• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Contato
  • Resenhas Novas

    A Coroa - Kiera Cass

    America Singer e o Príncipe Maxon se apaixonaram, e a filha do casal é a primeira princesa a passar por sua própria seleção. Eadlyn não acreditava que encontraria um companheiro entre os trinta e cinco pretendentes do concurso, muito menos o amor verdadeiro. Mas, às vezes, o coração prega peças… E agora Eadlyn precisa fazer uma escolha muito mais difícil - e importante - do que esperava.

    Como disse na resenha anterior (leia aqui), é impossível falar do último livro da série sem deixar de dar um spoiler sequer dos acontecimentos passados. Portanto, se você ainda não leu nenhum livro, seja da America ou da própria Eadlyn, NÃO leia esta resenha, ok? Se o fizer, é por sua conta e risco. Tudo bem? Ou se não se importar, pode ir em frente sem medo e clique em "continue lendo". Hahaha!

    Em A Coroa, iniciamos a leitura quase que exatamente onde A Herdeira terminou. Eadlyn ainda está tentando absorver as palavras da carta de Ahren, enquanto America luta por sua vida e passa por uma cirurgia cardíaca. O clima no castelo não está dos melhores e, devido a ausência de Maxon – que se nega a sair do lado da esposa -, Eadlyn acaba assumindo o posto de Regente. Ou seja, mesmo com A Seleção ainda ocorrendo, ela precisa assumir o trono temporariamente. E aí, minha gente, a personagem se transforma.

    Quem leu minha resenha de A Herdeira sabe o quanto eu ODIEI a Eadlyn em boa parte do livro (pelos motivos que expus lá) e esperava MUITO ver uma melhora no decorrer daquela leitura. A mudança – mínima – não foi tão ruim. Todavia, em A Coroa, pareceu-me que a autora tentou consertar as coisas e mudou RADICALMENTE a personalidade da Eadlyn. Ah, mas você não queria que ela “evoluísse”? Sim, é claro. Mas forçadamente? Não. Com um intervalo curtíssimo de tempo? Não. Foi estranho, desculpe.

    Enquanto Regente, Eadlyn precisa tomar decisões importantes para o país e ainda continuar com a programação entre os pretendentes. Mesmo quando os pais lhe dão a opção (mais de uma vez) de cancelar a seleção, ela insiste que vai continuar até o fim. Conclusão: o mimimi de A Herdeira foi em vão, né? Reclamou feito uma velha rabugenta, mas nas oportunidades oferecidas de finalmente se livrar de algo que ELA NÃO ESCOLHEU – como sempre enfatizou -, não o fez. Vai entender essa contradição, né?

    Então, dá água para o vinho, vemos uma Eadlyn mais tolerante, mais simpática, mais controlada, mais madura e, quem diria, apaixonada. PASME! Enquanto ela descobre esses 'sentimentos' dentro de si e aprende a lidar com eles, surge uma figura oportunista que vai tentar roubar o trono dela a qualquer custo. E, um livro que começa morno - e permanece assim por vários capítulos -, vai chegando ao final numa velocidade insana. De repente, mil coisas começam a acontecer, estratégias são traçadas, revelações sobre os pretendentes são feitas, A Elite se transforma em A Escolha e há uma reviravolta sobre quem Eadlyn anuncia “vencedor”.

    E fim. Sem mais explicações, sem mais detalhes. Um oceano de perguntas sem respostas. Mais uma vez o lado político foi deixado de lado. WHY???? Todos sabemos que o foco é o romance, ok! Mas muita coisa ficou em aberto, né? Convenhamos. Desde A Escolha ficaram várias questões não resolvidas e eu esperava que a Kiera fosse tapar os buracos de toda a série nesse livro. Fui seriamente frustrada. E também não senti toda aquela "magia" de quando a Eadlyn tinha seus "encontrinhos".

    Falando nisso, a química dela com fulano, beltrano e cicrano era faiscante, né? Mesmo não me surpreendendo, foi difícil aceitar a decisão dela. Não sou insensível, viu? Até gostei da escolha da Eadlyn, apesar e achar um romance forçadinho. kkkkkk! E a personalidade que ela adotou... No fim das contas, ficou agradável. cof! cof! Ela mudou e nem por isso deixou de acreditar nos seus ideais. Portanto, toda aquela arrogância de A Herdeira foi desnecessária. TOTALMENTE.

    Eu poderia passar horas argumentando sobre o que foi esquecido nesse final, mas vou me contentar com essas poucas palavras. Ah, também fiquei decepcionada com o Epílogo (tanto o do livro quanto o bônus que só saiu na edição inglesa). Quando virei a última página e vi um bloco minúsculo de texto, me recusei a acreditar. Eu pensei: "Tudo que eu AINDA queria ler certamente não estará aí nessa coisa microscópica". E não estava. Só lamento! =( E o que eu fiz? Corri atrás do epílogo bônus... E o que achei? Nada que respondesse minhas perguntas. Que morte horrível!

    A Coroa não é um livro ruim, mas deixou a desejar. E muito. PRINCIPALMENTE por ser uma conclusão de série. Não sei por que tanta correria no final. E o livro é fino se comparado com A Herdeira. Dava um volume único (grande, mas who cares?) tranquilo. E é isso... Se você AMOU A Herdeira e A Coroa, pode ignorar tudo o que eu disse acima. Hahaha! Você tem todo o direito. Mas sinceramente... Viveria sem esses dois livros. A Seleção, A Elite e A Escolha foram superiores em tudo e, por isso, são meus favoritos. <3

    Coleção completa :)


    Melhor ordem de leitura:

    - A Seleção
    - A Elite
    - A Escolha
    - Felizes Para Sempre (livro de contos)
    - A Herdeira
    - A Coroa


    Avaliação de A Coroa:




    Beijão,