• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Contato
  • Resenhas Novas

    Morra por mim - Amy Plum - Farol Literário

    Sinopse: Depois que seus pais morrem em um acidente de carro, Kate e sua irmã, Georgia, vão morar com os avós em Paris. Enquanto Georgia encontra na balada a cura para sua tristeza, Kate é mais introspectiva e se recusa a sair e se divertir, até resolver ir para um café com seus livros para tomar um pouco de sol. Ela conhece Vincent, um belo e misterioso garoto parisiense. Ao se relacionar com o menino e descobrir sua história, Kate tem que escolher entre deixar sua paixão de lado e seguir a vida em segurança, e assumir seus sentimentos e toda a complicação que seria namorar alguém imortal e com inimigos, e mudar para sempre sua vida.
    "Eu sabia que existia algo diferente em Vincent. Eu tinha sentido isso, mesmo antes de ver sua foto no obituário. Era algo distante de mim, e muito obscuro para eu conseguir entender. Então eu ignorei. Mas agora vou descobrir quem ele é."





    Desde que ouvi falar nesse livro tenho estado muito ansiosa pra lê-lo. Criei expectativas acima da média, e esperava que fosse um dos melhores livros que li. Porém não foi bem assim. Apesar de o livro não ser ruim - eu até gostei - também não foi aquela coisa. Eu espera algo mais dele, achei meio juvenil de certa forma. Mas enfim, vamos à história.

    O livro conta a história de Kate, uma menina de 16 anos que acabou de perder os pais e vai morar em Paris com a avó - amei essa parte, porque os cenários de Paris são lindos de imaginar. Kate ainda sofre com a brusca mudança em sua vida, e diferente da irmã mais velha, ela se fecha pro mundo e sua única companhia são seus livros. Isso até que ela esbarra com Vincent enquanto lê em um café. Imediatamente ela se sente atraída por esse cara lindo e misterioso - meio juvenil, não disse?

    O mistério começa quando ela presencia Vincent salvar a vida de uma menina que pulou da ponte e vê pessoas lutando com espadas no local, o que é muito estranho se considerarmos a época em que vivemos. Logo depois ela esbarra com ele novamente no café em que costuma ler e não consegue evitar pensar nele.


    Apesar de achar que ele é encrenca, e que deve se preservar, Kate não pode deixar de se envolver com ele, um cara bonito de conversa fácil e que a agrada muito. Isso até ela presenciar o amigo dele pular em um trilho de metrô pra salvar um homem e morrer ao fazer isso. Mas isso não é nada. O pior é ele não demonstrar reação alguma ao ver isso. Como se não fosse nada demais e isso é algo que Kate não consegue lidar, então ela corta relações com ele. Isso até ver Jules (o amigo que morreu) vivo. Dizer que isso é estranho é o eufemismo do século, então Kate vai em busca de respostas.

    Essa é a parte que me surpreendeu. Achei muito original da autora criar isso. Não vou dizer que respostas Kate encontra porque seria um spoiler daqueles e estragaria tudo de bom do livro, na minha opinião. Mas uma coisa eu posso dizer: é surpreendente. Nunca pensaria numa coisa dessas, e me agradou muito!

    Tirando a parte juvenil do livro,o que é extremamente chato - sério, Kate as vezes é bem infantil - até que é uma leitura boa. Não que não seja compreensível o que a personagem sente - sério, quem em são consciência aguentaria o que ela descobriu sem ter no mínimo um ataque?! - mas eu esperava algo mais adulto. 

    Enfim, a história do livro é muito boa. E os capítulos curtos fizeram passar em um piscar de olhos. Li bastante rápido. E o livro é realmente surpreendente nessa questão de o que ele é. Recomendo a leitura desde que não estejam esperando muita coisa. É um romance bem juvenil mesmo, daqueles com personagens meio sem sal (na minha opinião, claro), mas até que é gostoso de ler.

    Beijos,