• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Contato
  • Resenhas Novas

    Um experimento chamado homem - Nelson F.

    "Amor é a planta que sem água perece. Amor é a planta que com enchente apodrece."
    Marek é, do ponto de vista de um humano, um extraterrestre do planeta de Kao, um planeta cuja 'idade' é praticamente a mesma que a da Terra, mas é infinitamente mais evoluído em termos tecnológicos e sociológicos. 

    Narrado em primeira pessoa, Um experimento chamado homem nos conta a história de Marek, seu trajeto de vida e ao mesmo tempo a história evolutiva do universo e dos planetas existentes nele.

    Durante sua vida Marek passou por diversas experiências que o moldaram como é hoje; Entrou pra Universidade, estudou a astrobiologia, teve sua primeira namorada, o primeiro sexo e seu primeiro coração partido, foi pra guerra e quase morreu antes de se estabelecer onde está hoje, numa das naves de pesquisa do planeta K74WKZF, ou simplesmente a Terra.

    Ao mesmo tempo em que narra os acontecimentos de sua vida, Marek nos conta sobre o processo evolutivo dos seres em geral - que é o foco de seu estudo durante a Universidade -, e as compara com a atualidade, onde há muito mais tecnologia e onde, presumi-se, os seres são mais evoluídos socialmente.

    Com uma narrativa um tanto elaborada e técnica, o autor Nelson faz uma comparação do homem pré-histórico, com todos os seus instintos animalescos, com o homem atual, com toda a tecnologia disponível e apenas novas maneiras de evoluir. A grande sacada desse livro é justamente essa: nos mostrar como estamos sempre em evolução, e como, independente de quão supostamente evoluídos somos, ainda temos os mesmos instintos pré-históricos, como a violência, o sexo e a busca do parceiro ideal pra reprodução - embora reajamos a esses instintos de maneira diferente.

    Outro ponto interessante do livro é o fato de falar de extraterrestres. Diferente da maioria das ficções por aí, o autor trate o tema de forma puramente científica. Os moradores de Kao não são nenhum bicho de sete cabeças, são apenas outro tipo de seres vivos que tem mais semelhanças com os terrestres do que pode parecer. 

    Por mais que seja um livro extremamente científico - quem não curte ou não tem muito entendimento de biologia, por exemplo, provavelmente não vai gostar (ou entender) do livro - o autor trata de temas muito importantes e interessantes, mesmo que de maneira inusitada e indireta, como o amor, a violência, a infidelidade, o aquecimento global e outros.

    De maneira geral, eu, que sou uma pessoa completamente da área de exatas e adora a ciência e a biologia, adorei o livro. Foi uma experiência completamente diferente, e que apesar de ser ficção, tem muitos pontos que o autor toca no livro que são verdadeiros (no meu ponto de vista). E por mais que a narrativa seja levemente complexa, é muito fluida, e envolvente. mantendo o leitor sempre interessado no que Marek tem a dizer. Pra quem é fã do tema esse é um ótimo livro!

    Classificação



    Beijos,