Como é difícil escrever sobre algo que você criou expectativas e não gostou. Quando eu li a sinopse de Profundo e vi a capa, fiquei louca e pedi correndo o livro para a leitura. Eu adoro New Adult e o enredo central me cativou por falar de um tema super atual como a questão de garotas que sofrem depois de terem vídeos íntimos espalhados na internet. Assim que o livro chegou aqui em casa, eu sentei para ler o primeiro capítulo como sempre faço e me deparei com um pensamento da personagem que me deixou muito irritada.

“O pior é que eu não consigo me concentrar de fato em Nate, porque a outra mão de West pousou brevemente no meu ombro e agora ele está levantando o meu queixo. O sangue deixa os dedos dele escorregadios. Estou sangrando nele. E gosto disso.”
A personagem está arrasada e super triste por ter tido a sua vida exposta pelo ex-namorado babaca. Ela vê uma briga na escola e descobre que o seu Crush está batendo no seu ex para acertar as contas. Só que sem querer o Crush acerta o nariz dela que começa a sangrar muito. Em vez da personagem ir embora ela sente tesão por ter levado um soco do sujeito que não é nem um pouco simpático e vai embora sem ajudá-la. Ele pede para um amigo acompanhá-la até a enfermaria. Oi? Como assim? Você machuca uma pessoa sem querer e nem se dá ao trabalho de se desculpar. Ele a encarou todo arrogante e foi embora, mas o pior parar mim foi o fato dela ter gostado de apanhar porque foi o cara que ela gosta de quem bateu.

Ah, pelo amor, né! Eu leio muitos livros eróticos em que o personagem masculino é possessivo e ciumento ao extremo e fico sem entender como a mulherada valoriza este tipo de história. Agora gostar de ver o cara com o seu sangue nas mãos dele é demais! A autora até tentou amenizar esta questão durante a narrativa, mas eu não consegui mais ler o livro com outros olhos. Fico estigmatizado como algo machista na minha cabeça.

A história de Profundo é interessante e me chamou muita atenção, tanto que eu tentei abstrair esta questão e li até a página 100, mas os capítulos são muito longos e a trama demora muito para acontecer. Eu gosto mais de New Adults estilo Coolen Hoover que tem um ritmo mais rápido e detalhes mais marcantes. 

Entretanto tenho que destacar alguns pontos positivos do livro. Eu gostei muito do enredo, da diagramação, da capa e até da história de vida dos personagens. Eu tentei muito ler o livro todo, mas a narrativa da autora é arrastada e para mim não rolou. Eu já li outras resenhas e vi que a galera gostou bastante! É por isso que nós resolvemos sortear os dois exemplares que eu recebi de cortesia da editora Sextante para vocês! Uhuuul! Fiquem ligados nas nossas redes sociais que em breve teremos mais informações!

Espero que vocês gostem do livro e consigam ler com outros olhos.

Classificação:




Beijos,