outras pessoas de modo peculiar, o professor estabelece relações com alguns moradores: uma garçonete e seu filho pequeno, os alunos da natação, um budista histriônico, a secretária de uma agência turística de passeios. Aos poucos, ele vai reunindo as peças que talvez lhe permitam entender melhor a própria história.

    Beijinhos,