• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Contato
  • Resenhas Novas

    Fortaleza Negra - Kel Costa

    A Fortaleza Negra é o reduto da Realeza dos vampiros e da sua corte. Ela está localizada numa região conhecida antigamente como Moscou. Suas muralhas gigantescas e sua segurança impecável fazem dela a moradia mais segura do mundo. Oitenta por cento de sua população consiste em vampiros.

    De uma inóspita região da antiga União Soviética, vampiros, até então criaturas lendárias, surgem inesperadamente e põe fim à Guerra Fria em 1985. Usando seu poder mental extraordinário e sua força sobre-humana, os Mestres da Realeza Vampírica exigem a rendição dos líderes mundiais e se autoproclamam senhores absolutos do planeta. Anos depois, vivendo num mundo de relativa paz entre humanos e vampiros, Aleksandra Baker, uma garota de 17 anos, se ressente por não ter a mesma liberdade que os jovens do passado. Agora, além de viver sob o jugo dos vampiros, Sasha, como é chamada por todos, está apavorada com uma nova ameaça; a invasão de predadores letais: os mitológicos.

    Fortaleza Negra é um livro de fantasia que narra a guerra entre os inimigos naturais vampiros e mitológicos (minotauros e centauros) onde, os vampiros, apesar de sanguinários, reinam sem oferecer ameaça e vivem numa espécie de simbiose com a raça humana. Ao contrário destes, os centauros e minotauros não possuem qualquer traço de humanidade ou civilidade, atacando e alimentando-se indiscriminadamente. Ao passo que os vampiros tentam manter o equilíbrio do convívio entre as espécies e salvar os humanos, eles também lutam para se manter de pé ante a ameaça constante dos mitológicos à Fortaleza e a todos que residem em seu interior.

    A hierarquia consiste no governo de cinco poderosos mestres, que comandam rigidamente a população mundial com leis severas e punições com pena de morte, o que resultou numa queda impressionante na criminalidade, fazendo até com que os registros fossem praticamente nulos. Por conseguinte, a paz foi abalada por inúmeros ataques de mitológicos ao redor do mundo, até que a cidade em que reside Aleksandra, nossa protagonista, é atacada e ela e sua família quase se tornam vítimas dessas criaturas. Sendo assim, seu pai, por ser um cientista importante, aproveita o convite que lhe fora feito anteriormente e decide se mudar para a Fortaleza a fim de manter a todos em segurança e continuar a desenvolver sua pesquisa sem maiores preocupações.

    Desse modo, a jovem Aleksandra se vê diante de uma “nova vida” dentro dos muros da Fortaleza, tendo que frequentar uma nova escola e fazer novos amigos. Porém, o que mais lhe aflige não são os vampiros com os quais será obrigada a conviver, mas o fato de que sua melhor amiga, Helena, está lá fora em perigo, sujeita aos ataques violentos e mortais dos mitológicos. De um jeito nada convencional, a jovem chama atenção dos mestres logo no primeiro encontro (principalmente de Mikhail) e, a partir daí, ela não imagina que sua vida está prestes a dar um giro de cento e oitenta graus.

    Narrado em primeira pessoa e com um enredo bem construído e fluido, somos inseridos na rotina da Fortaleza e conhecemos de perto cada mestre. Todos eles são fisicamente diferentes dos demais vampiros, possuem beleza inata e cabelos brancos inconfundíveis, além, é claro, dos dons – ou poderes – especiais. São personagens fortes, bem caracterizados e cada um possui uma peculiaridade e é uma pena não termos uma visão tão ampla do comportamento destes mestres, visto que só são mencionados quando há interação (direta ou indireta) com a personagem principal.

    Os novos amigos de Sasha, Kurt e Lara, também são personagens marcantes, mas apenas um deles se tornou meu favorito. Kurt é gay e é aquela personagem que arranca muitas gargalhadas e te faz lembrar aquele amigo “sem noção” que você tem, mas que você adora e não torca/vende/negocia por nada no mundo. Não é porque a pessoa é gay que tenha que ser uma palhaça (pois os gays receberam esse estereótipo de caricata), mas com ele é diferente. Não sinto nele uma personalidade forçada. Ele é natural, espontâneo e verdadeiro. E do tipo que te mata de vergonha várias vezes porque não controla a língua. Hahahaha!

    - Eu só queria ter um namorado e conversar com ele sobre nossa primeira transa, sem ficar com um monte de neurose na cabeça, pensando se agi certo ou não. E queria também poder ter um namorado para levá-lo em casa e apresentá-lo aos meus pais.

    - Amiga, sinto muito, mas se quer apresentá-lo aos seus pais, acho que não escolheu o cara certo.

    Já Sasha não me convenceu. Ela está prestes a completar dezoito anos, mas age como se fosse fazer treze. Talvez eu esteja sendo rigorosa, mas não posso negar o fato de que me irritei com ela o livro inteiro. Esperava uma protagonista um pouco mais madura e que não fosse facilmente influenciada pelos amigos. Eu a vi ceder, fazer birra e resmungar como se fosse uma garota mimadinha. Coisa que não é. Sem contar que faz tudo o que dizem para ela NÃO fazer. O envolvimento dela com um mestre poderoso e milenar, apesar de atiçar a leitura, me decepcionou um pouco. Primeiro porque o “cara” é um vampiro MESTRE, ele manda em todo mundo, tem quase dois mil anos e uma garota marrentinha se torna seu objeto de desejo? Ok, ela tem um corpão, mas e aí? Não gostei. Sasha deixou a desejar e o único momento em que eu REALMENTE gostei dela, foi no final, pois agiu como eu esperei o livro inteiro. Ponto. Naquele momento ela foi a mulher certa para Mikhail.

    Sobre Mikhail... AMEI. Ele é tudo o que eu espero de um vampiro. Hahahaha! Sabe quando você consegue até ouvir a personagem falando? Pois é. Ele tem umas frases tão poderosas que cheguei até a ficar arrepiada. Sensacional. Outro vampiro que me conquistou foi Klaus. Ele não é tão amante dos humanos, mas é apaixonante. Daquele tipo que você sabe que é um bad boy e mesmo assim se aproxima e faz contato. Sabem como é? Os outros irmãos também são bacanas, mas esses dois são meus preferidos. A irmã foi a que menos gostei, então não vou falar sobre ela. Quanto a guerra entre vampiros e mitológicos, achei que não foi tão explorada neste livro (espero que no próximo seja mais detalhada), visto que o foco é o romance entre Sasha e Mikhail (ou não?).

    A trama e cheia de nuances, varia de humor e os acontecimentos são, em sua maioria, intensos. Apesar de não me cativar, a protagonista ganhou vários pontos por não ser uma donzela indefesa clichê. Ela sangra, sofre, luta e se esforça. Alguns capítulos são pelo ponto de vista de Mikhail e acho que teria ficado divino se fosse assim o livo inteiro. Gostei do toque de "realidade" quanto ao que ele sente, se comporta e a forma como reage à relação humano x vampiro. Ponto para Kel, que soube justificar as atitudes ogras do todo poderoso logo após ele cometê-las. Minha única dúvida sobre ele é... Aonde consigo um? Hehehehe!

    Sua boca se fechou em volta da minha cintura e senti minhas últimas forças se esgotando. A dor foi insuportável e nem gritar eu consegui; só senti meu corpo se desfalecendo entre suas garras. Agradeci aos deuses quando vi, atrás dele, Mikhail passando pelo buraco que antes era uma janela. Quando o vampiro Mestre rosnou, o minotauro se viriou e me jogou longe. (...) O bicho avançou sobre ele e os dois corpos se chocaram. (...) Ele nunca sairia vivo daquela luta, o minotauro era muito maior. Mas eu nem podia acompanhar a luta porque também estava morrendo.

    No geral, Fortaleza Negra é uma leitura muito prazerosa. Kel tem o dom da escrita, as páginas voam facilmente e quem ama vampiros vai adorar (eu amo vampiros <3). Com exceção da Sasha (na minha opinião, gente!), todos os personagens são encantadores e muito bem caracterizados. Todos têm personalidades marcantes e suas histórias são críveis - no sentido de que nos faz ter uma variação de sentimentos; podemos nos entristecer por uma perda, odiar por um comportamento ridículo, ou até mesmo nos apaixonar por uma determinada personagem. Gostei muito do modo como certos fatos reais foram mesclados com a fantasia, mostrando que houve uma grande dedicação quanto à pesquisa e desenvolvimento do trabalho. E, embora este seja o primeiro trabalho da autora publicado, Kel escreve como se já tivesse dezenas de livros. Também fiquei feliz com o processo de revisão da editora, uma vez que já li alguns livros nacionais em que a revisão passou lá no Oriente.

    Outro detalhe magnífico são as ilustrações finais de algumas personagens. Elas tornam a história mais "real", sabe? Apesar de achar que a imagem de Sasha não combina com ela (não simpatizei com a garota, perceberam?). E saibam que não vamos esperar muito pelo segundo volume da trilogia, que sai em breve e não precisaremos morrer de ansiedade. Esse é o lado bom de morar pertinho da autora, hein? No mesmo país, pelo menos, pois somos de regiões diferentes. Hahahaha Espero que vocês possam adquirir o livro assim que puderem e prestigiem essa obra nacional. Ok? Ah, só não recomendo o livro para leitores mais novos, viu? Tem cenas bem picantes e estou aqui fazendo minha parte em alertar, mas sua cabeça é o seu guia. Só seja consciente. ;)

    Avaliação:




    Espero que tenham curtido. Abaixo vou deixar as redes sociais da autora para vocês seguirem e ficarem sabendo das novidades, o book trailer, o primeiro capítulo e os principais sites onde o livro está disponível para compra.

          


    Clique para ler e/ou ampliar:


             


    Beijão,