• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Anuncie
  • Resenhas Novas

    Quotes Cativantes - Abra e Descubra


    Oi, pessoal!

    Este livro foi adquirido recentemente e não pretendia ler por agora, então já tinha tirado uma quote para fazer o post. Porém, depois dela fiquei bastante curiosa e acabei trocando a leitura. Ou seja, o outro nacional que seria resenhado para este mês especial foi substituído por este, então além deste post de Quotes Cativantes, até o fim do mês sairá a resenha dele. Ok? Mas vamos seguir com post normalmente. Hahaha

    Como funciona a brincadeira: Escolha um livro que você tem e nunca leu, mas tem vontade de ler e abra em qualquer página. Leia tudo e selecione o quote mais interessante da página. Só tenha cuidado para não abrir em uma página no final e descobrir como a história termina. A intenção é incentivar você a pegar o livro esquecido e deixar com que o quote te conquiste para que você passe o livro na frente de outros na sua fila de espera.


    A dor ultrapassava qualquer limite. Lutei para a mente acordar. Fazia um enorme esforço, quase sobre-humano, tentando abrir as pálpebras. Nada. Nem um fio de luz entrando pelas brechas dos olhos. A queimação vinha de uma área nas costas, na lombar, quase perto das nádegas. Senti um cheiro de queimado. Forte. A princípio ruim e, aos poucos, assemelhava-se ao cheiro da canela. Aquilo impregnou as narinas, como se tivesse intoxicando os pulmões. Tinha a sensação de que minha pele estava se rasgando em várias partes. O que acontecia comigo? Parecia castigo, uma punição, provavelmente por algo realizado. Mas o quê? No ápice da dor, quando pensei não mais aguentar, ouvi um grito. Grito? Mas minha voz continuava sufocada. Como eu poderia ter gritado? Outra vez o grito. Mais nítido. Intenso. Como se fosse um pedido de misericórdia. A voz não era minha. Antes de sair desesperada do quarto, tropeçando em ursinhos de pelúcia, resolvi parar em frente ao espelho. Virei-me de costas e vi a vermelhidão. Havia a imagem de uma fada. Um desenho preto com aparência envelhecida, ainda saltando da pele machucada. Parecia uma tatuagem. Mas a dor de se fazer uma daquelas não poderia ser tão violenta. Por que existia uma fada com asas abertas em minha cintura?


    Gostaram? Não vou dizer em que parte do livro eu abri que é pra não acabar com o suspense, mas depois que li esse pedaço (que editei para não dar mais informação que o necessário) fiquei com muita vontade de ler o livro e não consegui deixar para depois. Então, o objetivo da coluna foi alcançado, né? Uhuuu \o/

    Beijão,