• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Contato
  • Resenhas Novas

    Alma? - Gail Carriger - Valentina

    Sinopse:  Alexia Tarabotti enfrenta uma série de atribulações sociais, quiproquós e saias justas (embora compridíssimas) em plena sociedade vitoriana. Em primeiro lugar, ela não tem alma. Em segundo, é solteirona e filha de italiano. Em terceiro, acaba sendo atacada sem a menor educação por um vampiro, o que foge a todas as regras de etiqueta.
    E agora? Pelo visto, tudo vai de mal a pior, pois a srta. Tarabotti mata sem querer o vampiro ― ocasião em que a Rainha Vitória envia o assustador Lorde Maccon (temperamental, bagunceiro, lindo de morrer e lobisomem) para investigar o ocorrido.
    Com vampiros inesperados aparecendo e os esperados desaparecendo, todos parecem achar que a srta. Tarabotti é a responsável. Será que ela conseguirá descobrir o que realmente está acontecendo na alta sociedade londrina? Será que seu dom de sem alma para anular poderes sobrenaturais acabará se revelando útil ou apenas constrangedor? No fim das contas, quem é o verdadeiro inimigo, e... será que vai ter torta de melado?
    Uma das séries de Steampunk mais cultuada do mundo.

    Alma? é o primeiro livro de uma série de cinco do Protetorado da sombrinha de Gail Carriger. O livro é um steampunk com toques de romance sobrenatural, o que me agradou muito.

    Eu estava há séculos querendo ler esse livro, então quando vi uma promoção na submarino corri pra comprar. Só me arrependo de não ter comprado a sequência junto porque agora estou morta de ansiedade querendo ler mais da série.

    A história se passa em plena época vitoriana, então uma jovem de 26 anos que ainda não se casou pode se considerar uma solteirona que provavelmente não vai casar nunca. Ainda mais quando a jovem em questão não segue os padrões de beleza da época, tendo a pele mais escura e o nariz mais largo.



    A jovem em questão é Alexia, uma preternatural, ou seja, uma sem alma. Isso mesmo, sem alma. No universo criado por Gail, os sobrenaturais (vampiros, lobisomens e fantasmas) só podem ser criados quando há um excesso de alma, portanto o oposto disso seriam os preternaturais, que não tem absolutamente nenhuma alma, e portanto podem anular os poderes dos sobrenaturais.

    Por um infortúnio do destino Alexia é atacada por um vampiro, o que diga-se de passagem não é nada aceitável, já que os vampiros da época devem se comportar de acordo com as regras de etiqueta e só morder pessoas dispostas, o que não era o caso.

    Para o azar do desavisado vampiro, Alexia era uma preternatural e não poderia de maneira alguma ser atacada, e acaba, por acidente, matando o coitado. Isso, claro, desencadeou uma confusão sem tamanho, já que o DAS - que é um tipo de polícia sobrenatural - teve que tomar as providências necessárias para investigar o caso, o que quer dizer que Lorde Maccon deveria interrogar Alexia, e esses dois só sabem se alfinetar - o que com certeza quer dizer que alguma atração existe.

    Conforme Lorde Maccon investiga o porque de um vampiro que parece não saber nada sobre as regras dos sobrenaturais atacar uma preternatural, Alexia vai descobrindo por conta própria que esse não é o primeiro vampiro que aparece assim. E que outros lobisomens estão sumindo.

    Em meio a todo o mistério e investigação, Lorde Maccon e Alexia interagem de maneira muito desapropriada para a época, mas muito apreciada pelos leitores. Acompanhamos muitas cenas sensuais entre o lobisomem e a preternatural, o que devo dizer que me surpreendeu, pois não esperava isso do livro.

    A narrativa do livro é rápida e fluida, li-o em apenas algumas horas, e ainda fiquei com gostinho de quero mais no final. Por se passar em uma época anterior a nossa, existem certos termos que eu não soube dizer o significado, mas nada que atrapalhe a leitura.

    Os personagens são muito carismáticos. Alexia é muito inteligente pra sua época e adora ler. Lorde Maccon é um tanto rústico e bruto, mas é o que se espera de um Alfa. Adorei acompanhar os diálogos desses dois, que são muito divertidos.

    Uma coisa curiosa sobre o livro é que os vampiros se organizam em colmeias e só a "abelha rainha" pode transformar outros vampiros. Achei isso bem original da parte de Gail, já que nunca li algo parecido.

    O livro todo é muito bom. Gostei muito da premissa dele, e a história é maravilhosa. Me surpreendi muito, embora tivesse altas expectativas quanto a ele. Recomendo a todos que o leiam, é muito bom!

    Beijos,