• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Anuncie
  • Resenhas Novas

    Rick e Morty


    Wubba Lubba Dud Dub!

    Esqueçam A Hora de Aventura e Family Guy, é a vez de Rick e Morty no mundo das animações. Inicialmente criado por Justin Roiland e Dan Harmon para ser uma paródia do filme De Volta para o Futuro, a série totalmente discrepante é sobre um velho gênio cientista e maluco, que leva seu neto de 14 anos a embarcar em grandes aventuras e experiências intergaláticas e interdimensionais.

    Com sua estreia em 2 de Dezembro de 2013, muito se tem falando sobre essa animação nada infantil, só que lamentavelmente demorei pra assistir essa obra prima. É uma mistura genial de Futurama com Os Simpsons, só que com traços e diálogos muito mais escrachados e criativos.




    Acompanhamos em 10 episódios por temporada, tendo as duas primeiras já na Netflix, a família desajustada de Morty e as loucuras de seu avô alcoólatra, que sem dúvida é o melhor personagem.
    O pai de Morty, Jerry Smith, é ignorante e estúpido, que desaprova a influência de Rick sobre o garoto, sendo casado com Beth Smith, filha do cientista. Inteligente como o pai, com a única diferença de ser responsável, Beth considera seu casamento um tanto infeliz e constantemente têm discussões com Jerry sobre seus filhos e a sua profissão de veterinária cirurgiã de cavalos. E por último, Summer, a irmã mais velha de Morty de 17 anos, que vive pela necessidade de melhorar seu status de popularidade na escola, se tornando uma garota superficial. E ao decorrer da história conhecemos outros coadjuvantes das aventuras do enredo principal, como monstros e criaturas feitas em laboratório.


     E nesses mesmos episódios cheios de referências nerds (que até quem não é nerd entende), são debatidos temas filosóficos que nos fazem refletir. Violento, ofensivo e extremamente polêmico, a série ganhou força e público justamente por ser tão sincera com quem está assistindo. Tendo palavrões e obscenidades logo no primeiro episódio, em que Rick depois de procurar várias sementes para experimentos, sugere que Morty coloque sementes "bem no meio da bunda", como o próprio diz. Pois os dois passariam por alfandegas intergaláticas onde as sementes são consideradas ilegais. E Morty ansioso e desesperado como é, vai surtar muitas vezes no decorrer da série, e até discutir com avô sobre as coisas que ele faz. Além disso, é explorado a genialidade dos criadores em falar e desvirtuar coisas do nosso dia a dia, como religião, família e questões da vida.


    Me diverti tanto que viciei. E mais, me surpreendi, porque as piadas e as referências são tão boas, mas tão boas, que quem ainda não viu Rick e Morty aos meus olhos parece um alienígena (é tão incrível, por que você ainda não assistiu?). Até teorias sobre a série existe, e vale lembrar que o desenho é direcionado aos adultos. Nada de ver perto do seu irmãozinho ou filho, a história é pesada! A dublagem em português é tão boa quanto a original, e terceira temporada saiu em abril desse ano. Parece impossível, mas não seria demais sonhar que ela tenha tantos episódios quanto Os Simpsons, temos até crossover entre os dois. Q U A L I D A D E, outro nível. 


    Classificação:

    Texto por: Ingrid