• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Contato
  • Resenhas Novas

    Tudo em família: Os Garrett


    Hey gente linda!
    Como prometi alguns posts atrás, eu finalmente trouxe um Tudo em família com a família mais barulhenta e encantadora do mundo literário: Os Garrett. Faz tempo que eu não leio um YA que exemplifica tão bem as relações familiares quanto Minha vida mora ao lado e é impossível não ser cativado por cada um dos integrantes dessa enorme família. Mas vamos parar de papo porque a família é grande e tem muito personagem pra vocês conhecerem ainda, hahahaha.


    Vamos começar pelos provedores da família: O Sr. e a Sra. Garrett. Eles são o tipo de casal onde o amor é palpável e emana por todos os poros. Apesar de todas as dificuldades - criar 8 filhos não é fácil, tanto numa questão financeira quanto todas as outras - mas mesmo com todos os problemas, e principalmente todos os preconceitos, eles conseguem criar uma família que é unida, onde a alegria e a felicidade prevalecem e sempre ensinam a seus filhos o valor das coisas, principalmente do amor. É incrível conhecer esses dois, ver como eles não tem vergonha de mostrar o amor deles por meio de carinho, afeto e até mesmo beijos.

    Os filhos mais velhos são o Joel e a Alice. O primeiro é um motoqueiro sexy que meio que cria uma personalidade pra se dar bem com a "mulherada". Ele não aparece tanto, mas nas poucas vezes que contracena com a família é notável o quanto se importa com todos. Alice é uma estudante de enfermagem completamente volúvel - muda a cor do cabelo tão rápido quanto torca de namorado. Apesar disso, ela tem uma bondade enorme no coração e mesmo sendo um pouco agressiva dá pra perceber que faz tudo pra proteger os seus. 

    Em seguida temos Jase, o alvo do afeto da protagonista principal do livro. Jase é o garoto mais fofo, encantador, carinhoso e esforçado que já vi. É impossível não se sentir cativado com ele e com o modo como ama, cuida e protege sua família acima de tudo. Ele tem uma bondade inerente a ele, e faz o possível pra ajudar qualquer um que esteja precisando. É um menino de ouro e confesso que perdi meu coração pra ele nesse livro.

    Os meninos do meio são o Duff e o Harry, que são os menos explorados. Não dá pra conhecê-los muito bem, mas se percebe facilmente que são como a maior parte dos meninos da idade deles: agitados, brincalhões e curiosos. Tem também a Andy, que é pouco mais velha que eles e está naquela fase de primeiro encontro e paixonite pré-adolescente. É impossível não se identificar com ela e não se solidarizar com todas as dúvidas e anseios da idade. Chega ser engraçado acompanhar todo o desenvolvimento do primeiro namorinho dela.  

    Finalmente temos os dois mais novos, o George e a Patsy. O George é simplesmente a criança mais fofa e encantadora do planeta. É daqueles que não tem filtro e fala tudo que pensa. Sem falar na inocência de criança que ele tem, fazendo sempre as constatações mais óbvias que os adultos sofrem tanto para perceber. É impossível não se apaixonar por ele e seu jeito encantador. Já Patsy é apenas um bebê, que mal fala, então não tem muito o que dizer sobre ela.

    Os Garrett definitivamente me marcaram muito. É sensacional acompanhar o cotidiano dessa família barulhenta e tão cheia de amor pra dar. A primeira coisa que a gente pensa - e que é realmente muito preconceito de nossa parte - é que não é possível que hoje em dia alguém ainda tenha tantos filhos sendo que existem tantas maneiras de se prevenir, mas é só olhar pra família pra perceber o quanto eles são felizes, o quanto amam um ao outro e não poderiam viver sem ninguém dali. O motivo de eu ter amado tanto essa família é justamente esse, que eles são tão reais que me fizeram enxergar várias coisas que eu nunca tinha parado pra pensar, como essa questão de todos sempre quererem dar pitaco no modo como criamos nossos filhos ou construímos nossa família. Ou ainda, o modo como eles ignoram tudo isso, todo o preconceito, toda a dificuldade financeira e se focam apenas em serem unidos, se amar e valorizar o que realmente importa. São personagens sensacionais, e mais ainda, é um livro sensacional. Quem não leu ainda, se faça um favor e leia, vocês vão amar!!

    Beijos,