• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Contato
  • Resenhas Novas

    Beleza Perdida - Amy Harmon


    Ambrose Young é lindo — alto e musculoso, com cabelos que chegam aos ombros e olhos penetrantes. O tipo de beleza que poderia figurar na capa de um romance, e Fern Taylor saberia, pois devora esse tipo de livro desde os treze anos. Mas, por ele ser tão bonito, Fern nunca imaginou que poderia ter Ambrose… até tudo na vida dele mudar.

    Beleza perdida é a história de uma cidadezinha onde cinco jovens vão para a guerra e apenas um retorna. É uma história sobre perdas — perda coletiva, perda individual, perda da beleza, perda de vidas, perda de identidade, mas também ganhos incalculáveis. É um conto sobre o amor inabalável de uma garota por um guerreiro ferido.

    Este é um livro profundo e emocionante sobre a amizade que supera a tristeza, sobre o heroísmo que desafia as definições comuns, além de uma releitura moderna de A Bela e a Fera, que nos faz descobrir que há tanto beleza quanto ferocidade em todos nós. - SKOOB

     
    Sabe aquele tipo de livro que a gente olha a capa, e a primeira vista pensa “Ih, lá vem mais um clichê da menina que se acha feia e se apaixona pelo cara mais gato do colégio”? Sim, eu julguei o livro pela capa.

    A primeira vez que li Beleza Perdida foi em meados do ano passado, graças a quem? Ele mesmo, o Kindle Unlimited* e vou dizer uma coisa: certamente é um dos melhores livros que li nos últimos anos.

    Não fosse ler a sinopse nesse instante para colocar na resenha, jamais descobriria que é uma releitura de A Bela e a Fera, tamanha a originalidade do texto de Amy Harmon.

    Fern Taylor é uma garota comum, que se classifica como feia, mas que não liga muito para isso. Exceto enquanto está suspirando por Ambrose Young, o cara mais gato de todos os caras gatos do universo.

    Porém, a narrativa de Amy Harmon apresenta os personagens como seres humanos totalmente passíveis de existirem, sem transformar Ambrose em alguém perfeito, muito menos fazer de Fern uma garota perdida em lamúrias sobre beleza e rejeição.




    Fern é divertida, tem um coração enorme e desde pequena é o anjo da guarda de seu primo Bailey, que nasceu com Distrofia Muscular de Duchenne, doença degenerativa que faz dele um garoto com baixa expectativa de vida. Mas Bailey não se reduz à sua doença, ele tem uma sagacidade e uma capacidade incrível de fazer com que as pessoas abram os olhos e passem a notar coisas que estavam deixando passar.

    Esses personagens marcantes se somam a outros, uns com mais peso, outros com menos, mas todos de extrema importância para a construção da história.

    Na época do atentado às Torres Gêmeas em Nova York (NY), Ambrose Young começou a desenvolver interesse pela carreira militar. Antes da formatura do Ensino Médio ele já tinha convencido seus 4 melhores amigos a embarcarem nessa junto com ele.
    Paulie, Jesse, Beans, Grant e Ambrose completaram seu treinamento e foram enviados para uma missão no Iraque. Apenas um deles voltou, e é aí que a narrativa apresenta um drama dolorido, cheio de várias questões e, posteriormente, regado a muito amor.

    O que uma pessoa precisa ter para ser amada? Beleza? Carisma? Bravura? Acredito que antes de qualquer coisa você precisa admirar uma pessoa para ser capaz de amá-la, e admiração vem muito mais da essência de alguém do que da aparência (penso eu). Por amor você se rende, se perdoa, aprende a se doar e a compartilhar. Você enfrenta desafios e cresce com eles.

    E o tanto que eu chorei com essa história vocês não têm noção. Fui só abrir o e-book para confirmar a ortografia do nome de alguns personagens e já me emocionei. O Bailey, que rouba a cena, tem uns diálogos tão fortes, tão “tapa na cara” que dá vontade de reler infinitamente. Ele sempre quis ser o super-homem, e conseguiu <3



    Reli o livro no mês passado e todas essas impressões são atuais, inclusive Beleza Perdida me fez ir atrás de todos os outros livros da Amy Harmon e mal posso esperar para lê-los!

    A linguagem da autora é descomplicada, e as 332 páginas passam voando, até mesmo lendo no celular (que não é a plataforma mais confortável para ler por horas seguidas).

    Um enredo forte, bem amarrado, maduro e que aborda assuntos que mesmo pesados não nos afogam em dor, e sim nos fazem refletir sobre como o mundo é cruel, mas que no meio das coisas ruins sempre conseguimos visualizar um caminho de luz para seguir.

    Classificação:


    Quem aí já leu algum dos livros da Amy Harmon? Conta aqui nos comentários se você sentiu curiosidade para ler Beleza Perdida (e se já leu, compartilha gente o que você achou).

    Beijocas!

    *Essa resenha não é um jabá/publipost/post pago. É indicação por amor mesmo (e porque saía mais barato assinar o serviço da Amazon do que comprar e-books individualmente. E nóis adora economizar, não é verdade? )