Emmaline é uma híbrida metade Vampira e metade Valquíria, que vive meio nas sombras, protegida pelas tias em New Orleans até que vê sua vida bagunçada por Lachlain, um lobisomen, rei do clã Lykae. Emmaline é tudo que Lachlain deveria odiar, primeiro porque vampiros são seus inimigos número um, e depois que após dezenas de anos aprisionado por ele, tudo que deseja é vingança. 

Mas o destino tem outros planos para Lachlain e ele logo percebe que sua parceira, quem vem procurando há centenas de anos, é justo o que ele deveria odiar: alguém de uma espécie inimiga, os vampiros. Aos poucos, Lachlain vai cedendo a atração irresistível que sente por ela, e vai deixando essa barreira entre espécies de lado para conquistar sua parceira, convencê-la que seus sentimentos são maiores que a aversão aos vampiros e o desejo de vingança.

Apesar de eu amar o gênero sobrenatural - o que inicialmente me fez solicitar o livro - confesso que me decepcionei muito com a leitura. E não é pela parte sobrenatural da história (essa é sensacional), mas sim por como o relacionamento entre os protagonistas se desenvolve e por como a história começa: toda errada. 

É incoerente que um ser tão poderoso como o rei do clã Lykae não tenha conseguido se libertar de sua prisão por tanto tempo, mas foi só sentir o cheiro de sua parceira que tirou forças sabe-se lá de onde para fugir. É no mínimo estranho. Mas até aí tudo bem. A parte detestável mesmo é que ele sai com tanto tesão que tenta estuprar duas vezes a protagonista  e simplesmente impõe seus desejos pra cima dela sem nem sequer uma explicação. O medo que ela sentiu logo de início em segundos se transforma em desejo. Como assim? Achei inconcebível que isso seja tratado de forma tão natural em um livro. Que a agressividade dele não tenha sido nada pra personagem. Foi essa parte que acontece logo de cara que já me deixou com mil pés atrás com a história. E não melhorou muito. 

Com o andar da carruagem Lachlain acalma os ânimos e controla melhor essa vontade toda de transar a fim de conquistar Emmaline, já que ela é sua parceira. Para isso ele usa da atração que ambos sentem tentando convencê-la de que o melhor é aceitar isso e eles ficarem juntos. Isso sem ela saber que é parceira dele. Do nada ele se transforma de um animal com tesão em um homem apaixonado tentando conquistar sua fêmea. Tá bom. Caí muito nessa sim. 

Deixando de lado o relacionamento porcamente desenvolvido no livro (desculpem a grosseria, mas não consigo definir de outra forma), temos o fato de que a personagem desde o início se mostrou meio cabeça fraca, influenciável, e mais importante: sem quaisquer habilidades especiais. Mas olhem só, do nada ela vira uma lutadora fodona, sem que haja uma transformação gradual, um trabalho para evoluir as habilidades dela. Sem falar na súbita vontade de ser dona de si mesma, de tomar as rédeas da situação. Sim, é repentino assim, o que torna a história bem forçada.

Tirando toda essa parte, o universo mitológico do livro é bem interessante. A minha vontade de ler o livro foi justamente por achar que a autora exploraria bem esse lado, mostrando as peculiaridades dos mundos dos Lykae, das Valquírias, etc. Mas todo o tempo em que ela poderia aproveitar esse universo fantástico ela usa focando no sexo e na relação no mínimo estranha do casal protagonista. Mesmo assim ela ganha pontos pela originalidade e criatividade em criar um ambiente tão diferente quanto esse. Outra questão que a faz ganhar pontos é ter explorado mais os personagens secundários, e dando a eles seu próprio espaço.

Além disso, pra não dizer que só estou falando coisas ruins, a narrativa da autora flui bem. A escrita é simples e direta, e juntando isso ao fato de ser um livro relativamente curto, a leitura acaba se tornando rápida. A narrativa é em terceira pessoa, alternando os focos entre os personagens e o único problema disso é que ás vezes a mudança de foco é um pouco brusca e demorei um pouco pra me localizar. 

De uma maneira geral, eu não curti o livro e não pretendo continuar a série. Apesar de achar que ela tem um potencial enorme (principalmente se não seguir esse estratagema "romântico"), estou um pouco traumatizada com a forma como a autora colocou as coisas. Mesmo assim, acho que, se você gosta do gênero sobrenatural e gosta de erótico deveria dar uma chance, porque mesmo que eu não tenha gostado já vi várias pessoas que curtiram e não tiveram o mesmo problema que eu com a forma que o relacionamento do casal se desenvolve. Leiam e tirem suas próprias conclusões.

Classificação




Beijos,