Nesse lindo e tranquilo mês de maio (pura ironia, o mês mais corrido da história dessa blogueira) compartilhei com vocês a resenha de “Perdão, Leonard Peacock” e confesso que foi difícil escolher quais citações incluir e quais deixar de fora para a resenha não ficar gigantesca.

Enquanto eu pensava em qual livro trazer para o Quotes Cativantes, Leonard ainda não tinha saído da minha cabeça. Estranho quando um personagem te conquista assim, não é mesmo? Estranho como do nada você se pega pensando na história e então se pergunta quantas pessoas no mundo estão passando por aquilo, talvez você mesma esteja com dificuldades para ter esperança no amanhã, como Leonard se encontrava.



Não me lembro do exato momento em que virei fã de Harry Potter. Tenho uma vaga lembrança de que foi lá pelo ano de 2002, quando uma amiga da escola me emprestou os quatro primeiros livros da série e eu devorei cada volume (O bom de me emprestar livros é que eu sou tão curiosa que em menos de uma semana eu já devolvi *risos*).

Naquela época cada livro custava mais de R$ 50,00 e mesmo que meus pais incentivassem o meu hábito de leitura, eu nunca tive coragem de pedir os livros em função do preço. Por eu ser bem novinha na época, acho que essa consciência de preços vinha do que a minha mãe me dizia quando íamos ao mercado e eu pedia algum brinquedo. Ela me dizia que se fosse até R$ 15,00 eu podia trazer pra ela ver. Por incrível que pareça naquela época existiam brinquedos legais por uma quantia que hoje não daria para comprar um mísero guarda-chuva.



Eu sou fã da youtuber Jout Jout desde que assisti o seu vídeo somais famoso, “ Não tire o batom vermelho” por isso sou suspeita para falar sobre o livro, mas mesmo se não fosse, eu gostaria do conteúdo do mesmo jeito. Jout Jout encontrou uma forma de saciar a curiosidade dos leitores sobre fatos da sua vida através de capítulos divididos por crises que ela já enfrentou. Desta forma o livro ficou diferente dos outros livros de Youtubers que encontramos no mercado literário, pois Julia promove uma grande reflexão em torno das suas histórias, além de dar ótimos conselhos mesmo em momentos de muita angústia em determinadas crises. 

Uma das reflexões que mais gostei faz parte do capítulo “Crise da aversão a estética”. Jout Jout nos conta que tinha vergonha de fazer uma cirurgia plástica importante no queixo por medo das pessoas a julgarem como fútil. Ela acaba entendendo que ninguém tem que achar nada do seu corpo e que ninguém decide o que ela pode ou não fazer com ele. 

America Singer e o Príncipe Maxon se apaixonaram, e a filha do casal é a primeira princesa a passar por sua própria seleção. Eadlyn não acreditava que encontraria um companheiro entre os trinta e cinco pretendentes do concurso, muito menos o amor verdadeiro. Mas, às vezes, o coração prega peças… E agora Eadlyn precisa fazer uma escolha muito mais difícil - e importante - do que esperava.

Como disse na resenha anterior (leia aqui), é impossível falar do último livro da série sem deixar de dar um spoiler sequer dos acontecimentos passados. Portanto, se você ainda não leu nenhum livro, seja da America ou da própria Eadlyn, NÃO leia esta resenha, ok? Se o fizer, é por sua conta e risco. Tudo bem? Ou se não se importar, pode ir em frente sem medo e clique em "continue lendo". Hahaha!


"Ao acordar dentro de um escuro elevador em movimento, a única coisa que Thomas consegue lembrar é de seu nome. Sua memória está completamente apagada. Mas ele não está sozinho.
Quando a caixa metálica chega a seu destino e as portas se abrem, Thomas se vê rodeado por garotos que o acolhem e o apresentam à Clareira, um espaço aberto cercado por muros gigantescos. Assim como Thomas, nenhum deles sabe como foi parar ali, nem por quê. Sabem apenas que todas as manhãs as portas de pedra do Labirinto que os cerca se abrem, e, à noite, se fecham. E que a cada trinta dias um novo garoto é entregue pelo elevador. Porém, um fato altera de forma radical a rotina do lugar - chega uma garota, a primeira enviada à Clareira. E mais surpreendente ainda é a mensagem que ela traz consigo.
Thomas será mais importante do que imagina, mas para isso terá de descobrir os sombrios segredos guardados em sua mente e correr, correr muito. " – skoob

Ler e-books anda mudando minha vida. “Maze Runner – Correr ou Morrer” é mais uma prova da praticidade e facilidade que a Amazon e o aplicativo do Kindle trouxeram para a minha vida (e não estou sendo paga para dizer isso).


Na véspera de seu casamento, a rainha é informada por três anões que há uma grande maldição se espalhando pelos reinos vizinhos e que logo chegará ao seu reino, fazendo com que todos caiam em um sono profundo. Tanto a rainha quanto os anões não têm seus nomes revelados, mas acredito que sejam a Branca de Neve e os anões.

Disposta a proteger seu reino, a majestade adia seu indesejado casamento e parte junto com os anões, enfrentando diversos perigos e correndo o risco de caírem também no sono profundo, rumo ao reino adormecido.



O retorno de Izabel faz parte da série Na companhia de assassinos escrita por uma das minhas autoras americanas favoritas, J. A. Redmerski. No primeiro livro A morte de sarai, o leitor entra de cabeça em uma trama alucinante de uma garota que está lutando para sobreviver em uma fortaleza de um bandido mexicano e sua melhor opção de fuga é um assassino profissional. Como todo bom romance, ela se apaixona pelo seu herói- vilão e passa a lidar com as suas questões e conviver com o perigo diariamente.  







Cuidado pode conter spoilers! 

 A história do segundo livro acontece meses depois quando Sarai está vivendo com Dina, sua vizinha quase mãe da infância. Ela tem uma vida normal, um namorado, uma melhor amiga e um lar, mas a sede de vingança contra um inimigo da sua primeira missão é mais forte e assim ela larga tudo para matar um empresário pervertido, porco e imundo. Sarai volta a ser Izabel Seyfried, seu pseudônimo de assassina e vai atrás de seu algoz, porém ela não imaginava que seus planos fossem dar errados e que a vida das pessoas que mais ama estava em risco. 

Depois de ter matado o segurança de Arthur Hamburg, Sarai foge e se esconde no quarto de hotel ao lado de seus amigos e antes que uma tragédia aconteça Vitor Faust, o vilão mais sexy da história aparece e a salva. Vitor está com sérios problemas com a organização em que trabalhava por conta de sua paixão por Sarai e assim começa de fato a história. 

Os dois se aproximam, transam loucamente e demonstram o tempo todo o carinho que tem pelo outro ao mesmo tempo em que Sarai dá sinais de que está se tornando uma assassina fria e manipuladora. Essa é a parte que mais me fascina da narrativa e a diferencia de outras que já li, porque foge dos padrões morais dos romances. Apesar da autora driblar algumas questões polêmicas, como o fato da Sarai aprender a lutar com uma mulher porque o dono do curso não bate em mulheres, entre outras, ela deixa bem claro a natureza do casal e mostra que os dois não tem a intenção de deixar de matar. Eles são assassinos e pronto!

Sarai comete muitos erros na história por conta da sua impaciência e falta de limites. Isso acaba a colocando em enrascadas bem sinistras que me deixaram nervosa e ansiosa para saber logo o final. Adoro livros deste tipo em quem a autora costura a trama ao ponto de deixar o leitor tenso até saber o fim. 

Um suspense com muito romance, tensão sexual e com um personagem emblemático. Fredrik Gustavsson, chega de mansinho na história como melhor amigo de Vitor e se destaca a longo da narrativa deixando o leitor com muita curiosidade sobre sua vida, principalmente quando Vitor fala de seus gostos peculiares e atividades diferentes com as mulheres. Para mim ele é um sedutor perigoso nato com um toque de Cristian Grey. 

Fredrik Gustavsso é tão encantador que o próximo livro da série é sobre ele e sua paixão ardente por Seraphina. Eu estou doida para ler O cisnei e o chachal e algo me diz que eu vou me apaixonar tanto quanto sou apaixonada pelos outros livros da autora.

Recomento a leitura imediatamente! Corra para ler todos os livros da Jessica Redmerski porque são maravilhosos e muito bem estruturados. Vale a pena ler e ter em casa.

Classificação:





Beijos,




Oi gente, como vocês estão?

Hoje é dia de tag aqui no blog e eu vim responder a tag Mestre dos Livros que vi no canal da Mari, o MarianaReads <3. Nessa tag, você responde perguntas como se fosse dono de todo o universo literário e que pudesse mandar e desmandar em tudo que diz respeito a livros. Vocês vão entender melhor assim que eu começar a responder a perguntinhas. 


Oi, gente linda! Como vocês estão?

No post de hoje eu vim contar para vocês alguns dos meus autores auto buy, ou seja, aqueles autores que podem lançar uma listinha de supermercado que eu já estou gastando o dinheiro que eu tenho e o que eu não tenho para ter ele em mãos.


"Hoje é o aniversário de Leonard Peacock. Também é o dia em que ele saiu de casa com uma arma na mochila. Porque é hoje que ele vai matar o ex-melhor amigo e depois se suicidar com a P-38 que foi do avô, a pistola do Reich. Mas antes ele quer encontrar e se despedir das quatro pessoas mais importantes de sua vida: Walt, o vizinho obcecado por filmes de Humphrey Bogart; Baback, que estuda na mesma escola que ele e é um virtuose do violino; Lauren, a garota cristã de quem ele gosta, e Herr Silverman, o professor que está agora ensinando à turma sobre o Holocausto. Encontro após encontro, conversando com cada uma dessas pessoas, o jovem ao poucos revela seus segredos, mas o relógio não para: até o fim do dia Leonard estará morto. " – SKOOB

Eu sempre acreditei que certos livros precisam te escolher, e por alguma razão misteriosa só fazem sentido quando lidos no momento certo. Aqui está a prova mais recente dessa ~teoria~.


Hey pessoas! Tudo bem?
Hoje é dia da minha coluna favorita aqui no blog, o mochilando ❤. O destino da vez é Barcelona, mostrada sob o ponto de vista de Carlos Ruiz Zafón - um dos meus autores favoritos - que me encantou em A Sombra do vento. A cidade é maravilhosa, cheia de pontos turísticos históricos, regados a cultura e arte. E o autor é tão famoso, que existe até uma excursão baseada em seu maior sucesso, que foi A Sombra do vento. Nesse post vou mostrar um pouquinho das atrações da cidade que aparecem no livro pra vocês! 


Hey gente! Tudo bem?
Hoje é dia de Quotes Cativantes: Abra e Descubra! Nesses últimos meses eu andei comprando muitos livros (culpada!) e ainda não consegui ler metade deles, hahahaha. Por isso, hoje trouxe um desses livos pra cá - um que já estava querendo há um tempo -, a fim de me entusiasmar com a leitura e passá-lo na frente de toda a minha longa lista. Mas antes, pra quem não conhece a coluna, vai uma breve explicação:

Como funciona a brincadeira: Escolha um livro que você tem e nunca leu, mas tem vontade de ler e abra em qualquer página. Leia tudo e selecione o quote mais interessante da página. Só tenha cuidado para não abrir em uma página no final e descobrir como a história termina. A intenção é incentivar você a pegar o livro esquecido e deixar com que o quote te conquiste para que você passe o livro na frente de outros na sua fila de espera.

Lady Calpúrnia, assim como todas as mulheres do século XIX, foi criada para seguir um padrão de educação e comportamento feminino extremamente rigoroso com o único propósito de arrumar um bom casamento. Porém, mesmo sendo um exemplo de uma moça respeitável e educada, Callie alcançou seus 28 anos ainda sem um marido, fracasso que lhe rendeu o título de solteirona. Cansada de seguir as boas regras da sociedade e ainda assim não alcançar a felicidade, ela decide fazer uma lista de regras a quebrar - coisas inaceitáveis como ir a uma taberna, fumar charuto, entre outros -, e quem sabe assim conseguir viver algumas aventuras. É tentando riscar os itens de sua lista que ela vai a procura de Gabriel, o maior libertino de Londres e o homem que permeia seus pensamentos. Os dois acabam firmando um acordo capaz de mudar suas vidas mais do que imaginam: o marquês vai ajudar Lady Calpúrnia com sua lista, enquanto ela ajudará sua meia-irmã a se inserir na sociedade. 


Hey gente!
Quem acompanha o blog deve ter percebido que não falamos de muitos clássicos por aqui, mas isso não quer dizer que eu não goste, só quer dizer que tive poucas oportunidades de ler o gênero. Confesso que peguei certo trauma na escola ao ser obrigada a ler alguns, mas hoje, anos depois, tenho muita vontade de ler alguns clássicos. Inclusive já me aventurei por uns dois que amei ano passado, então montei essa lista de clássicos que quero e pretendo ler (percebam que mudei a coluna de top 5 para top 10 porque eram muitas clássicos!) esse ano.

Lillian é a herdeira de uma grande empresa americana de saboaria - e fragrâncias em geral -, mas apesar de todo o dinheiro que sua família possui em decorrência desse ramo, eles ainda não pertencem a uma classe social elevada, como é de desejo de sua família. Só um casamento entre Lillian ou sua irmã e um aristocrata é que poderiam mudar esse status. Por isso, ao perceberem que as chances de isso acontecer em Nova York são quase nulas, a família parte para Inglaterra a fim de começar a caça aos maridos. Porém a caça não está sendo bem sucedida, e após temporadas de se sentarem pelos cantos nos bailes, a jovem e sua irmã se juntam a outras solteironas para formar o grupo das Flores Secas - grupo que conseguiu um bom casamento na temporada passada e que agora se dedica a ajudar Lillian a encontrar um bom partido.


Hey pessoas! Tudo bem com vocês?
Como prometido eu trouxe um top comentarista bombástico! Temos finalmente a tão esperada conclusão da série A Seleção, e como nós amamos os leitores do ReL decidimos, em parceria com a Editora Seguinte, colocar como prêmio do top pra algum sortudo (a) de vocês ganhar! :D 


Mas antes de participar, vamos dar uma olhadinha nas regras, que são as de costume, mas que não custa nada relembrar, não é mesmo?

Mr. Mercedes foi o primeiro livro que eu li de Stephen King e foi o livro que me fez correr atrás de outras histórias do Mestre do terror. Se eu pudesse resumir tudo que eu li em três dias em apenas uma palavra, eu diria: Sensacional! Que livro, minha gente! Vi muitas críticas negativas na internet sobre o fato do livro não ter tanto terror quanto os outros do autor, mas o assassino da história é tão psicótico e tão intenso que me assustou bastante. 

Logo no primeiro capítulo nós encontramos o assassinato de várias pessoas em uma fila de empregos por um carro de luxo muito famoso. Uma Mercedes cinza massacrou uma mãe, um homem e um bebê sem piedade e deixou os policiais do caso intrigados por muito tempo já que o carro teria sido roubado de uma viúva milionária com um certo desequilíbrio mental. 


Hey pessoas! Tudo bem?
Sei que vocês estão ansiosos, então aqui estou eu com o resultado do top comentarista de abril!! Foram muitas participações - até fiquei surpresa! - e amei o carinho de vocês em cada comentário que li! Obrigada por terem participado e espero que continuem por aqui, até porque estou organizando outro super top comentarista pra maio! =D

Mas vamos ao que interessa! Foram 18 postagens válidas no mês passado, e dentre elas a sorteada foi a resenha de E se fosse verdade..