• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Contato
  • Resenhas Novas

    O Diário da Princesa - Meg Cabot - Galera Record

    Mia Thermopolis, uma garota nova-iorquina comum, descobre, de repente, ser a herdeira de um reino europeu. Ela vai, então, morar com seu pai, para aprender a agir como a verdadeira nobre que é. Mas sua avó, a velha princesa Genovia, acha que ela tem muito a aprender antes de poder subir ao trono. Um grande romance que chega às telas em uma produção dos estúdios Disney.

     Meg Cabot
    Editora: Galera Record
    ISBN: 9788501062901
    Formato: 21 X 14 cm
    Ano de edição: 2012
    Número de páginas: 284
    Tradutor: Ruy Jungmann




    O que você faria se descobrisse que é a princesa de um pequeno país europeu? Mia Thermopolis pediu demissão!

    Pois é, o sonho de alguns pode ser pesadelo para outros. Foi isso que aconteceu quando Mia, ou melhor, Amélia Mignonette Grimaldi Thermopolis Renaldo, descobriu que seu pai não era apenas um político europeu ocupado, mas sim um príncipe.

    Até pouco tempo atrás tudo o que Mia precisava se preocupar era com sua falta de busto e com o fato de nunca ter saído com um garoto. Agora ela é a segunda na linha de sucessão e precisa se dividir entre as lições de princesa com a avó e sua vida como uma adolescente normal.

    Ah, uma fato sobre Mia Thermopolis (que me fez rir bastante): Se uma invasão extraterrestre tivesse início em sua casa, Mia diria que “Está tudo bem” quando os caras da NASA fossem chamados.

    O relato do dia a dia de Mia é salpicado por pensamentos e atitudes cômicas que me fez embarcar na história sem o mínimo esforço. Meg Cabot conseguiu escrever de uma maneira tão leve que cheguei a acreditar que Mia poderia ser uma garota qualquer que eu conheceria ao virar a próxima esquina, exceto pelo “problema’’ da realeza, claro.

    O Diário da Princesa é um livro fácil, engraçado e encantador. Mas isso não me surpreende, já que nunca encontrei nada da Meg que não fosse menos do que Recomendadíssimo.


    Abraços, 

    Denise Rodrigues