• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Contato
  • Resenhas Novas

    Você se lembra de mim? - Megan Maxwell

    Você se lembra de mim? é um dos romances mais gostosos que li nos últimos tempos. Embora a sinopse nos dê a ideia de que vamos conhecer a história de amor de Alana, o livro nos traz na verdade duas histórias. A primeira, passada 35 anos atrás, conta a trágica história de amor da mãe de Alana que se apaixona por um militar e que desse amor resulta Alana. Infelizmente, esse romance não acabou com o sonhado felizes para sempre, e por conta disso Alana foge de qualquer contato com militares. 

    A outra, é a história da própria Alana, a que esperamos quando compramos o livro. Alana, após o término de um romance de anos somado ao sofrimento pelo amor perdido de sua mãe, se fechou para o amor, e aos 38 anos é solteira e com uma carreira bem sucedida. Em um de seus trabalhos, em Nova York, Alana conhece Joel, um capitão do exército que tem tudo para ser o melhor companheiro de uma mulher, não fosse o fato de ser militar. 

    Embora eu tenha começado o livro esperando uma coisa e tenha encontrado outra, fui surpreendida por como me vi envolvida com ambas as histórias. A narrativa doce e emocionante me levou dos suspiros às lágrimas e me proporcionou uma leitura agradável e gostosa.

    Alana é uma mulher forte, inteligente, decidida e dura de roer, além de ser absolutamente desacreditada do amor. Sua melhor amiga Isa, ao contrário dela, não tem medo de se jogar em relacionamentos e correr o risco de se magoar e quebrar a cara. Ela é enraçada, sem papas na língua, e muitas vezes é a responsável por fazer Alana ouvir a voz da razão (ou do amor, nesse caso).

    Eu amei os personagens, amei a personalidade forte de Alana, amei como Joel não se deixa intimidar e amei como Isa sempre vê o lado bom das coisas e segue em frente. Achei que a autora soube entrelaçar cada personagem, fazer com que tivessem seu papel na história e fossem cativantes, cada um a sua maneira. Além disso, adorei o fato que os personagens são mais maduros, na faixa dos trinta, com uma vida e perspectivas já formadas, e mesmo assim são abertos a novos começos.

    O romance em si é uma delícia, que rola num rimo natural, agradável ao leitor e mistura cenas mais calientes com passagens emocionantes nas quais Alana se identifica com a história da mãe, conforme vai descobrindo-a através de seu diário. Além dessa conexão que Alana sente com a história da mãe, vemos mais pra frente como as duas histórias vão se entrelaçar e se cruzar para criar um belo final.

    Além de tudo isso, amei o pano de fundo da guerra. A forma delicada, emocionante que a autora trata a ausência, a saudade e o medo daqueles que tem quem amam na guerra. É com esse medo que Alana luta durante o livro  e que muitas famílias, pais, filhos, esposas e amigos tem de lutar. Esse lado mais real do livro me encantou e me emocionou demais, ainda mais ao descobrir que a primeira parte da história é baseada em fatos reais - na história da mãe da própria autora.

    Em suma, o romance não é extraordinário, nem o melhor que eu já li, mas é gostoso, emocionante, e mesmo que aos poucos, vai conquistando e emocionando os leitores com a protagonista durona e o mocinho insistente. Recomendo o livro, e só destaco que, em minha opinião, a editora deveria ter incluído de alguma maneira na sinopse que o livro, na verdade, narra duas histórias em uma, assim os leitores não seriam pegos de surpreso com uma história que não compraram. 

    Classificação




    Beijos,