• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Anuncie
  • Resenhas Novas

    As Mentiras de Locke Lamora - Scott Lynch

    Edição: 1
    Editora: Arqueiro
    ISBN: 978-85-8041-249-9
    Ano: 2014
    Nº de Páginas: 463

    Sinopse:
    O Espinho é uma figura lendária: um espadachim imbatível, um especialista em roubos vultosos, um fantasma que atravessa paredes. Metade da excêntrica cidade de Camorr acredita que ele seja um defensor dos pobres, enquanto o restante o considera apenas uma invencionice ridícula. Franzino, azarado no amor e sem nenhuma habilidade com a espada, Locke Lamora é o homem por trás do fabuloso Espinho, cujas façanhas alcançaram uma fama indesejada. Ele de fato rouba dos ricos (de quem mais valeria a pena roubar?), mas os pobres não veem nem a cor do dinheiro conquistado com os golpes, que vai todo para os bolsos de Locke e de seus comparsas: os Nobres Vigaristas. O único lar do astuto grupo é o submundo da antiquíssima Camorr, que começa a ser assolado por um misterioso assassino com poder de superar até mesmo o Espinho. Matando líderes de gangues, ele instaura uma guerra clandestina e ameaça mergulhar a cidade em um banho de sangue. Preso em uma armadilha sinistra, Locke e seus amigos terão sua lealdade e inteligência testadas ao máximo e precisarão lutar para sobreviver.



    Este livro foi uma caixinha de surpresas e tenho imenso prazer em dizer que foi uma leitura muito proveitosa e enriquecedora. Ultimamente tenho lido poucos livros de fantasia e, mesmo após ler a sinopse, não fazia ideia do grande enredo que ele escondia. A trama é repleta de peculiaridades, começando pela estruturação dos capítulos (com inúmeros subcapítulos). Há uma alternação de tempo entre as narrações, nos fazendo viajar para diferentes épocas e entrelaçando acontecimentos de modo que nos faz entender a conexão que há entre eles e a responder alguns porquês que vez ou outra pairam pelo ar.

    O cenário é encantador e nos faz lembrar de Veneza e seus gondoleiros, mas numa época bem mais distante. O universo criado pelo autor é deveras fascinante e somos arrebatados para a cidade de Camorr de forma incrível. O clima de mistério e suspense que envolve os assassinatos dos líderes das gangues que assolam a cidade dá aquele ar de Sherlock Holmes e nos vemos envoltos pelos tentáculos da investigação. Além disso, Não tem como não simpatizar com o jovem Locke Lamora, ou Espinho, como é conhecido.

    A escrita do autor é viciante, os diálogos são cheios de sarcasmos e malandragem. A cada virar de página a atmosfera venenosa nos envolve sem piedade, as pitadas de humor negro são astuciosas e, apesar dos confrontos sangrentos, ainda é possível dar boas gargalhadas. Ou seja, tem como não devorar um livro desse? Mesmo com um início meio confuso devido à quantidade de informação, as coisas vão se tornando mais claras e logo é impossível desgrudar da leitura.

    Um livro escrito com maestria, nuances poderosas e com intricados muito bem pensados. As mentiras são épicas, hilárias e cabeludas. O desfecho é, sem sombra de dúvidas, maravilhosamente bem orquestrado e assustador. Um turbilhão de emoções e e sensações tomam conta do leitor e dizer que o livro é perfeito, é pouco. A capa traduz exatamente a cidade de Camorr, com estruturas futuristas dentro de um mundo antiquado e suntuoso.

    Como tudo hoje em dia, o livro faz parte da série Nobre Vigaristas e, se não me falhe a memória, enquanto pesquisava sobre o mesmo, encontrei algo sobre uma adaptação. Só não recordo se é para TV ou cinematográfica. O fato é que, com adaptação ou não, este livro deve ser lido sem sombra de dúvidas pelos amantes de uma boa história e, claro, de fantasia. O autor deve ser discípulo de George R. R. Martin. Será? Porque que mente criativa, minha gente! É de tirar o chapéu.

    Se recomendo? Está esperando o quê pra comprar o seu? Hahahaha