• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Anuncie
  • Resenhas Novas

    A lógica inexplicável da minha vida

    Um fato inegável para mim é que Benjamin Alire Sáenz sabe como escrever uma boa história. Se eu já não tivesse me apaixonado pela escrita dele em Aristóteles e Dante descobrem os segredos do universo, tenho certeza que cairia de amores por ele aqui. Do mesmo modo como fui arrebatada por Ari e Dante, fui também pelos personagens de A lógica inexplicável da minha vida.

    Este livro narra as vidas de uns poucos personagens incríveis em um certo período de tempo no qual acompanhamos suas vitórias, suas derrotas, seus medos, anseios e felicidades. É um daqueles YAs em que nos sentimos representados pelos personagens que simplesmente nos mostram que a vida acontece e que é assim pra todo mundo: temos que aprender a lidar com ela. 

    O livro é narrado por Salvador, um menino de 17 anos, adotado por um gay e que sofre com aquela fase de transição de adolescente pra adulto, na qual ainda não sabemos ao certo quem somos. É a fase do auto descobrimento e, para ele, agravada por diversos acontecimentos que abalam ainda mais as nossas estruturas. 


    Sam é a melhor amiga de Salvador. Uma menina com uma mãe relapsa que prefere as bebidas e os homens, deixando como único refúgio para a filha a amizade com Salvador que acaba se tornando seu porto seguro, sua fonte de amor e segurança. 

    A amizade dos dois é um ponto central da história, mas ao longo dela ainda conhecemos outros personagens importantes como Fito, que se torna um terceiro integrante do grupo e quem tem uma história até mais sofrida que a deles e que nos enche de compaixão por tudo que vive e viveu - ainda mais ao nos darmos conta de quantas pessoas na vida real são como ele. 

    Temos ainda a avó de Salvador - um doce de pessoa, sempre cheia de sabedoria e carinho pra dar; e o próprio pai de Salvador, um ser humano incrível, daqueles super pai.

    Não vou entrar em muitos detalhes sobre a história, mas cada um desses personagens nos toca de maneira diferente conforme o que passam em suas vidas. E é impossível não se sensibilizar com tudo que eles vivem, impossível não se identificar ao menos com algum dos questionamentos deles. Através de suas vidas o autor nos passa mensagens muito fortes; ele nos fala sobre as incertezas da vida, sobre situações que todos nós passamos e que tudo bem passar por elas, tudo bem se sentir incerto, tudo bem não estar no controle - nós quase nunca estamos, é a vida. 

    Acima de tudo, para mim essa obra foi sobre isso: a vida. A beleza da imprevisibilidade da vida. Isso é o mais tocante de tudo, o modo como nos divertimos e sofremos com os personagens como se fossem conhecidos nossos justamente porque poderiam ser. Eles poderiam ser qualquer um, poderiam ser nós mesmos, de tão reais que o autor os constrói. 

    Com uma escrita sensível e envolvente e leve o autor nos leva por essa história incrível e apaixonante, nos dando lições de vida e nos dizendo que é assim mesmo e que não estamos sozinhos. Esse é um daqueles livros cuja história fica com a gente por anos e anos - senão para sempre - de tão profunda e verdadeira que é. Se você não conhece nenhuma história do autor, deveria, porque é sensacional!

    Classificação




    Beijos,