Vira e mexe eu paro pra repensar tudo que eu já li na vida, e como eu comecei esse meu amor por literatura e me pego percebendo o quanto eu mudei e, consequentemente, como meus gostos literários mudaram ao longo da vida, de acordo com as fases que passei e com meu grau de amadurecimento.

Não tenho vergonha de dizer que já li livros considerados (erroneamente) sem conteúdo, mal escritos, ou modinha. Acredito que tudo depende da fase da vida em que nos encontramos e do tipo de pessoa que somos no momento - afinal estamos sempre evoluindo e amadurecendo, aprendendo coisas novas e isso reflete em nosso gosto para leituras. Coisas que eu gostava quando tinha 12 anos, hoje eu já não gosto mais. Hoje eu já tenho um amadurecimento pra perceber coisas nos livros que li que na época eu não tinha percebido. Por exemplo, hoje já estou mais atenta a atitude machista de uma parte dos autores ao criar personagens femininas tão fracas e que vivem em função de algum homem, coisa que anos atrás me passava despercebido.

Hoje eu tenho opiniões diferentes de quando eu tinha 12 anos, fato decorrido do aprendizado e da vivência que eu tive durante esses anos. O fato que é a própria leitura me ensinou o que é um livro bem escrito, quais são os tipos de história que eu gosto, como são os personagens que eu gosto. Ninguém, na adolescência ou em qualquer idade que seja está tão completamente formado que não possa mudar de opinião. E mesmo que esteja, que a pessoa continue com o mesmo gosto que tinha quando era criança, isso não é problema algum. Cada um é cada um, e não é porque eu gostava de romances e hoje gosto mais de fantasia que todo mundo deve concordar comigo.

Isso me leva a pensar em um outro tópico que é o preconceito literário. Ultimamente, com esse aumento considerável na publicação de livros de biografia de youtubers, pessoas famosas, etc, tenho visto muita gente recriminando os leitores desse gênero e acho isso algo errado e completamente incoerente, afinal nós nos dizemos leitores, cultos e mesmo assim julgamos o próximo e somos intolerantes. Já pararam pra pensar que a maioria do público desses youtubers são adolescentes e que você, muito provavelmente, quando tinha a idade deles não lia clássicos ou livros cult como gostam de dizer hoje? Já percebeu o quão hipócrita soa isso? Ninguém nasce com o gosto literário apurado, vamos percebendo o que nos agrada mais ao longo do tempo, e se não passarmos pela experiência nunca vamos saber o que é ruim e o que é bom. Além disso, ninguém é obrigado a achar alguma coisa boa ou ruim porque outras pessoas pensam assim. Ás veze o que é bom pra mim não é pra você e vice versa. Um livro da Kéfera pode não ter grandes ensinamentos de vida, mas para algumas pessoas é uma boa distração, um modo de se divertir.


As pessoas tem que começar de algum lugar, e se tiveram interesse em ler esse tipo de livro, ou qualquer outro que seja, bom pra eles! Pelo menos estão lendo alguma coisa. Aliás, cada um tem um gosto, e não é porque uns gostam de clássicos que outros devem gostar também. Não é porque eu só gosto de ler YAs que não sou inteligente, ou que tenho a cabeça vazia. É apenas uma questão de gosto, do que me motiva a ler. 

A sociedade anda tão julgadora, tão recriminadora que ficamos com medo de dizer que gostamos de alguma coisa, não queremos correr o risco de vir alguém com quatro pedras na mão querendo nos humilhar porque gostamos de determinada coisa. A verdade é que ninguém é igual a ninguém, e como leitores, deveríamos ser mais tolerantes com os gostos e hábitos alheios. Deveríamos gastar mais nosso tempo lendo do que julgando fulaninho porque ele está lendo o livro da Kéfera.

O fato que é que as pessoas querem cuidar mais da vida dos outros do que da própria, e isso me satura a tal ponto que tive que vir desabafar com vocês, rs. Agora me digam, qual a opinião de vocês quanto a isso? Deixem aí nos comentários e vamos ter uma discussão saudável, =).

Beijos,