• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Anuncie
  • Resenhas Novas

    Quotes Cativantes - Abra e Descubra


    Como funciona a brincadeira: Escolha um livro que você tem e nunca leu, mas tem vontade de ler e abra em qualquer página. Leia tudo e selecione o quote mais interessante da página. Só tenha cuidado para não abrir em uma página no final e descobrir como a história termina. A intenção é incentivar você a pegar o livro esquecido e deixar com que o quote te conquiste para que você passe o livro na frente de outros na sua fila de espera.


    Hey, povo lindo! Como estão?

    Para a coluna de hoje, escolhi um livro que está há cerca de quase quatro meses parado na minha fila quilométrica de "vou ler". Estava aqui contabilizando e tenho mais ou menos uns sessenta livros esperando para serem lidos. Pasmem! Pois é... Então, para tirar a poeria da estante, peguei uma distopia (que é um dos meus gêneros preferidos). 

    Embora tenha muitos livros não lidos, alguns estão parados, na verdade, porque séries e trilogias eu gosto de ler um atrás do outro. Ou seja, não consigo ficar esperando a próxima leitura. Exceto quando o livro ainda não foi lançado, já que não há nada a se fazer a não ser esperar. Não é mesmo? Mas vamos ao que interessa: o trecho do livro. :)

    Volto meu rosto para o céu. Para as minúsculas gotas, tão pequenas que não são sentidas uma a uma, mas como sensação de umidade. Mais uma névoa que chuva. Mas elas se juntam, algumas gotinhas se juntam e descem geladas por meu rosto. Não são quentes como lágrimas.

    - Você deveria colocar o capuz para não se molhar, e não deixá-lo por aí como um coletor de chuva - Ben chama a minha atenção. E coloca uma mão de cada lado do meu rosto, puxa o capuz da minha jaqueta e então ajeita meus cabelos dos dois lados. Suas mãos são quentes.

    Nossos olhos se encontram e ele para, as mãos ainda segurando meu rosto. A chuva e a floresta desaparecem. Seus olhos com manchas douradas, ainda mais profundos que à primeira vista, prendem os meus. Mas então suas mãos se soltam e ele olha para os lados. Não há ninguém por perto, mas há vozes não muito longe.

    - Vamos lá - ele diz e começa a se afastar dos outros. Depois se vira de volta para onde ainda estou parada, em dúvida. Devo segui-lo? Ele ergue a mão direita, o dedo mindinho curvado, os outros fechados.

    Eu olho para a mão dele, ainda em dúvida, até que ele olha para baixo, para minha mão esquerda, e então para os meus olhos. Eu seguro minha mão. Ele junta meu dedinho ao dele, se vira e caminha pelas árvores, comigo ao seu lado agora.É tão bobo que começo a rir.

    AHHH... Que amor, hein? Ainda bem que não abri numa página cheia de ação, ou não conseguiria adiar a leitura. Mas foi por uma boa causa, gente. Antes do post, encomendei o segundo livro da trilogia e assim que ele chegar, inicio a leitura DESTE. Hehehe A narrativa é muito agradável, em primeira pessoa (do jeitinho que eu adoro) e tenho certeza que vou adorar/devorar. Portanto, podem esperar resenha dele. Ok?

    Espero que tenham curtido o trechinho.
    Beijão,