• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Anuncie
  • Resenhas Novas

    Como agarrar uma herdeira

    Não é novidade pra ninguém que sou uma fã de romances históricos - ainda mais quando são os de Julia Quinn, uma das minhas autoras favoritas do gênero. Não perco por nada algum novo lançamento da autora. Principalmente depois de já ter lido o segundo volume dessa série (sim, eu li fora de ordem, rs) e ter amado. 

    Em Como agarrar uma herdeira, conhecemos Caroline, uma jovem que viveu passando de tutor para tutor, e que não vê a hora de completar 21 anos para receber sua herança e ser capaz de cuidar de si mesma. Principalmente depois de ter um tutor que faz de tudo para tê-la casada com seu filho de maneira a poder controlar a herança de Caroline.

    Ao ser confundida com Carlotta de Leon - uma perigosa espiã espanhola - e ser capturada por engano, ela vê uma oportunidade de ficar longe de seu tutor e garantir a liberdade que ela tanto almeja, mesmo que isso signifique ficar à mercê de um agente como Blake. 

    Esse volume é diferente dos outros livros de Julia Quinn por sua pegada com mais ação e adrenalina do que costumamos ver em seus romances. Não que faltem as cenas de tensão sexual ou envolvimento amoroso, mas toda a parte de espionagem é um bônus inesperado à história - e que se encaixou muito bem.

    O diferencial do livro já começa pela protagonista audaciosa que em busca por sua liberdade não tem medo nem de dar um tiro no filho de seu tutor. O fato é que ela é bem perspicaz e atrevida, o que nos garante diálogos honestos e, confesso, um tanto divertidos. Os embates entre dois protagonistas que são tão diferentes em alguns aspectos é impagável e nos cativa a cada página. 

    É em meio às tramas de espionagem e às implicâncias que tem um com o outros que Blake e Caroline vão desenvolvendo um romance e trabalhando suas inseguranças e seus anseios, compartilhando seus passados e criando uma confiança um no outro que não esperavam. Blake, um homem sério e arredio às emoções, se vê preocupado e nutrindo certo afeto por Caroline, enquanto a mesma se vê precisando de um afeto e carinho que nunca teve.

    Apesar de ser bem clichê, esse é daqueles clichês que amamos, onde o casal protagonista briga feito cão e gato, mas onde percebemos o carinho em meio às farpas trocadas. Além disso, o romance é desenvolvido aos poucos, entre os embates entre eles, conforme vão criando confiança. O fato é que essa relação espinhenta entre eles só nos rende cenas com muito bom humor e ironia, nos arrancando gargalhadas enquanto eles caem de amor um pelo outro. 

    Como mencionei, a pegada de ação do livro é o diferencial do romance. Não temos as costumeiras interações na sociedade londrina, em meio à bailes, mas sim em meio a mistérios e espionagem. E, apesar desse diferencial, ainda temos o bom humor costumeiro de Julia Quinn e o modo como trabalha seus personagens para superarem seus traumas e deixarem o amor vencer. É uma mistura entre o estilo característico de Julia, com uma nova pegada mais aventureira - o que confesso que funcionou muito bem pra mim!

    De um modo geral o livro é divertidíssimo e nos cativa a cada página. Os protagonistas são muito carismáticos e o relacionamento entre eles se desenvolve no timing perfeito. Como agarrar uma herdeira nos rende uma leitura leve, dinâmica e divertida - perfeita para qualquer hora.

    Classificação

    Beijos,