Sammie é uma garota do último ano do Ensino Médio extremamente inteligente, e prova disso são as inúmeras conquistas que já teve, como a admissão na faculdade de Nova York. Sammie sabe que não pertence ao grupo das garotas que estão dentro do padrão de beleza, mas nunca se importou com isso. Ela tem consciência de que sua inteligência é seu forte e se orgulha disso, se orgulha de suas conquistas e de sua dedicação com os estudos. Porém, ao descobrir que está doente e que essa doença vai, aos poucos, levar todas as suas memórias, e sua vida como ela está acostumada a deixa transtornada.

Decidida a não deixar algo como isso atrapalhar, ela começa a elaborar um diário para que no futuro ela saiba exatamente como foi seu passado. Claro que, conforme esse "projeto" entra em andamento, esse diário se torna uma maneira de ela lidar com todas as mudanças que essa doença está impondo em sua vida.

O livro de memórias encanta por sua sensibilidade, por nos mostrar uma protagonista autêntica, por ter uma escrita que toca o leitor profundamente e nos faz criar uma conexão intensa com a personagem. E acima de tudo, por nos mostrar como, mesmo em meio a situações tão difíceis, podemos encontrar algo bom, algo para nos deixar alegres e felizes.

Sammie já nos conquista no começo, quando mostra que, mesmo não sendo aquela garota que chama a atenção pela beleza, que não faz parte do grupo das "populares", ainda assim ela é segura de si mesma, tem uma determinação ferrenha e um foco enorme em conquistar seus objetivos. Diferente da maioria das protagonistas (os) desse tipo de livro, Sammie não procura se aceitar, ela já se aceita, e por isso é tão fantástica.

Narrado em primeira pessoa, temos um relato direto de Sammie, o que torna tudo ainda mais verossímil. Através de suas palavras conseguimos nos sentir intensamente ligados a ela, conseguimos entender pelo que está passando, conseguimos viver tudo com ela, acompanhando seus humores, seus medos, suas dificuldades e sua garra. E, de certa maneira, acompanhamos sua transformação também, o modo como, com a doença, ela passa a olhar para algumas coisas com outros olhos, passa a perceber novas possibilidades.

Além da protagonista sensacional, o que mais me conquistou nesse livro foi a reflexão que a autora nos traz. Como já mencionei, ela nos faz perceber que mesmo quando passamos por momentos onde parece impossível ver uma saída, quando estamos sem perspectiva alguma, ainda conseguimos encontrar um pontinho de luz, alguma fonte de felicidade e alegria e amor. É simplesmente inspirador.

O livro de memórias nos proporciona uma leitura que, mesmo intensa pela carga dramática que carrega, é leve e fluida. A autora se mostra dona de uma sensibilidade incrível, com uma capacidade para emocionar sem tamanho. É um livro que toca profundamente o leitor e nos ensina como a vida é imprevisível.

Classificação




Beijos,