• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Anuncie
  • Resenhas Novas

    As relações perigosas - Chordelos de Lacos



    Um livro intrigante, intenso e surpreendente para a época em que foi publicado. Pedi para ler o livro depois de assistir a minissérie Ligações Perigosas e ficar muito intrigada com os personagens e o enredo. A adaptação para a televisão ficou ótima, mas eu senti falta de conhecer melhor o autor e o universo de traições e falsidades que ele criou. 


    O livro faz parte da coleção de clássicos da companhia das letras e foi escrito em formato de correspondências. Algumas foram omitidas pelo autor porque se tratavam de cartas desnecessárias para o andamento da história. Confesso que eu fiquei muito curiosa e gostaria muito de ter acesso a essas cartas, mesmo sabendo que os autores são personagens secundários. Sempre quando aparecia notas de rodapés falando da omissão da carta X eu me irritava. Sei que o livro é grande e ficaria muito maior com todas, mas mesmo assim eu queria ler tudo.

    Os personagens que encontramos na narrativa não são como os “mocinhos” dos livros de época que estamos acostumados, ouso dizer que são mais reais do que imaginávamos. Uma marquesa e um visconde que vivem um estilo de vida libertino e vão criar uma trama enorme em busca de vingança e prazer. O Visconde está certo de que é capaz de desvirtuar a religiosa e casada Presidenta de Torvel com seus encantos e faz de tudo para seduzi-la. Eu confesso que achei que o Visconde se apaixonou de verdade, mas já li resenhas falando que tudo não passou de um jogo.

    A marquesa de Merteuil é a personagem mais ardilosa e completa da trama. Ela é viúva, sedutora, se faz de dama da sociedade e é muito rica. As suas trocas de cartas com o Visconde nos mostram um pouco da realidade da nobreza do século XVIII. Eles fofocam sobre a vida dos outros, revelam traições e planejam com maestria a manipulação dos outros personagens. A marquesa é mais genial ainda do que o visconde, porque ela é fria, calculista, irônica e debochada. Ela zomba das beatas e da inocência da Jovem Sra.de Volanges que foi uma das mais prejudicadas da história.

    Muitos livros e filmes de época transmite a ideia de que a nobreza francesa era perfeita e que as mulheres seguiam as regras sociais impecavelmente, mas os dois libertinos vão nos mostrar que com um pouco de manipulação e paciência é possível seduzir e enganar até a mais religiosa de todas.

    Recomendo a leitura e indico para todas as pessoas que gostam de ler livros diferentes que nos fazem refletir e conhecer melhor uma determinada época. Se bem que a trama parece bem atual, viu? Vai ver muitos roteiristas se inspiraram neste livro e nós não sabemos. É por isso que eu gosto tanto dos clássicos. Sempre podemos pensar sobre a sociedade antiga e a atual. É impressionante como os problemas principais não mudam.

    Classificação:




    Beijos,