• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Contato
  • Resenhas Novas

    Cadê você, Bernadette? - Maria Semple

    Bee é uma menina inteligente e muito esperta mas que nasceu com problemas no coração. Durante seu crescimento diversas vezes foi internada por conta disso e desenvolveu inclusive uma asma viral. Sua mãe, desde seu nascimento largou tudo - tudo mesmo - pra cuidar melhor dela e, talvez inconscientemente, deixou o pai de fora que acabou se voltando para seu trabalho na Microsoft, tendo como foco prover a família financeiramente. 

    Bee se mostra muito brilhante e Bernadette por sua vez se mostra sempre reclusa em si mesma, fugindo de contato com outras pessoas, sendo um tanto arredia e antissocial, enquanto Elgie - o pai de Bee - fica como sempre soterrado no trabalho
    .
    A trama se inicia quando Bee propõe uma viagem à Antártida e Bernadette entra em contato com sua assistente indiana para fazer os preparativos pra viagem. Essa assistente é a responsável por quase tudo na vida de Bernadette - desde o jantar de todos os dias até a compra de passagens para viagens. Acontece que o comportamento de Bernadette começa a incomodar seu marido e ele começa a pensar em interná-la em um hospital psiquiátrico quando ela desaparece do mapa. Bee, próxima que é de sua mãe, começa uma investigação criteriosa a fim de encontrá-la e para isso usa os arquivos misteriosos que recebeu misteriosamente sobre sua mãe. Os arquivos vão desde emails trocados entre a mãe e a assistente até emails do pai com a secretária e faxs enviados entre as vizinhas bisbilhoteiras. É através desses arquivos que Bee começa a desvendar a complexidade de sua mãe e a descobrir o que está por trás desse comportamento esquisito e recluso dela.

    Cadê você, Bernadette? é um livro diferente de tudo que já li. Desde a trama que é surpreendente e muito inteligente à narrativa do livro que é incomum e que ao mesmo tempo que pode confundir o leitor é o que o envolve na história e o deixa tão interessado no desfecho.

    O livro é narrado em sua maioria por Bee, mas contém também todos os arquivos que ela recebeu para fazer a investigação, então ficamos por dentro dos emails, cartas, bilhetes, sms, fax, e tudo mais trocado entre os personagens envolvidos na história. É um pouco confuso pois parece informação demais, mas ao mesmo tempo nos instiga a querer saber sobre o que e de quem estão falando. Mesmo assim é uma narrativa muito fluida, que envolve o leitor e o mantém tão interessado que as páginas passam sem nem serem notadas.

    A história é extremamente divertida e gostosa de se ler. É instigante acompanhar Bee em sua investigação sobre o paradeiro da mãe ao mesmo tempo em que a desvenda e realmente a conhece. Acredito que o propósito do livro tenha sido exatamente esse: nos mostrar o quão bem ou não conhecemos as pessoas próximas a nós e o que as levou a serem daquele determinado jeito. 

    O livro inteiro é surpreendente, talvez não pelo enredo em si - o final é tão óbvio que chega a ser surpreendente não termos percebido - mas pela maneira inteligente como é montado. A autora usa de algum método que nos manipula direitinho, nos enrolando na história até que quando tudo se encaixa somos pegos de jeito. É uma simplicidade que encanta e surpreende. 

    O livro em si é muito divertido, fluido, instigante, surpreendente, inteligente e tem até uma mensagem legal. Por mais que você não dê nada pela obra - assim como eu - vale a pena pegar e insistir na leitura!

    Classificação




    Beijos,