• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Anuncie
  • Resenhas Novas

    Prison Break


    Como vocês bem já devem saber sou a louca das séries que raramente consegue acompanhar uma e mantê-la em dia. Sou daquelas que sempre colocando séries novas na grade e não atualizando nenhuma (shame on me). Eis que a nova aquisição da minha grade é a viciante Prison Break. Pra quem não sabe, a série teoricamente já acabou (parece que vai ser lançado aí uma nova temporada, ano que vem), mas eu só fui descobrir ela esse mês. E não sei porque demorei tanto.

    A trama gira em torno de Michael Scofield, um inteligentíssimo (gênio) engenheiro, que se formou e dedicou seus anos estudando e se qualificando pra salvar seu irmão de uma execução de morte por um crime que ele não cometeu. Scofield cria um plano audacioso e perigoso para tirar Lincoln da cadeia, plano ao qual só vamos descobrindo os detalhes ao longo dos episódios. Além disso, há o mistério de quem incriminou Lincoln e o que aconteceu de verdade.


    Não vou entrar muito em detalhes pois a graça da história é ser surpreendido pelos caminhos que o plano de Scofield toma. Quando a gente pensa que vai seguir por um lado, acontece alguma reviravolta e tudo muda. É uma série instável, que a gente nunca sabe qual será o próximo passo, que está sempre na iminência de dar tudo errado, e isso é o que torna tudo tão incrível.

    A mente que criou essa série é simplesmente brilhante, pra bolar tantos detalhes, tantas circunstâncias que podem ou não dar certo. O fato é que a série é envolvente, instiga o telespectador a continuar episódio atrás de episódio até saber o desfecho, se vai ou não dar certo. Até porque cada episódio termina nos deixando com uma pulga atrás da orelha, com o coração na mão.


    O contexto dos jogos políticos também é interessante. Eles mexem com pessoas poderosas, que estão dispostas a tudo pra esconder o verdadeiro culpado pelo crime, e aos poucos que vamos entender o que realmente está acontecendo, entender os jogos, maquinações e manipulações. É simplesmente magnífico. Sem falar na vivência dentro da cadeia. Pareceu muito verídico pra mim o que eles passam lá dentro.

    Devo salientar que os atores são fantásticos também. O ator principal, Wentworth Miller, é incrível. Ele encarna o personagem. Suas expressões, seu jeito de falar, tudo é feito muito cuidadosamente, e remete muito à personalidade do protagonista. Já estou apaixonada por ele!!


    E, acreditem ou não, isso tudo é porque ainda mal terminei a primeira temporada. Mas o fato é que da pra saber desde o primeiro episódio que a série vai ser fantástica. Espero apenas que não se perca nas próximas temporadas. 

    Beijos,