• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Contato
  • Resenhas Novas

    Lilac - Deise Müller

    Tente fazer com que eu me lembre de que amo vocês.

    Lilin, uma succubus ambiciosa, tenta aniquilar Lúcifer e, como punição, é enviada à Terra e destituída de seus poderes. Transformada em feiticeira, Lilin assume vários consortes e começa um plano para reinar sobre os seis clãs dos feiticeiros. Meg cresceu acreditando ter herdado habilidades mágicas de sua tataravó feiticeira e seu pai tenta fazer com que ela e sua irmã se interessem pela arte oculta, porém a última coisa que uma adolescente quer é aprender feitiços com sangue e adagas afiadas. Entretanto, quando Lauren, sua irmã, é assaltada e baleada, e Lucas seus ex-namorado, desaparece misteriosamente, Meg se arrepende de não seguir os conselhos do pai. Ela retorna à cidade onde cresceu para se afastar da dor do passado e da acusação nos olhos do pai. Seu passado, no entanto, não está disposto a deixá-la em paz. Craft, o suspeito inicial no desaparecimento de Lucas, acaba sendo o rei do clã Domovoi, o mais poderoso dos clãs, e sua única esperança de escapar de seu caçador e da escuridão na qual seu coração se afundou. O amor realmente supera tudo?

    Bem, o Prólogo já te incita a querer ler o primeiro capítulo e, consequentemente, o primeiro capítulo te faz querer ler o segundo, o terceiro e assim sucessivamente. Não é uma coisa óbvia, pois há livros que não nos empolgam tanto assim no início e esperamos que a leitura tome ritmo, o que não acontece em alguns casos. No entanto, Lilac é daqueles que te faz querer devorá-lo. Logo, somos apresentados a Megan, uma jovem marcada pelo assassinato da irmã e que tenta não sucumbir à depressão e ao trauma de ver a vida deixar os olhos de Lauren. Ela não tem contato com seu pai, mas está sempre com Jodie, sua prima desmiolada e que ficou ao seu lado em seus piores momentos.

    De uma forma totalmente louca e imprevisível, Megan conhece Craft e, após uma transa casual e quente, eles têm suas vidas entrelaçadas pelo destino. Não, não pense que é mais um clichê literário. Esse não é mais um romance regado a mel que costumamos ver por aí; é intenso e diferente. Você não vê uma mocinha chorosa e amuada, nem sonhando com o príncipe encantado. Meg é realista e muito pé no chão. Até demais, devo dizer, mas isso não faz dela uma insensível sem coração. E Craft... Aaah, ele é a sedução em pessoa e nos proporciona momentos de taquicardia e riso solto. Não tem uma frase dele que não o tenha imaginado falando.

    Após seu ex-namorado ser sequestrado misteriosamente para servir de isca para apanhá-la, Meg descobre que é uma feiticeira e que o bonitão com quem se envolveu sexualmente é o rei de um poderoso clã de feiticeiros, o Clã Domovoi, cujo símbolo é um dragão (eu sou apaixonada por histórias que envolvem dragões). Craft, como rei – e com interesses pessoais também, não vou negar –, sente necessidade em proteger Meg e a leva para as dependências do clã, para mantê-la segura e descobrir por que motivos a querem morta, uma vez que ela não sabia usar seus poderes e não vinha de uma família cheia de posses.

    Enquanto desfruta de sua estada na mansão Domovoi, Meg conhece Delion, irmão de Craft e que é o responsável pelos momentos super hilários do livro (ri bastante com ele), e Dustan, o cara cujo tive certa antipatia por ele (vocês saberão quando lerem – não, ele não é o vilão!). Além deles, Meg conhece Helen, uma linda garotinha e que ganhou meu coração. Sinceramente, as melhores partes do livro, na minha opinião, envolvem essa princesinha. É realmente emocionante a forma com que Deise a inseriu na trama e fiquei extremamente surpresa e arrasada quando soube de sua história. É chocante!

    No decorrer do livro há cenas bem picantes e que te deixam sem ar e, eu juro, imaginando cada uma delas. Hahaha A cada capítulo você tem uma surpresa e, quando acha que tudo está bem, surge um novo desafio e que esclarece dúvidas anteriores. O que não gostei muito foi o modo possessivo de Craft em determinados momentos, chegando a ser, ao meu ver, sufocantes. É claro que um homem de pulso firme e gostosão deixa qualquer mulher com as pernas bambas, mas ele se impõe demais. Apesar desse defeitinho, isso não apaga seu brilho. Fiquei encantada com ele e devo dizer que é uma das personagens mais bem construídas do livro.
    Eu não tenho o menor interesse em vocês, mas se vocês vierem atrás de mim, eu vou torcer pescoço por pescoço até não sobrar um feiticeiro no meu caminho.

    Sentiu o drama? Adorei saber o porquê do nome do livro, o significado da pedra e adorei a forma com que a magia é utilizada (amo bruxos e feiticeiros). Li a primeira publicação pela Editora Novo Século e agora a segunda, pela Editora Literata. Felizmente, o segundo livro da trilogia, Silver, também já está em minha posse e vou devorar rapidinho se tiver o mesmo ritmo e de Lilac. A questão dos diálogos com aspas da primeira edição foram resolvidos, felizmente, e os erros que passaram na revisão também. A capa também está diferente (abaixo vou listar as duas para vocês) e o terceiro deve seguir esse novo padrão. A autora está agora no selo Madras Teen.

    Capa antiga, capa nova e capa do segundo livro, respectivamente.


    A história é encantadora e Lilac é um livro recomendadíssimo. O final é inesperado e deixa você: COMO ASSIM? Hahaha Desejo ao que adquiriram o livro uma excelente leitura e, aqueles que ainda têm dúvida, comprem esse livro. Vale MUITO à pena, é um livro gostoso de ler, com uma escrita simples e fluida. Tenho certeza que você não vai se arrepender. *-*

    Avaliação: