• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Contato
  • Resenhas Novas

    Depois daquela montanha

    Escrever resenha sobre um livro bom não é fácil, agora escrever sobre um livro maravilhoso é um grande desafio. Depois daquela montanha foi uma das minhas melhores leituras do ano e eu posso afirmar com toda certeza que esta história nunca mais sairá da minha cabeça. Um livro marcante, encantador e tocante. Inesquecível!

    Vou começar falando da capa que me deixou bastante intrigada e despertou ainda mais a minha curiosidade. Li a sinopse no e-mail de divulgação da editora e me interessei pelo livro, mas mesmo assim fiquei na dúvida. Quando abri a imagem da capa e vi aquele mar de neve com uma árvore solitária e o título em vermelho fiquei louca e pedi correndo antes que mudasse de ideia. (Sou muito indecisa para escolher livros!)

    Quando o livro chegou aqui em casa eu abri para dar uma espiadinha no primeiro capítulo e aí vocês já podem imaginar o que aconteceu. Devorei as páginas com uma voracidade incrível para mim, já que não leio muito livros deste tipo. Gosto de romances fofinhos, chick lits, suspenses, mas fujo um pouco dos dramas porque muitos não têm finais felizes.

    O livro é narrado por um homem de outro planeta (brincadeira. Ele é real, mas é tão romântico e gentil que não parece deste mundo), Dr. Ben Payne, um cirurgião ortopedista muito corajoso e apaixonado pela esposa. O médico estava voltando para casa depois de um congresso quando descobre que o seu voo foi cancelado devido a tempestade que se aproxima. No saguão do aeroporto ele conhece Ashley, uma jornalista de personalidade que vai se casar dentro de poucos dias.

    Ansioso para chegar em casa, Ben freta um avião particular e chama Ashley para acompanhá-lo já que o seu jantar de noivado seria em poucas horas. Os dois embarcam nesta aventura perigosa e encaram a tempestade mesmo sabendo dos riscos. O que era para ser uma viagem tranquila se transformou em um acidente trágico e os dois caíram em uma floresta de conservação ambiental congelada e inabitada.

    O diferencial deste livro está na narrativa do autor que soube manter a tensão e a esperança do leitor ao longo da história, porque era praticamente impossível os dois sobreviverem ao acidente, mas Charles Martin nos mostrou que sim. Graças a brilhante construção de personagens e ao enredo bem costurado com muitos detalhes.

    Aprendi muito com esse livro e selecionei um quote para mostrar para vocês o quanto esta leitura é importante e o quanto você precisa parar tudo que está lendo e dar atenção a esta história. O autor é sensacional e merece muito mais destaque no mundo da literatura. O seu modo de escrever me deixou encantada, tanto que até hoje eu me lembro dos momentos que os personagens passaram na montanha e nos sentimentos que eles me transmitiram ao longo da suas jornadas.
    “Quando se parte o coração...ele não volta simplesmente a crescer. Não é uma cauda de lagartixa. É mais parecido com um enorme vitral que se estilhaça em milhões de pedaços, e não volta a colar. Os corações estilhaçados não se emendam nem saram. Não funcionam desse jeito. Talvez não. Só sei que quando a metade morre, a coisa inteira permanece em dor. Por isso, você fica com o dobro da dor e metade de todo o resto. Pode passar o resto da vida tentando remendar o vitral, mas não adianta. Não há nada capaz de juntar os pedaços.”
    Recomendo a leitura imediata e peço para que tomem cuidado com o coração, pois o livro virou filme e o lançamento está previsto para o ano que vem. Eu já chorei durante a leitura e estou me preparando para não chorar durante o filme, porque eu não tenho dúvidas de que será uma experiência muito emocionante. 

    Classificação:




    Beijos,