• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Anuncie
  • Resenhas Novas

    A faca sutil

    A faca sutil é o segundo volume da trilogia As fronteiras do universo e nos traz uma história ainda mais instigante que seu predecessor. São raras as vezes em que o segundo livro de uma série ou trilogia conseguem superar o primeiro, mas esse foi um desses casos e tenho o prazer de dizer que Pullman conseguiu nos trazer uma história com ainda mais qualidade que a anterior. 

    Neste volume conhecemos Will, um menino de 12 anos que, assim como Lyra, é muito maduro para sua idade. Essa maturidade vem do fato de desde pequeno ter que cuidar da mãe com problemas psiquiátricos, já que seu pai sumiu há muitos anos. Will está metido em muitos problemas com homens que vieram atrás de um certo objeto e colocaram a vida dele e da mãe em perigo. Em sua ânsia para escapar ele acaba matando um desses homens e, por acidente, acaba entrando em uma fenda entre os mundos.

    O lugar para o qual Will vai é chamado Cittàgazze, uma cidade onde apenas crianças vivem, já que por suas ruas andam monstros devoradores de almas, que caçam apenas os adultos - já que perderam sua pureza. É nessa cidade que Will conhece Lyra, que acabou lá depois de passar pela ponte criada por seu pai. Os dois acabam virando grandes amigos e ajudam um ao outro em suas missões. 

    No primeiro volume da trilogia, Pullman já nos apresenta um universo totalmente novo e original. É de se imaginar que não haveria mais criatividade em sua mente pra criar algo ainda mais interessante, mas ele conseguiu. Aqui somos apresentados aos diferentes mundos. Primeiro conhecemos o de Lyra, onde as pessoas carregam seus daemons junto a si. Agora temos o mundo de Will, mais parecido com a realidade que conhecemos. E além desses temos Cittàgazze, a cidade de crianças. 

    Acho que mencionei isso na resenha de A bússola de ouro, mas vale a pena repetir: a minha parte favorita dessa história definitivamente é o universo explorado pelo autor. Ele insere elementos fantásticos incríveis, são inúmeras criaturas diferentes (feiticeiras, anjos, espectros, etc.) e modo como o universo dele funciona é algo simplesmente fascinante. Nesse volume ele se aprofunda ainda mais nesse universo e é impossível não ficar encantado com tudo que ele nos mostra.

    Além disso, simplesmente amo os personagens que ele traz! Nunca fui fã de personagens infantis, mas esses conquistaram meu coração. Aqui, além dos personagens que já nos foram apresentados, conhecemos outros novos que são tão bem construídos quanto os que já conhecemos. Mesmo os vilões são cativantes.

    A narrativa é bem simples e extremamente envolvente. Por já termos algum conhecimento sobre o mundo criado, mergulhamos na história muito mais rápido. Além disso, é um ritmo tão frenético, cheio de aventuras e descobertas e reviravoltas, que em um piscar de olhos o livro já está no fim. A leitura, além de muito prazerosa, é rápida e nos deixa ansiando pelo desfecho da história. 

    Terminei com vontade de mais e só imaginando o que Pullman pode ter preparado para o final da trilogia. Se for algo tão fantástico quando o que tivemos aqui, já é o bastante pra fazer de As fronteiras do universo uma das minhas trilogias favoritas. 

    Classificação:




    Beijos,