• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Contato
  • Resenhas Novas

    O Canto das Sereias - Val McDermid

    Edição: 1
    Editora: Bertrand Brasil
    ISBN: 978-85-286-1901-0
    Ano: 2014
    Páginas: 490

    Sinopse:

    Inspirado pelo acervo de um museu dedicado a aparelhos de tortura, o Assassino de Bonecas – como é conhecido por abandonar suas “obras de arte” em locais de público gay – parece ter descoberto a grande vocação de sua vida. E suas mortes são planejadas com tamanha frieza e impiedade que não deixam nenhum rastro para trás. Por causa da ausência de pistas, o psicólogo Tony Hill é convocado para ajudar na investigação. Com a ajuda da detetive Carol Jordan, sua missão é entrar na mente do criminoso e estabelecer um perfil que possibilite desvendar sua identidade. No entanto, mesmo para um profissional experiente como ele, a série de mutilações sexuais seguidas de assassinato é diferente de tudo que já viu antes. Um suspense psicológico tenso e muito bem escrito, O canto das sereias explora a mente atormentada de um assassino em série diferente de qualquer outro que o mundo da ficção já tenha visto. Os métodos de tortura utilizados, assim como o modo de abordagem das vítimas – narrados pelo criminoso em seus relatos sombrios – chocarão os leitores.


    O que dizer deste livro? Sinceramente? Uma das resenhas mais difíceis que já escrevi. Sou uma verdadeira fã de thrillers e romances policiais e tenho na estante Harlan Coben, Lisa Gardner e outros autores do gênero. Val McDermid certamente entrou para lista dos preferidos e me deixou boquiaberta com esse magnífico trabalho. Embora este seja o sexto livro da autora publicado no Brasil, é meu primeiro contato com sua obra e, definitivamente, já entrei para o clubinho de tietes.

    O Canto das Sereias é um livro lindamente orquestrado, com uma narrativa que alterna entre primeira e terceira pessoa, nos envolvendo graciosamente com seu enredo viciante e chocante. No decorrer da história, acompanhamos as investigações através do ponto de vista de três personagens e, ao mesmo tempo, somos levados ao passado pelo assassino. O qual deixou registrado em arquivos a trajetória que o levou a arquitetar cada passo dos seus crimes, suas inspirações e a frieza e a naturalidade de seus pensamentos deturpados.

    É claro que as investigações no incita, porém o que me ganhou foi certamente a narrativa do nosso doentio e desequilibrado criminoso. Assim como em Ecos da Morte (quem já leu sabe). Val foi uma verdadeira perita ao criar a personagem e a mesma é tão convincente que chega a ser revoltante. A crueldade é soberba e assustadora, ao mesmo tempo em que encanta, assusta. Uma mente criminosa completamente aberta e exposta para o leitor, derrubando os clichês dos perfis psicológicos comumente traçados.

    Além disso, a escrita concisa e divina de Val é incrível. Rica, verdadeira, culta, informativa...  O protagonista, o psicólogo Tony Hill, também tem seu encanto e, diferente do assassino, me ganhou por motivos de: Adoro homens inteligentes. Hahahaha. Já a detetive Carol Jordan me conquistou porque adoro personagens femininas Bad Ass, então... Só posso dizer que este livro é perfeito. Que livro, minha gente! Poderia passar horas escrevendo sobre ele, mas vou ater-me às poucas palavras acima e, pra você que AMA crimes ficcionais, leia este livro!

    Segundo minha pequena pesquisa, a HBO comprou os direitos para estrear uma série baseada neste livros (e nos próximos da série Tony Hill e Carol Jordan) que se chamará Rastros de Sangue. ESPERO QUE CHEGUE AO BRASIL. Amém.

    Quando percebi que teria de me tornar homicida, a lembrança do museu de tortura surgiu diante de mim como uma musa. Sempre trabalhei bem com as mãos. Depois da primeira vez, parte de mim esperava que não houvesse a compulsão de repetir o ato. Mas eu sabia que, se tivesse de fazer de novo, da próxima vez seria melhor. Aprendemos com nossos erros as imperfeições de nossas ações. E, felizmente, a pratica leva à perfeição.


    Abraços,
    Sabrina Castro.