• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Contato
  • Resenhas Novas

    Quotes cativantes: Abra e Descubra

    Olá, galerinha mais linda desse Brasil varonil! Hoje é sexta, dia de dormir mais tarde e aproveitar para tirar da estante aquele livrinho esquecido que nunca sai da lista de leitura, hum? Eu escolhi um livro que está há mais de um ano na minha estante e, olha, a quote reacendeu a chama. Hahahaha Comprei pela sinopse (porque a capa não é muito atrativa) e acabei enrolando na leitura e deixei o pobrezinho de lado. Vamos descobrir comigo o que ele esconde?

    Como funciona a brincadeira: Escolha um livro que você tem e nunca leu, mas tem vontade de ler e abra em qualquer página. Leia tudo e selecione o quote mais interessante da página. Só tenha cuidado para não abrir em uma página no final e descobrir como a história termina. A intenção é incentivar você a pegar o livro esquecido e deixar com que o quote te conquiste para que você passe o livro na frente de outros na sua fila de espera.

    O livro:



    Quote - Página 132

    A jaula cheirava a sujeira e podridão, suor e sangue. Talvez tivesse cerca de 1,50 metro de comprimento e a metade da largura, pequena o bastante para que ele não pudesse se esticar e tão curta que precisaria se dobrar para a frente se tentasse ficar de pé. Não que tivesse vontade de se levantar; não queria mover-se nem um milímetro. Estava inundado numa semiconsciência nebulosa, imerso na dor e ardendo em febre. Os olhos embaçados e inchados, quase fechados com as feridas, visualizaram barras de bambu estreitamente espaçadas, o teto de metal ondulado e, abaixo dele, uma esteira de palha imunda. Sua visão estava tão oscilante que a própria palha parecia tremer com uma vibração sutil. Sentia dor. Alguns dos ferimentos eram da luta. Os nós dos dedos inchados e cortados em talhos profundos, latejavam, assim como os ossos das mãos inchadas. A mão direita não funcionava bem e estava quase certamente quebrada. Ambos os pulsos doíam profundamente. Os cortes feitos pela faca: um, uma faixa de fogo em seu braço, o outro, uma ardência urgente percorrendo as costelas, doíam tanto, mesmo naquele torpor, que ele sentia como se as próprias feridas estivessem se movendo.

    Uau! Só eu fiquei com dó da personagem? O que será que aconteceu com ele? Bem, como disse no início, a quote me deixou bem curiosa. Então, este pequeno tesouro vai entrar na minha lista de leituras de fevereiro. E vocês? O que acharam? Deixem suas opiniões sobre a quote nos comentários. :)

    Beijão.