Olá pessoal, tudo bem?,

Ontem, 19/01, comemoramos os 207 anos de Edgar Allan Poe e por isso vou falar um pouquinho de um dos meus contos favoritos escrito por esse autor fantástico e enigmático que eu tanto adoro: "O Gato Preto".

Escrito em 1843, Poe narra a história de um homem que de uma pessoa bondosa, de uma hora pra outra, torna-se capaz de atitudes inimagináveis, não somente devido ao seu vicio em álcool, mas também devido a deterioração de sua alma.

Contém muitos Spoilers.


Desde pequeno, o homem demonstra uma personalidade amável e um grande amor aos animais, porem alguns anos depois de se casar, já refém do vício do álcool, passou a fazer de sua esposa e os animais que possui, as vitimas de seus atos mais hediondos, poupando somente seu gato Plutão das agressões.

Ele não consegue entender o porque, mas fica cada vez mais impossível controlar sua irritabilidade e uma noite, quando chegou em casa alcoolizado, sentindo que seu gato o estava evitando, acabou por sacar seu canivete e retira um olho do gato. No dia seguinte, mesmo cheio de remorso, ele tem um novo acesso de raiva por achar que esta sendo ignorado novamente pelo gato e o pendura pelo pescoço em uma árvore no jardim.

Coisas estranhas aconteceram depois da morte do gato, mas, o homem descarta qualquer ligação entre os fatos e alguns meses depois, um outro lindo gato todo preto, exceto por uma mancha branca no peito, aparece enquanto ele esta bebendo em um bar e como aconteceu com Plutão, ele se apega ao gato assim como sua esposa.

Infelizmente, também como aconteceu com Plutão, o homem não consegue controlar sua raiva em relação ao gato e passa á agredi-lo, principalmente depois de perceber que o gato não tinha um dos olhos e que a marca branca em seu peito formava a imagem de uma forca.
Em uma noite, ele tropeça no gato e muito irritado pega um machado para atacar o bichano mas sua esposa interfere e acaba se tornando vitima fatal do marido. Ele enterra o corpo em uma parede de gesso no porão, achando que nunca ninguém irá descobrir e depois disso percebe que o gato também desapareceu, assim como as provas de seu crime.

Alguns dias depois, a policia chega para investigar o desaparecimento da mulher e o homem todo confiante de que não seria descoberto, tenta tirar a atenção deles da parede recém reformada, quando um grito soa de dentro da parede. Imediatamente os policiais quebram a parede e la dentro, sobre a cabeça da mulher morta, está o misterioso gato preto.
"Existe alguma coisa no amor altruísta e pronto ao sacrifício de um animal que vai diretamente ao coração daquele que teve ocasiões frequentes de testar a amizade mesquinha e a frágil fidelidade dos homens."
Para muitos essa história retrata o maior medo de Poe: que seu vício pelo álcool o fizesse perder totalmente o controle de quem ele era e interferisse em sua personalidade. Muitos talvez não gostem da leitura pois Poe não se preocupa muito em suavizar as cenas dos crimes do homem, não apenas nesse conto mas em todas as suas obras.

As obras de Poe são estudadas até hoje. Todos tentam entender o que seus textos significam: se eram obras de sua mente perturbada ou se representavam o que ele poderia estar sentindo. Eu acho que era um misto das duas coisas. A vida sofrida do autor, marcada principalmente pela morte daqueles que ele amava, provavelmente trouxe uma escuridão pra sua mente criativa e ele acabou misturando tudo isso em suas obras.

Espero que tenham gostado!!

Classificação:




Beijos!