• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Anuncie
  • Resenhas Novas

    O Nevoeiro


    Anda difícil acompanhar os tantos lançamentos da Netflix. Na última sexta feira 25, saiu o novo live action de Death Note e também a nova série baseada no conto do nosso querido Stephen King, O Nevoeiro. No conto que está em seu livro Tripulação de Esqueletos, publicado em 1985, o autor mostra sua genialidade em criar situações e mistérios bizarros que mexem com a nossa cabeça. Nessa trama, um grupo de pessoas fica preso dentro de um supermercado quando a cidade é coberta por um nevoeiro, e a partir daí vão sendo descobertas as monstruosidades que se escondem através dele.

    Esse mesmo conto já foi adaptado para o cinema em 2008, tendo um final alternativo, já que no livro o mesmo fica em aberto para a interpretação do leitor. Surpreendente, encantou até o próprio Stephen que tem o azar de ter seus livros adaptados de forma inferior e insatisfatória. Ele também está no catálogo da Netflix, vale muito a pena assistir. 


    A série conta com um elenco muito bom, com Thomas Jane (O Justiceiro), Laurie Holden (Terror em Silent Hill), Andre Braugher (Poseidon) e Marcia Gay Harden (Pollock)E pelo visto, a produção de David Boyd garantiu, como já haviam anunciado, que o final da série também seria alternativo. E como foi! Com 10 episódios fáceis e movimentados, maratonei a série assim que estava disponível. 





    De início, você já vai se sentir preso aos personagens e ao enredo. De cara teremos temas que não esperamos ser discutidos em uma série de suspense, e eles são abordados de forma sútil e leve, como se estivéssemos dentro da cena ou fizéssemos parte da cidade de Bridgton. Quando o nevoeiro surge, núcleos de grupos diferentes são formados, então acompanhamos a construção e até a perda de sanidade dos personagens. Aqueles que odiamos no primeiro episódio, vamos poder amar no último e o contrário também acontece.

    O ponto mais importante é a forma excelente do terror apresentado, sem aqueles sustos previsíveis. Tanto quanto em efeitos especiais e visuais, como também nos ganchos deixados a cada fim de episódio. As cenas são bem gravadas e bem roteirizadas, não somos jogados de um núcleo ao outro esporadicamente. A série é como uma costura, e todos os pontos vão se encaixando de pouco a pouco, sem ser monótono ou previsível, porque o que ela mais proporciona são cenas de ação. Você simplesmente vai querer ver o próximo episódio pra descobrir ou que está acontecendo (ou tentar). 



    O rumo vai sendo tomado e cada um vai adquirindo suas próprias motivações. Teremos fanáticos religiosos, policiais que abusam de seu poder, uma mãe super protetora, um falso moralista, aquele coadjuvante que existe pra tomar as decisões mais merdas, e o "vilão" que fez a história ter uma boa premissa.

    De um cenário ao outro, a busca por sobrevivência nesse apocalipse se torna tão massiva quanto o nevoeiro. E nesse caos é que podemos observar que a maldade humana não tem limites quando se é pra garantir a própria vida ou a ordem.


    Além disso, o final dá espaço para um segunda temporada, que eu sinceramente espero ansiosamente que aconteça. Os produtores souberam aproveitar a ideia para criar infinitas possibilidades e reações do público. Já fazia um bom tempo que eu não via uma história tão bem feita em todos os seus quesitos, quando assistirem não deixem de ressaltar o que mais gostaram e indicar ao seus amigos, porque QUE SÉRIE, CARA.




    Classificação:




    Texto por: Ingrid




    Assista ao trailer legendado: